Pesquisar este blog

Páginas

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Cura pelo amor

Cura pelo amor


Só a família pode ainda fazer alguma coisa. Ao notar que um filho está iniciando na droga, deve chamá-lo para um diálogo, mudá-lo de colégio, de ambiente, principalmente demonstrar o quanto é amado e importante.

Um dos erros dos pais ao fazer esta descoberta é desprezá-lo, acusando-o de viciado e dele se envergonhando.

Muitas vezes o jovem se sente rejeitado e a droga é utilizada como uma agressão à família. Os pais precisam dialogar, principalmente mostrar ao jovem que a liberdade é uma conquista, e um viciado é um pária, algemado pela própria fraqueza. Muitos pais preferem ignorar que o filho consome droga porque é mais fácil ignorar.

- Irmão, inúmeras famílias perguntam o que fazer ao descobrir que o filho é dependente: interná-lo?

- não, tratá-lo, procurando mostrar-lhe como é triste a gente ser escravo de um vício. O próprio obeso sofre o domínio da comida; o maledicente é prisioneiro da sua fraqueza, e assim podemos observar que o vício só domina os fracos. Se seu filho está enfraquecido, cure-o com a fortaleza do amor. As mães devem abandonar as futilidades da vida e tudo fazerem para reconquistar seus filhos. Todos nós jamais deixamos de ser crianças, e quem fica indiferente a um olhar de amor? 

No que, aliás, as mães são mestras!

Muitas vezes os filhos nem desejam ouvir os pais e aí devem ser levados à força ao tratamento?

Não, se eles forem obrigados jamais se libertarão; é fundamental que se tratem por livre e espontânea vontade. O espírito é que precisa curar-se. O homem necessita se descobrir; ele é o dono da sua vida e para torná-la mais digna precisa se ver livre das drogas e voltar a ser ele mesmo.


Luiz Sérgio
in "Consciência"


Psicografia: Irene Pacheco Machado