Pesquisar este blog

Páginas

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Palestra
Virtual

Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
em conjunto com o Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br



Tema: Perda e Suspensão da Mediunidade

Palestrante: Joaquim Couto

Rio de Janeiro

Organizadores da palestra:

Moderador: "Brab" (nick: [Moderador])
"Médium digitador": Carlos Filipe (nick: Joaquim_Couto)

Oração Inicial:

Deus, nosso Criador, nosso Pai amoroso, estamos novamente reunidos virtualmente em torno da realização de mais uma edificante palestra espírita! Queremos te pedir que nos tranqüilize os corações, que nos providencie a presença dos irmão espirituais que nos amam para que reforçem nossa sabedoria e que possamos grudar os ensinamentos de hoje em nossos corações, pois queremos, desejamos ser médiuns a seu serviço e para tanto almejamos aprender mais e mais nesta senda, neste trabalho! Hoje é para nós um dia especial em que inicia-se mais um IRContro na cidade de Campinas - SP! Pedimos a tua proteção e as tuas bênçãos para aquele evento e para seus participantes e desejamos que, como aqui, possam eles aprenderem e crescerem para melhor servirmos na tua messe! Paz e luz! (t)

Apresentação do palestrante:

Trabalho no Centro Espírita Léon Denis desde 1971 como médium e palestrante. (t)

Considerações iniciais do palestrante:

A faculdade mediúnica está sujeita a intermitências e a suspensões temporárias, qualquer que seja o gênero da faculdade. Primeiramente, o médium deve interrogar a sua consciência e inquirir de si mesmo: Qual o uso que tem feito de sua faculdade? Qual o bem que dela tem resultado para os outros? Que proveito tem tirado dos conselhos que obtém das comunicações? Estamos abertos ás perguntas. (t)

Perguntas/Respostas:

<[Moderador]> Duas perguntas correlatas: [1] Grande irmão, a paz do doce Mestre Jesus! Quais são as situações mais comuns, onde ocorrem a perda irreversível da Mediunidade? O mau uso dessa sublime faculdade seria uma delas? / [2] O que poderá fazer com que um médium perca a sua mediunidade?

O mau uso é uma das causas da perda da mediunidade. O médium deve buscar dentro de si a explicação para o afastamento ou a assistência dos bons espíritos nas suas tarefas mediúnicas. Muitas vezes encontramos médiuns que não perdem os dons mediúnicos pelo mau uso das suas faculdades, mas sim deixam de receber a assistência e proteção dos benfeitores espirituais designados por Deus para lhes assistirem nos trabalhos mediúnicos. Com esse comportamento passam a atrair espíritos inferiores que tomam o lugar dos benfeitores espirituais.(t)

<[Moderador]> [3] A suspensão da Mediunidade pode ser temporária? Se houver melhora do estado moral do medianeiro, este poderá recuperá-la? / [4] Tendo um determinado médium perdido sua mediunidade, poderá reave-la posteriormente?

A suspensão pode ser temporária, guardando relação com as causas que a motivaram. Caso o médium reconheça que uma das causas da suspensão sejam as suas imperfeições morais e esforça-se por vencê-las, procurando praticar as lições do Mestre Jesus no seu dia a dia, é claro que com isso passará novamente a atrair a atenção e proteção dos bons espíritos. (t)

<[Moderador]> [5] Por que vemos tantos e tantos médiuns transviados trabalhando no mundo de maneira equivocada e até mesmo errônea e maldosa? Não se enquadrariam em casos de perda e suspensão de sua faculdade mediúnica por mau uso?

Terra: mundo de provas e expiações aonde grande parte da humanidade ainda é muito imperfeita. Portanto, não nos admiremos de encontrarmos tantos médiuns transviados trabalhando de forma equivocada. A grande maioria deles ainda não tem acesso ao Espiritismo. Podemos dizer que são médiuns imperfeitos desconhecendo o valor da graça que lhes é concedida. Acreditamos que a divulgação maior das lições espíritas permitirá a esses companheiros um maior esclarecimento, permitindo-lhes um melhor uso de suas faculdades mediúnicas.(t)

<[Moderador]> [6] São comuns as ocorrências de perda ou suspensão da Mediunidade? Estariam relacionadas com a falência moral dos médiuns e/ou abandono dos compromissos anteriores à presente encarnação, dentro da mediunidade com Jesus?

Essas ocorrências são comuns. Os benfeitores espirituais nos informam que os médiuns, em geral, são aqueles espíritos que faliram junto à mediunidade em outras encarnações. Abusaram dos dons concedidos por Deus e retornam à nova existência na Terra para provar a sua renovação para o bem, servindo a Jesus. Serão testados e, se não mantiverem a sintonia constante com os seus guias espirituais, através da prece e trabalho no bem, poderão, novamente, sucumbir, agravando com novos débitos junto à mediunidade nas suas próximas reencarnações.(t)

<[Moderador]> [7] A perda da mediunidade com a idade avançada é comum? / [8] O Médium com uma idade avançada perde a mediunidade?

Todos reencarnamos com uma programação estabelecida pelos espíritos superiores. A mediunidade é uma atividade; quando orientada para o bem pode fazer com que trabalhemos junto dela até uma idade avançada. Temos o exemplo de Chico Xavier. Não teremos a mesma energia ou a mesma quantidade de fluidos, porém, a sintonia permanece permitindo que continuemos a ser instrumentos dos bons espíritos.(t)

<[Moderador]> [9] Uma vez perdida a Mediunidade, é para toda a encarnação? Pode haver retorno da faculdade mediúnica, conforme a melhora moral do médium?

Digo que para Deus nada é impossível. A Sua misericórdia e o Seu amor cobrem a multidão das nossas iniqüidades e Ele sempre concederá novas possibilidades de trabalhos no bem a todo aquele que o busca.(t)

<[Moderador]> [10] Com o retorno da mediunidade, os mesmos espíritos que se manifestavam antes retornam?

Isso poderá acontecer caso esses espíritos não tenham sido designados para outras missões. (t)

<[Moderador]> [11] A perda ou suspensão também pode ocorrer com fenômenos psíquicos puramente anímicos ou somente mediúnicos?

Estamos falando da perda ou suspensão da mediunidade. Porém encontramos muitos espíritos reencarnados que abusaram de suas faculdades anímicas, trajando atualmente corpos que lhes limitam o uso livre dessas faculdades. Isso acontece para que esses companheiros não venham a se endividar mais ainda diante da grande Lei de Deus. Portanto, qualquer um de nós pode abusar de seus dons anímicos, mas não ficará impune diante dessa Lei.(t)

<[Moderador]> [12] Um médium de repente pára de receber comunicações em uma reunião mediúnica, pode ser uma perda da mediunidade, ou uma intervenção do plano espiritual?

Caso seja possível, esse médium deve perguntar aos benfeitores espirituais dessa reunião acerca da causa da interrupção das comunicações. Ele próprio deverá também inquirir de sua consciência se não é a causa primária dessa suspensão. (t)

<[Moderador]> [13] Os maus espíritos se aproveitam da suspensão da mediunidade para se manifestarem?

Isso ocorrerá se o médium deixar de respeitar a orientação dada pelo seu guia espiritual acerca dessa suspensão. Caso ele, pelo seu Livre Arbítrio, resolva afastar-se dessa reunião mediúnica, contrariando a orientação recebida e buscando o contato com o plano espiritual que não lhe é habitual, podemos afirmar novamente que esse médium corre grande risco, pois não faltam espíritos que queiram se manifestar através dos médiuns na Terra.(t)

Considerações finais do palestrante:

Os médiuns são intérpretes dos espíritos com os homens. Para transmitir a mensagem do Bem aos homens, é preciso que os médiuns tenham sempre em mente a necessidade da sua reforma íntima e a maior identificação possível com a mensagem de Jesus, para facilitar a sua sintonia com os bons espíritos. (t)

Oração Final:

Elevando o pensamento a Deus nosso Pai e Criador, queremos agradecer por mais esta oportunidade de aprendizado, de estudos e esclarecimentos. Que possamos aproveitar as lições da noite, em nossos trabalhos, principalmente, se estivermos lidando que este tesouro que é o trabalho com a mediunidade. Que as luzes da espiritualidade superior estejam com todos nós e se espalhem em todos os recantos deste nosso planeta. Que assim seja!

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Palestra Virtual Tema: Espiritismo e Esperanto

Palestra Virtual

Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www. irc-espiritismo.org.br

Tema: Espiritismo e Esperanto

Palestrante: Fernando Gomes

Rio de Janeiro

Organizadores da palestra:

Moderador: “Caminheiro” (nick: Moderadeiro)
"Médium digitador": “jaja” (nick: Fernando_Gomes)

Oração Inicial:

Pai amoroso, obrigado pela possibilidade que nos ofereces neste momento de estudarmos e conhecermos um pouquinho mais sobre nossa Doutrina e suas afinidades! Permita, que pela boa inspiração dos bons espíritos, possamos aprender mais e mais. Que a luz da sabedoria esteja com nosso irmão Fernando e com cada um de nós nesta noite! Em nome de Deus e em nome de Jesus! Que assim seja!

Apresentação do palestrante:

Meu nome completo é Fernando Fernandes Gomes, sou espírita e esperantista. Freqüento regularmente os estudos realizado no CELD, no Centro Espírita Isaac Lima (CEIL), também no Rio de Janeiro e Agremiação Espírita Allan Kardec e o Grupo Emmanuel, na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Também participo do movimento esperantista na Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde a EKOR (Esperanta Kunfratigo de Okcidenta Regiono) coordena as atividades esperantistas. (t)

Considerações iniciais do palestrante:

O Espiritismo tendo sido divulgado ao mundo no século XIX, sob a inspiração dos espíritos superiores, através de “O Livro dos Espíritos”, em 18 de abril de 1857, revelou-se a necessidade de ser melhor divulgado. Nessa época, o mesmo foi codificado na língua francesa, que era o idioma da "moda", tendo o latim nos meios científicos. Então, em julho de 1887, surgiu o Esperanto, criado pelo Dr. Lázaro Luiz Zamenhof e, nesse intervalo da Doutrina Espírita e o surgimento do Esperanto, muitas mensagens de espíritos esclarecidos direcionavam para a necessidade dos seres humanos se entenderem através de uma língua harmônica. Em "A Gênese", Allan Kardec faz comentários da necessidade de que as barreiras lingüísticas um dia seriam eliminadas. Neste século XX, muitos espíritos comunicaram suas idéias sobre o Esperanto relacionando-o com a idéia universal de fraternidade. Deste modo, analisando essas mensagens, conclui-se que o Espiritismo, o Evangelho e o Esperanto são meios de progresso para a Humanidade. (t)

Perguntas/Respostas:

[1] O que significa o Esperanto? Qual a sua finalidade?

O Esperanto é uma língua internacional falada por milhões de pessoas em todos os continentes. Sua finalidade é servir de língua auxiliar entre os povos, permitindo uma melhor comunicação entre os seres humanos. (t)

[2] O que há de ligação entre o Espiritismo e o Esperanto?

Simples. Ambos foram criados e desenvolvidos no mundo espiritual. No mundo físico, Allan Kardec e Lázaro Luiz Zamenhof foram os idealizadores desse trabalho espiritual, colocando-os a serviço da Humanidade. (t)

[3] Qual foi a intenção do Sr. Zamenhof, 'criador' do Esperanto (certo?), com relação ao Esperanto? Uma linguagem Universal entre os espíritos - entre encarnados - entre desencarnados - entre encarnados e desencarnados do Planeta Terra e sua regiões espirituais mais próximas?

Na sua infância, Lázaro Luiz Zamenhof conviveu com problema lingüístico na sua cidade natal, na Polônia. Como é um espírito missionário, recordou-se de sua missão, solicitada no plano espiritual e colocou em prática as idéias que foram estudadas no mundo espiritual. E ele se perguntava: "Se os seres humanos são irmãos uns dos outros, por que não se amavam através de uma língua universal?" Desse questionamento, despertou-lhe a necessidade de organizar a língua auxiliar internacional Esperanto. A língua é para todos, sem distinção de raça, de cor, nacionalidade, sejamos encarnados ou desencarnados, porque todos nós somos irmãos uns dos outros. Somos seres multidimensionais. Se não sabemos usar ainda a linguagem universal do pensamento, que exige evolução espiritual, temos que estudar a língua universal Esperanto. (t)

[4] Até que ponto não estaremos "dando murro em ponta de faca" ao apoiarmos o uso do Esperanto como língua universal, se já podemos perceber o grande malogro em que esse idioma se tornou? Não seria muito mais produtivo se procurássemos disseminar o Inglês ou Espanhol, que são línguas conhecidas já de tantas pessoas?

Vamos fazer uma pergunta: O inglês já não é a língua internacional? Resposta: Não. Devido a grande influência econômica, científica e tecnológica de países de língua inglesa, o inglês goza hoje de grande prestígio nos países ocidentais. Entretanto, em outras regiões é diferente. Podemos citar o chinês; no leste europeu, o russo; no países árabes, o árabe e o espanhol que é falado em muitos países da América. Entretanto, a História ensina-nos que línguas nacionais não tiveram grande sucesso, devido a natureza humana dos povos falantes. Por isso, o Esperanto é o idioma que reúne todas as qualidades necessárias para desempenhar o papel de língua internacional auxiliar, pois foi criado especialmente para essa finalidade. É de toda a Humanidade e não de uma nacionalidade particular. (t)

[5] Esta linguagem "Esperanto" é uma linguagem simples de ser entendida e aprendida?

Sim. Ela é muito simples e regular. É composta de 16 regras básicas. (t)

[6] Atualmente, o Esperanto está em que colocação, se assim pudéssemos classificar, com relação a sua difusão no Planeta Terra: 4ª, 5ª, 6ª língua (inglês - 1ª, chinês - 2ª, espanhol - 3ª)?

Não temos estatísticas que possam colocar numa ordem particular. Entretanto, a UNESCO reconheceu a utilidade do Esperanto. Há estudos nesse sentido naquele órgão. (t)

[7] Assim como o Espiritismo, o Esperanto surgiu no século passado e ainda não atingiu a maioria da Humanidade. Há motivos para crermos que tanto um quanto o outro serão largamente adotados pela Humanidade do século XXI?

Afirmativo. A adoção do Espiritismo e do Esperanto terá que ser gradual, porque depende da adesão espontânea e sincera de cada ser humano. Ele saber quem é verdadeiramente: um espírito que pensa, que sente e que quer valores superiores de vivência cósmica. (t)

[8] Como poderíamos classificar o grau de dificuldade/facilidade do estudo do Esperanto?

A dificuldade e a facilidade do estudo do Esperanto depende de cada ser humano: ser auto-didata ou freqüentar um curso regular. Isto vale tanto para o Esperanto quanto para os outros idiomas. Podemos citar o exemplo de Léon Tolstoi que aprendeu o Esperanto em cerca de 2 horas. Hoje sabemos que o inglês pode ser aprendido e desenvolvido em cerca de 20 dias, fato que depende de cada ser humano. (t)

[9] No Esperanto, cerca de 60% das palavras possuem radicais greco-latinos e cerca de 30% são de origem anglo-germânica. Os povos asiáticos e africanos terão condições de falar e escrever em Esperanto com facilidade?

Afirmativo. O fato explica-se através de correspondências com os habitantes desses países. Podemos citar um exemplo de um habitante da Guiana Francesa em que perguntou a um amigo em que idioma ele gostaria de conversar: inglês, francês, espanhol ou Esperanto. (t)

[10] Porque a dificuldade de ter que se aprender uma língua nova? Você não acha que o aculturamento do Esperanto se dará também em cada pais?

A necessidade de aprender uma língua nova está no fato da dificuldade de comunicação entre as pessoas. O aculturamento do Esperanto não se dará, porque o Esperanto não deseja substituir as línguas nacionais, mas servir de segunda língua comum a todos para tratar dos problemas mundiais e para os contatos pessoais. O Esperanto atua como um fator de preservação da cultura e da soberania dos povos. (t)

[11] Tendo em vista os notórios problemas raciais no mundo hoje, como admitir que o Esperanto se torne idioma de todas as nações, tendo em vista que os orientais o consideram um idioma ocidental? Como conceber, por exemplo, que os orientais aceitariam a utilização de caracteres tão diferentes de seus próprios, ao passo que para nós seria muito mais conveniente, pois já conhecemos o alfabeto quase todo?

Não é verdade que os orientais consideram o Esperanto como um idioma ocidental, pelo simples fato de que o Esperanto é a língua internacional auxiliar e não é objetivo do Esperanto substituir as línguas nacionais. Podemos citar como exemplo os chineses, os coreanos que estudam o Esperanto e se comunicam com povos de todas as partes do planeta. O que vem atestar o fato de que depende de cada ser humano relacionar-se com os demais povos terrestres. Seja um cidadão universal!!! (t)

[12] Você acredita que o Esperanto deveria ser ensinado em todos os Centros Espíritas? Se afirmativo, teria uma proposta de como se fazer isso?

Sim, o Esperanto deve ser ensinado em todos os Centros Espíritas. Isto está sugerido no livreto "Orientação aos Centros Espíritas". Tanto é que a Federação Espírita Brasileira tem um programa de estudo sistematizado do Esperanto. (t)

[13] Segundo foi afirmado, o Esperanto foi originado no plano espiritual. O palestrante poderia nos informar com mais precisão que comunidade espiritual (há algum nome? 'Comunidade Aperfeiçoada'?), espíritos (superiores, puros, imperfeitos? Alguma ordem deles?), ou ainda uma data em relação ao nosso tempo, por exemplo?

No livro "Memórias de Um Suicida", editado pela FEB, chegou-nos a informação de que nos planos mais elevados do mundo espiritual existe uma Universidade Esperantista. O Esperanto é para todos os seres humanos indistintamente. O futuro é agora! Depende de cada um de nós estudá-lo, ensiná-lo e divulgá-lo. Seja um esperantista no verdadeiro sentido da palavra: universal e fraternal!!! (t)

[14] Um esperantista que viaje pelo mundo afora encontrará associações ou clubes de Esperanto em quantos países no mundo?

Em todos os países encontrará associações esperantistas onde obterá o apoio necessário. Se a pessoa estiver ligada às orientações dos órgãos esperantistas, saberá posicionar-se em sua viagem. A condição de esperantista abrirá muitas portas, porque é inerente ao esperantista a hospitalidade entre si. Podemos citar o exemplo de um americano, que usa o Esperanto, que afirmou: "Durante minha longa viagem pelo mundo, o Esperanto abriu-me inúmeras portas, em sentido literal e figurado. Nesse período de 3 anos, hospedei-me em 150 lares de esperantistas, só precisando de hotel uma única noite!" (t)

[15] Por que quase todas as poucas publicações em Esperanto são de editoras espiritas?

Não é verdade que as "poucas publicações em Esperanto" sejam de editoras espíritas. Há outras editoras que publicam livros em Esperanto. As editoras espíritas, no Brasil, assumiram essa tarefa para suprir a lacuna existente. Entretanto, no planeta existem muitas publicações em Esperanto, que não são de editoras espíritas. (t)

[16] "...para tratar dos problemas mundiais..." Normalmente isso se dá pelos governantes... " “E para os contatos pessoais..." Nossos irmãos que não sabem ler e escrever não tem condição de entrar nesse contexto. De quanto tempo estamos falando para a efetivação desta língua?

Em resposta anterior, afirmamos que: "O futuro é agora." Depende de cada ser humano estudar o Esperanto, ensiná-lo e divulgá-lo a todos os seus irmãos. (t)

[17] No Brasil, há uma forte ligação entre o Movimento Espírita e o Movimento Esperantista. Nos demais países, existe ligação com algum outro movimento doutrinário?

Não só no Brasil, como em outros países. É uma questão de tempo e de compreensão da verdadeira finalidade do Esperanto. O Esperanto é de toda a Humanidade terrestre. (t)

[18] Poderíamos dizer que esta 'região espiritual elevada', onde há uma universidade esperantista, estaria no 7º plano, conforme se fala em algumas obras espíritas?

Não é verdade que algumas espíritas falem da existência de um 7º. plano. Essa linguagem de 7º. plano está relacionada a divulgação dos ensinamentos teosóficos, que precisam passar pelo critério de universalidade: todos os espíritos superiores estejam falando a mesma coisa e não um determinado grupo filosófico-científico-religioso. Há necessidade de melhor aprofundamento do assunto. Saibamos aguardar o tempo oportuno!!! (t)

[19] Por que outras iniciativas de se implantar uma língua internacional, como o Volapuk, fracassaram?

Pelo simples fato de que as suas propostas não eram simples e regulares, pois atendiam somente a um interesse particular de um grupo social. (t)

[20] No livro "Vivendo no Mundo dos Espíritos", o espírito Patrícia nos conta que ali aprende o Esperanto para se comunicar com espíritos de colônias de outras partes, ligadas a outros países de nosso e de outros mundos. Essa afirmativa tem fundamento?

Sim, devido ao fato do problema da linguagem na espiritualidade, pois esse fato decorre da não evolução rápida dos espíritos. Não é possível a um espírito que viveu uma determinada época evoluir subitamente ao passar para a condição de espírito invisível, no mundo extraterrestre. Daí que podemos citar o exemplo do irmão Jacob (livro "Voltei") em que teve que comunicar-se com outro irmão espiritual dos Estados Unidos da América em inglês. (t)

[21] Já que toda a Europa fala inglês, o Esperanto não seria mais necessário para uso no Terceiro Mundo? Sendo assim, não mudaria o seu significado de universal?

Partamos do seguinte fato: o Esperanto é de toda a Humanidade. Essa é uma condição universal. Querer que o seu uso seja somente de um grupo de nações é desnaturar a sua verdadeira finalidade. É uma questão de tempo para todos os povos da Terra estudá-lo, ensiná-lo e divulgá-lo!!! (t)

[22] Pode o Esperanto contribuir para a paz mundial?

Sim, pois o esperantista é um ser pacífico em potencial e de ação. Sejamos pacíficos e pacificadores. Depende de nós a paz!!! (t)

[23] Há alguma possibilidade de o Esperanto vir a ser ensinado nas escolas, no ensino oficial?

Sim. Depende dos governantes e da sociedade como um todo. Podemos citar o exemplo da cidade de Goiânia, onde o Esperanto está sendo ensinado nas escolas. (t)

Considerações finais do palestrante:

Agradecemos a todos os participantes desta Palestra Virtual e espero ter sido claro, objetivo e preciso nas respostas. Que o Pai Celestial abençoe a todos os nossos irmãos do nosso planeta! La paco de Jesuo estu en la koro de niaj karaj gefratoj! (A paz de Jesus esteja nos corações dos nossos queridos irmãos!) Dankon!!! (Obrigado!!!). Aproveitamos a oportunidade para divulgar alguns endereços do Esperanto na Internet:

Associação Universal de Esperanto: http://www.cs.chalmers.se/~martin/Esperanto/uea.html / uea@inter.nl.net
Liga Brasileira de Esperanto: http://www.brnet.com.br/bel/bel / bel@brnet.com.br

Associação Esperantista do Rio de Janeiro: http://www.geocities.com/athens/oracle/8337 /aerj@infolink.com.br
Organização Mundial de Jovens Esperantistas: http://www.dsl.animi.it/users/students/castleg/iej.html
Centro Cultural de Esperanto de Campinas: http://www.aleph.com.br.80/kce.
Páginas Amarelas do Esperanto: http://www.cs.chalmers.se/~martin/Esperanto/flavaj-pagxoj.html

Mais uma vez, obrigado a todos! (t)

Poderia colocar em Esperanto a oração "Pai Nosso" antes da prece final?

Pois não:

Patro nia, kiu estas en la c^ielo, Via nomo estu sanktigita! Venu Via regno! Plenumig^u Via volo, kiel en la c^ielo, tiel ankau sur la tero! Nian panon c^iutagan donu al ni hodiau. Kaj pardonu al ni niajn s^uldojn, kiel ankau ni pardonas al niaj s^uldantoj = Pardonu al ni niajn ofendojn, kiel ankau ni pardonas tiujn, kiuj nin ofendis. Kaj ne konduku nin en tenton, sed liberigu nin de la malbono. Tiel estu. (t)

Oração Final:

Nosso amado Pai, obrigada por mais esta oportunidade de nos instruirmos. Nos faca grandes e fortes para que possamos abraçar Vossas causas. Nos faça humildes para que possamos aprendê-las e respeitá-las também. Somos Vosso instrumento e pelo instrumento, aplicamos as leis de Vossa grande obra: O Amor e a Caridade! Que assim seja.



segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Palestra Virtual Tema: Divulgação Espírita

Palestra Virtual

Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br



Tema: Divulgação Espírita


Palestrante: Alamar Régis

Salvador

Organizadores da palestra:

Moderador: "jaja"(nick: |Moderador|)
"Médium digitador": Alamar Régis (nick: Alamar-BA)

Oração Inicial:

Senhor Jesus, amigos espirituais, mais uma vez, agradecidos estamos, pela grande oportunidade do aprendizado edificante, pela oportunidade da confraternização, em especial, pela oportunidade da vida, da reencarnação. Pedimos, Mestre amado, que o Senhor proteja sempre os irmãos que estão em sofrimento, em ambos os planos. E que possamos de alguma forma, também ajudar. E que nesta noite bendita, Senhor, nos concentremos no aprendizado, e que este mesmo aprendizado possa ser transmitido para os que não puderem aqui estar, por motivos diversos. Só temos que te agradecer por tudo. Esteja conosco, querido Amigo e, em especial, com o nosso querido amigo Alamar. Graças a Deus :)

Considerações iniciais do palestrante:

O meu boa noite e o abraço aos amigos do canal. Agradeço, antecipadamente, a todos pela atenção que me é dedicada para que eu possa dar conhecimento do MACRO PROJETO DE DIVULGAÇÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA, respondendo às perguntas de todos. Peço que fiquem à vontade, quanto ao tipo, modelo e estilo de perguntas que desejarem formular. Em primeiro lugar, porque sou afim com a divulgação da Doutrina, coisa que, infelizmente, poucos espíritas são. Depois, procuro utilizar os meios de comunicação disponíveis, sem ter medo das palavras EMBRATEL, SATÉLITE, INTERNET etc, procurando fazer veículos competentes e não pequenos jornais com o papel pior que existe, para dar impressão de humildade (t)

Perguntas/Respostas:

<||Moderador||> [1] Dentre todos os meios utilizados para a divulgação da Doutrina Espírita, como livros, congressos, simpósios, a mídia em geral, qual, na sua opinião, atinge o maior número de pessoas?

Sem dúvida nenhuma, aquela que todos comprovaram ser a mais eficiente: A TELEVISÃO. (t)


<||Moderador||> [2] Alamar, como podemos, de maneira satisfatória, divulgar a Doutrina Espírita?

Já respondi isto. Utilizando os meios disponíveis, sem medo da tecnologia e sem falsa humildade. (t)

<||Moderador||> [3] Como o Esperanto pode influir para a divulgação da Doutrina Espírita, já que esta linguagem é uma das bandeiras da Doutrina Espirita?

Com respeito ao Esperanto, eu também reconheço a sua beleza e a sua importância para o mundo. Todavia, quando vou aos Estados Unidos, por exemplo, não vejo o menor interesse do americano por essa língua tão importante. Eles querem que o Inglês continue sendo a linguagem universal. Darei espaço sempre para o Esperanto, mas, sinceramente, não estou vendo perspectivas de sucesso no mundo. (t)

<||Moderador||> [4] A tecnologia, sem dúvida, é uma grande aliada da divulgação da doutrina espírita, não acha? Quais as perspectivas com relação á divulgação por meios tecnológicos, como, por exemplo, o computador, os satélites, etc?

Sem dúvida alguma, o computador é excelente e os satélites são a realidade das comunicações. Acontece que a comunicação por computador, neste método que estamos utilizando agora, por exemplo, ainda é um meio muito lento, que requer muita paciência por parte das pessoas, dependendo muito da velocidade de digitação do entrevistado. Não sei como ficará no futuro. Com a melhora do IPHONE, por exempo, e do VIDEO FONE. Será bem melhor. (t)

<||Moderador||> [5] Qual é o momento mais adequado para esta divulgação?

Agora. Muitos espíritas dizem que ainda não é hora de termos uma rede de televisão, mas não dizem que solução devemos dar para milhões de suicídios e abortos que acontecem por aí, e que poderiam ser evitados por esclarecimentos obtidos pela TV. (t)

<||Moderador||> [6] Sabemos que para todo e qualquer empreendimento de envergadura, precisa-se de capital para se obter os resultados esperados. Como você pretende obter recursos necessários para colocar no ar, durante 24 horas, o programa “Espiritismo Via Satélite”, já que nossa Doutrina não comunga com as formas usuais de obter dinheiro como fazem diversas outras Religiões?

Será uma televisão, e também uma rádio, como outra qualquer, com espaços comerciais, veiculando comerciais normais, como, por exemplo, Sandálias Havaianas, biscoitos Nestlé, Parmalat, Pneus Firestone, Pirelli e Good Year, sandálias Rider, Guaraná Antarctica etc. É claro que teremos a nossa ética e não permitiremos, jamais, dizer que a aguardente é uma boa idéia, nem que o cigarro leva alguém ao sucesso. Jamais apelaremos para dízimos, também. (t)

<||Moderador||> [7] Alamar, concordo quando diz que a TV é o maior veículo de divulgação. Sendo assim, por que não tentarmos patrocínios para a realização de palestras televisivas? Qual é a principal dificuldade?

Dificílimo. Em primeiro lugar, o anunciante comum nos vê como religiosos cheios da grana. Se dependermos do empresário espírita, aí o problema é pior. Ele não ajuda mesmo, porque tem vergonha de veicular o nome da sua empresa com um programa espírita. Não sei porque os espíritas tem essa vergonha que os protestantes e os católicos não têm. Conseguir patrocínios é difícil. Tem também o agravante de não podermos anunciar produtos que não condizem com a moral espírita, como bebidas, cigarros etc. Fica muito pouco para trabalharmos. É uma luta dificílima. Poderíamos contar com as editoras espíritas, mas elas nos vêem como concorrentes. É um absurdo! (t)

<||Moderador||> [8] Em determinado Congresso de Divulgadores da Doutrina Espírita - ADE-PE, falei que um modo útil de também divulgar nossa Doutrina, era imprimir os livros básicos - (LE, ESE, GEN, LM, CI) em brochuras bem baratas, e distribuir em hotéis, gratuitamente, como fazem os Gideões. A idéia é copiada, mas copiamos o melhor, você concorda?
Depende da tradução das obras básicas. Existe uma aí que representa um verdadeiro desrespeito ao pensamento de Kardec, devido aos absurdos verificados. Não convém falar o nome da Editora e do tradutor, para não fugir a ética. Mas quem estuda a Doutrina com responsabilidade pode notar. A idéia é boa, sim. (t)

<||Moderador||> [9] Amigo Alamar, sabemos que o movimento espírita, na França, hoje, não está como no Brasil. Por que motivo?  Seria falta de divulgação (Não só na França, mas nos EUA também)?

Por causa do boicote cultural que fizeram para com o Espiritismo. Houve ordens do Governo Francês, atendendo a pressão da Igreja, para congelar o nome de Kardec. Hoje, a coisa está mudando. Graças ao trabalho do Roger Perez, o movimento tem crescido muito na França de 1997 para cá. As perspectivas são as melhores possíveis. (t)

<||Moderador||> [10] Podem as outras religiões abafarem a divulgação espírita?

Só vejo um meio disso acontecer. Se os espíritas continuarem a se agredir do jeito que estão. A fofoquinha, os melindres e as raivinhas no movimento espírita constituem-se um péssimo exemplo. Os boicotes, o fato de muitos se julgarem mais entendidos que os outros e a falsa humildade estão fazendo o relacionamento entre os espíritas se tornar vergonhoso, lamentavelmente. Este é o único meio das outras religiões abafarem a divulgação do Espiritismo. Fora isso, não tem jeito. O nosso crescimento será inevitável. Ainda dentro desta questão, estou dando um duro danado, para fazer, SOZINHO, este grande projeto. Muitos espíritas fingem que não vêem. Se todos dessem as mãos, esta TV já estaria no ar. Mas ficam imaginando uma porção de bobagens, procurando pulga em cabeça de minhoca. (t)

<||Moderador||> [11] Além da nossa conduta, que meios podemos utilizar para divulgar a Doutrina nas camadas menos favorecidas e sem instrução da sociedade?

Acho que, em primeiro lugar, a CONDUTA. O exemplo vale sempre mais que mil palavras. Depois, apenas falarmos a linguagem deles. O que acontece é que há muito espírita dando uma de intelectual na tribuna, querendo falar difícil e ninguém entende nada. Aí me criticam, porque utilizo uma linguagem popular. Muita gente gosta de mim, porque todo mundo entende o que eu quero dizer. Não gosto do Espiritismo de exibicionismo cultural. (t)

<||Moderador||> [12] Poderiamos usar telenovelas espíritas para melhor divulgarmos a Doutrina na TV?

Sem dúvida alguma, é o meio mais eficiente de fazer a mensagem chegar às pessoas menos cultas. Todo mundo consegue prestar atenção em novelas. Qualquer pessoa consegue contar um capítulo de novela, do dia anterior, detalhe a detalhe. O problema, é que um capítulo de novela custa caro demais. Literatura para isso no Espiritismo não falta. É uma riqueza impressionante. (t)

<||Moderador||> [13] Alamar, você concorda que a divulgação da Doutrina Espírita também dever ser realizada dentro do mundo dos espíritos, pois sabemos que lá muitos desencarnados ainda não conhecem esta doutrina de consolação. É um campo de atuação diferente, mas necessária, pois assim, muitos desencarnados compreenderiam sua atual situação? E sabemos que lá o número de assistentes é bem maior que aqui neste plano de encarnados. 

Concordo. Acontece que os desencarnados também vêem televisão. Eles não vêem somente as nossas caras e ouvem as nossas preces na hora do trabalho mediúnico, não. Não podemos esquecer que eles estão mais vivos do que nós. Vale lembrar que a tecnologia da televisão veio do mundo espiritual. (t)

<||Moderador||> [14] Não seria umas das dificuldades sobre a divulgação da Doutrina a analogia que fazem, por desconhecimento, com o Umbandismo?

Vocês não imaginam o quanto estou conseguindo esclarecer estas diferenças com o programa “Espiritismo via Satélite”. Tenho vários pastores e pessoas protestantes como telespectadores do meu programa. É impressionante o número de pessoas que ficam encantadas em tomar conhecimento do verdadeiro e único Espiritismo. Muitos dizem: "Impressionante, eu imaginava uma coisa totalmente diferente". Um médico de São Paulo, há dois meses, me telefonou e disse-me que antes achava espiritismo "caso de polícia", mas, de repente, encontrou a revista “VISÃO ESPÍRITA” na sala de espera de um consultório de um colega, e percebeu que o Espiritismo nada tinha a ver com o que ele imaginava. Agora é nosso assinante. Isto é bom demais. O relato é grande demais, sobre as experiências que tenho nesta área, com o programa e a revista. (t)

<||Moderador||> [15] Alamar, concordo que é necessária a divulgação do Espiritismo, mas, ultimamente, está se dando muito mais ênfase à divulgação que a pratica da caridade, que creio ser um bandeira maior e a caridade tem que ser imediata, é mais premente. Você poderia falar a respeito?

Emmanuel: "A maior CARIDADE que podemos fazer em relação à Doutrina Espírita é a sua divulgação.” (t)

<||Moderador||> [16] Amigo Alamar, o que pensas do Movimento Espírita Português? Em teu projeto está incluído Portugal? Em caso afirmativo, como?

Serei um dos conferencistas no Congresso Mundial, no salão 1. O pessoal de Portugal me tem um carinho muito grande. Eles me escrevem muito e adoram meu trabalho. Claro que, depois que colocarmos o canal no ar, aqui no Brasil, partiremos para mandar a programação para Portugal. Tenho a amizade da mulher mais poderosa daquele país, dona Fernanda Pinto, que é uma das donas da maior rede de televisão de lá, inclusive sócia do Dr. Roberto Marinho da Globo. Ela é espírita. Um amor de pessoa. Vamos nos entrosar muito bem. E Portugal faz parte dos meus sonhos. (t)

<||Moderador||> [17] <{SweetHeart> A divulgação da Doutrina fica complicada. Os evangélicos colocam nas cabeças das pessoas mais humildes que Espiritismo é a religião do diabo e coisas assim. Não haveria um meio de acabar com essa difamação?

Em primeiro lugar, pobres de espírito existirão sempre. Pessoas ignorantes, sem capacidade de raciocinar existirão sempre. A maior força para tornar sem efeito a pregação desses pastores, em relação ao Espiritismo é o COMPORTAMENTO DOS ESPÍRITAS, a BOA CONVIVÊNCIA ENTRE OS ESPÍRITAS. Depois, é só utilizarmos, também, a televisão, para dizer o que o Espiritismo é e também o que ele não é, como eu estou fazendo. Tenho telespectadores da Igreja Universal, que adoram o meu programa, e até estão querendo "quebrar o pau" lá dentro, achando que foram enganados por eles. Eu que tenho que levá-los no papo, para dizer que não precisa quebrar pau nenhum, não. A minha experiência nesta área tem sido maravilhosa. O exemplo dos espíritas, representará o futuro do Espiritismo. (t)

<||Moderador||> [18] Devemos intensificar a evangelização das crianças para melhorar a divulgação da Doutrina?

PRIORIDADE! PRIORIDADE! PRIORIDADE! Só não podemos fazer esse Espiritismo "triste" e de cara fechada que muitos andam fazendo aí, para dar impressão de humildade. Precisamos brincar com as crianças, educando-as, conforme a ótica espírita, em locais bonitos, e não em Centros Espíritas horríveis, com lâmpadas fracas, que dão sono em qualquer um, e com as paredes pintadas com as tintas mais vagabundas que existem. (t)

<||Moderador||> [19] Alamar, o que o senhor acha dos artigos agressivos dentro dos jornais espíritas em nome da defesa da verdade?

Uma vergonha. Eu costumo usar muita energia em algumas respostas e algumas matérias em minha revista e no programa, principalmente para responder a alguns detratores, mas jamais utilizando da AGRESSIVIDADE que muitos utilizam, principalmente para atacar os próprios companheiros de Doutrina, como vejo nos jornais espíritas. A agressão aos que lêem Roustaing, por exemplo, é uma vergonha. Não sou roustainguista, mas acho um absurdo o que fazem com o direito que os outros têm de ler o que quiserem. Ninguém tem o direito de patrulhar o livre-arbítrio de ninguém. Não gosto das agressões da imprensa espírita. Por isso que não entro nessa. (t)

<||Moderador||> [20] <{SweetHeart> As pessoas mais humildes acreditam nas calúnias que os pastores falam. Não há como pará-los?

Vejo isto como uma verdadeira omissão por parte dos ADVOGADOS ESPÍRITAS. É a tal mania de fingirem HUMILDADE. A lei nos dá o DIREITO DE RESPOSTA. Por que os espíritas não o utilizam? São essas covardias e essa omissão que eu não aceito no meio espírita. Poderíamos muito bem dar as respostas, sem necessariamente agredirmos, revidarmos e usarmos os mesmos instrumentos de calúnias e difamações. Falta mais coragem e boa vontade entre os espíritas. Não sei porque não dão à Doutrina o que ela merece, que é a sua defesa. (t)

<||Moderador||> [21] Como participar e ajudar no projeto da TV Espírita? Qualquer pessoa pode ajudar?

Boa pergunta. Precisamos demais de ajuda. Mas muito mesmo. Hoje, por exemplo, chorei dentro da EMBRATEL para pagar, em espécie, um mês que eu tinha atrasado. Eles quiseram tirar o sinal do programa deste domingo do ar. Já tentei pedir ajudar aos espíritas por três vezes, e todas as vezes reagiram da seguinte maneira: "Então, você inventa as suas maluquices, as suas manifestações obsessivas, e quando enfrenta as dificuldades, vem recorrer aos espíritas?" De repente, coloquei o “rabinho entre as pernas” e não mais pedi ajudar a ninguém do meio espírita. O Dr. Hernani Guimarães Andrade, telespectador assíduo do meu programa de todos os domingos, que se diz o “TELESPECTADOR NÚMERO 1”, faz campanha para que os espíritas ajudem o projeto, e, na verdade, existem umas seis ou sete pessoas no Brasil que nos dão uma "pontinha", entre elas o próprio Dr. Hernani, que nos ajuda com R$ 100,00 todos os meses, mas é coisa rara. Não chega nem a R$ 1.000,00 no total. Tenho receio de pedir qualquer ajuda aos espíritas. Primeiro por estas razões, segundo porque o espírita não costuma mesmo ajudar a casa, principalmente na divulgação. (t)

<||Moderador||> [22] Conheço a Matilde Mastrangi, que fez a peça "Além da Vida", aqui em São Paulo, no Teatro Paiol. Ela pediu para sair, pois as pessoas que faziam a peça bebiam, fumavam durante a encenação. Será que vale a pena divulgar o Espiritismo assim? Ou só os puros podem fazê-lo? Qual a medida, amigo?

É aquele negócio: O exemplo vale mais que mil palavras. A Matilde tá certa. Eu também faria o mesmo. Não é fácil passar uma imagem na teoria e na prática ser outra. É como a CARIDADE dos espíritas, que são uma coisa na tribuna dos Centros e outra na vivência do dia-a-dia, salvo raras exceções. (t)

<||Moderador||> [23] Noto que as pessoas menos favorecidas pouco procuram os Centros. A que você atribui esse fato?

Ao exibicionismo de determinados palestrantes. Quem tá na pior, quer um lugar de alegria, de paz, onde possa se sentir melhor. Na maioria das casas espíritas, não tem nem recepção e, quando tem, vêm aquelas pessoas com caras de santos fingidos, tristes, falando manso (teatralmente) para dar impressão de humilde, e mandando que as pessoas leiam, leiam e leiam, num verdadeiro mercado persa de apenas vender livros. Tá certo que temos que incentivar a leitura, não há dúvidas. Mas o exagero da venda do livro, em busca do lucro, na casa espírita, está demais, gente!!! Deveríamos ter uma pedagogia mais eficiente, para medirmos as pessoas, pela sua (pelo menos aparente) condição inicial, a fim de dosarmos melhor o que recomendaremos para elas, inicialmente. (t)

<||Moderador||> [24] Haverá tempo hábil para colocar a TV até final de outubro no ar?

Só por milagre! Mas estou acreditando. Não vai ser fácil, mas estou fazendo de tudo. Vamos ver no que dá. Nem que eu tenha que colocar gente ao vivo, batendo papo o dia inteiro, falando sobre vários assuntos, dentro da visão espírita, pretendo colocar. Quero ver se os espíritas acordam. (t)

<||Moderador||> [25] Alamar, como sabemos, a Natureza não dá saltos, por que não seguir este bom exemplo: Ultimamente tenho lido muita exacerbação na divulgação da Doutrina Espírita, como apelos comerciais do tipo que fazem alguns evangélicos. Você não acha que realmente está havendo muita corrida para a divulgação, esquecendo-se muitas vezes da mensagem maior do espiritismo, como a humildade, o silêncio, etc.? 

Não concordo, de jeito nenhum. Acho esta colocação absurda e cômoda demais. Enquanto isto, os suicídios estão acontecendo aí, aos milhões, muito mais do que o que é divulgado e os espíritas ficam aí, na sua "humildade", na sua "paciência", esperando, não se sabe até quando. Isto é comodismo demais. Isto é preguiça. Acho que os espíritas deveriam se mirar um pouco mais. Puxa vida! Se um cara só, um homem só, está fazendo o que este cara está fazendo aqui na Bahia, por que não convidamos vários para fazerem muito mais? Isto é comodismo, e até omissão irresponsável dos espíritas. É muito fácil dizer que não é hora ainda. É muito fácil mandar esperar. E se o suicida fosse um ente querido seu, por falta de esclarecimento? O que você faria? Vocês não tem idéia da quantidade de suicídios e abortos que o meu programa conseguiu evitar. Tem gente que viaja até Salvador para cometer verdadeiros exageros, só faltando me santificar, ou santificar também um entrevistado do meu programa que disse uma coisa, num desses domingos, que lhe fez retirar o revólver do ouvido. Ainda vamos deixar para depois? Essa não! Não farei parte, jamais, dos espíritas comodistas e EGOÍSTAS, que só querem a luz para eles. Longe de mim. (t)

<||Moderador||> [26] Alamar, você já tentou algum contato com TVs por assinatura?

Já sim. Mas o que eles mais querem são programações com MUITA VIOLÊNCIA, ou sexo explícito. Aí eles pagam uma fortuna. Programação com mensagens de Paz, Coerência, Não violência, não interessa para eles. (t)

<||Moderador||> [27] Amigo Alamar, como você vê a divulgação do Espiritismo fora do Brasil?

Ainda está fraca demais. Porque a maioria dos espíritas fora do Brasil, tem origem aqui, e aprenderam com os ESPÍRITAS OMISSOS, com os pregadores da "humildade", do "ainda não é hora disso" e coisas parecidas. Tá fraco demais! Eu tive que ir aos Estados Unidos, para realizar a 1ª Semana Espírita de New York. (t)

<||Moderador||> [28] Três perguntas relacionadas: Alamar, assisti, certo domingo, às 17:00 horas um programa espírita no qual uma médium incorporava Francisco de Assis, outra pintava quadros de Rembrant e outros famosos, vendendo quadros a preços acima da realidade, através da chamada doação, e tive a sensação de embuste. Você não acha que a divulgação deveria ser mais disciplinada, pois este fato denigre a imagem do Espiritismo? O que você acha das manifestações mediúnicas na TV? E as operações espirituais na TV, seriam sérias?

Problema também da OMISSÃO DOS ESPÍRITAS. O pessoal do SBT, da Globo e de outras, cansaram de convidar os grandes expositores espíritas para se fazerem presentes lá e muitos recusam o convite. Por incrível que pareça, isto é verdade, gente. Aí colocam qualquer um lá, que termina por falar besteiras. Está havendo muito sensacionalismo, de fato, com a questão da imortalidade, muita gente está aproveitando o embalo para se colocar em evidência. E os espíritas, estão fazendo o que? Poderiam muito bem estar lá. É por isso que estou aqui, com um programa nacional e uma revista circulando em todo o Brasil, procurando dizer o que, VERDADEIRAMENTE, É O ESPIRITISMO, mesmo recebendo críticas de alguns espíritas. (t)

<||Moderador||> [29] Alamar, gostaria de ajudar à TV, ainda que com pouco. Como posso fazê-lo?

Antes de mais nada, muitíssimo obrigado pela sua sensibilidade. Se possível, passe um e-mail para nós, dizendo como você pode ajudar. Nosso e-mail é: seda@svn.com.br ou, para mim: alamar@svn.com.br. Em, seguida conversaremos detalhadamente. Obrigado, mais uma vez, pela sua sensibilidade diante da causa. (t)

<||Moderador||> [30] Como ambos vamos ser Congressistas-Expositores do 2ºCEM, como vês este evento para a Humanidade?

De raríssima importância! Portugal vai dar um exemplo de Luz para a Europa e o mundo. Representará um grande passo para a arrancada do Espiritismo na Europa. Deus salve os Portugueses! (t)

<||Moderador||> [31] Alamar, o senhor acha que o movimento espírita deste final de milênio está ficando muito católico? Cada um dos dirigentes querendo impor sua verdade, mandando na vida dos membros dos centros? Me parece uma queixa geral.

Você tem razão. Existem muitos "donos de Centros Espíritas" e "donos da verdade". É impressionante como isto acontece. Mas não é só hoje, não. Desde os primórdios da Doutrina, esses caciques existem, lamentavelmente. O negócio é não dar bola para eles, como eu não dou. Vamos fazer a nossa parte. Deixem eles fazerem o que quiserem. Não temos porque nos submetermos aos caprichos de ninguém. Tem gente que não consegue ser eleito nem síndico de edifício, e quando consegue chegar à direção de um Centro Espírita, não deixa de exibir a sua "autoridade" fajuta. É uma vergonha. (t)

<||Moderador||> [32] Amigo, a 2ª revelação teve uma divulgação por parte dos primeiros cristãos; que beirava o sublime, Livia, Célia, Estevão, etc. O que falta para nós, primeiros divulgadores da 3ª revelação? Nós é que falhamos? Ou é assim mesmo? Ou somos espíritos de uma estirpe inferior àqueles da 2ª revelação?

O nosso problema é o COMODISMO e a OMISSÃO! A Omissão é um dos maiores pecados do mundo. Acredito que muitos espíritas serão chamados a prestar contas. O que você fez dos TALENTOS que lhe foram dados? Não é possível, gente, que deixemos tanta gente se matar, por causa da ignorância, e ficamos aqui de braços cruzados, sem lhes dar a luz! Isto é uma VERGONHA. Muitos espíritas deveriam se mancar um pouco mais. isto é EGOÍÍÍÍSSSSMOOOOO!!! Jesus não estava brincando, quando sugeriu que a LUZ DEVE SER COLOCADA NO VELADOR E NÃO DEIXADA SOB O ALQUEIRE!!! Ele não costumava viver de gozação, gente!!! Ele tem razão. Chega de OMISSÃO! (t)

<||Moderador||> [33] Alamar, algumas pessoas acham que os artigos da Revista precisam ser melhorados. Tem conhecimento disso? Tem planos traçados para uma maior divulgação da Revista?

Amiga querida, jamais esta ou qualquer outra revista, em qualquer lugar do mundo, feita até por Jesus, alcançaria um nível para não ter quem a criticasse. Sempre alguém vai achar que precisa melhorar, sempre, sempre. É dificílimo agradar o espírita. Ele critica demais. É impressionante! Só os que fazem sabem o trabalho que dá. (t)

<||Moderador||> [34] Alamar, e o que a Espiritualidade diz sobre essa relação omissão/coragem na divulgação da Doutrina?

A Espiritualidade deixa muito claro a questão da prestação de contas no mundo espiritual. A parábola dos talentos, acredito, responde esta pergunta. (t)

<||Moderador||> [35] Alamar, venho constatando que a Igreja Católica tem procurado se aproximar dos espíritas através de movimentos carismáticos. Não seria a hora de procuramos apertar este laço como forma de divulgação do Espiritismo ?

Sem dúvida alguma! Maravilhoso. Acontece que tem gente que me critica quando eu coloco Dom Lucas Moreira Neves, na revista. Os espíritas hoje são mais radicais do que tudo. Há muito "espírito armado" no meio espírita. Há muita discriminação, por causa de RÓTULOS religiosos. Isto é lamentável. Tenho ganho muitos amigos padres e pastores, com o meu programa. Existem padres que se reúnem num convento, diante de uma televisão, para verem meu programa. Existem várias freiras também. Conheço freiras que, depois que passaram a assistir meu programa, estudam a Doutrina Espírita. Hoje conhecem as obras básicas mais que a maioria dos espíritas. Conheço um grupo de freiras em Belém, que conhece inclusive os livros "Céu e o Inferno" e a "Gênese", livros esses que fazem parte da codificação e que são  DESCONHECIDOS POR 80 POR CENTO DOS ESPÍRITAS!!!! Falta de conscientização do que realmente representa a FRATERNIDADE e as RELAÇÕES HUMANAS E ESPIRITUAIS. Lamentável! (t)

<||Moderador||> [36] O que o sr. acha quando um trabalhador que produz muito em termos de divulgação, que é querido e, por isso mesmo, é perseguido pelos companheiros espíritas? O que ele deve fazer? Desistir, "baixar" em outro centro?

Em primeiro lugar ele será sempre VÍTIMA DA INVEJA! Todo incompetente gosta de perseguir quem produz alguma coisa. Pela minha experiência, já medi todos os que criticam o meu trabalho. Impressionante esta verdade científica: NUNCA PRODUZIRAM ABSOLUTAMENTE NADA!!! É e será sempre assim. A competência e o talento incomodam, não apenas na área espírita, mas em todas as áreas. Lamentavelmente. (t)

<||Moderador||> [37] Por que não fazer uma campanha abrangente para a conquista da TV Espírita?

Já tentei, minha irmã. Já mandei e-mail para mais de 500 endereços, já mandei milhares de correspondências para inúmeros centros, Federações, Uniões etc. Ninguém dá a menor bola. Podendo postar-se na preguiça e na omissão, por que ajudar um "maluco" que ama a Divulgação da Doutrina? Problema da omissão. (t)

<||Moderador||> [38] Por que você não traz para seu programa nosso amigo Frederico de Menezes ou Raul Teixeira? Estes grandes amigos muito contribuiriam para a divulgação.

Já os convidei várias vezes. Inúmeras vezes. Amo os dois e os acho maravilhosos. O problema é a disponibilidade de tempo deles, ou de vontade, talvez. (t)

<||Moderador||> [39] <{SweetHeart> Existe um programa de rádio em que um casal fala sobre alguns temas espíritas. Não deixa de ser um meio mais acessível para as pessoas mais simples, não?

O rádio não é sinônimo de veículo para pessoas mais simples. Nos casebres, mais pobres, das favelas, vimos televisões, até mesmo coloridas. Tenho visto televisão, até com controles remotos, em casas paupérrimas que não tem mesmo nem um bom fogão para fazer comida. Até antena parabólica nós encontramos nas cidades do interior. Mas não resta dúvida de que o rádio é também eficiente. (t)

Considerações finais do palestrante:

Só peço aos amigos espíritas que reflitamos todos na realidade que o Espiritismo tem vivido, desde o seu começo. Allan Kardec sofreu com as desconfianças daqueles que deveriam mais estar ao seu lado, na Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. Luis Olympio Teles de Menezes, o grande bandeirante, que trouxe o Espiritismo para o Brasil, ao menos é conhecido pela maioria dos Espíritas. Sofreu muito a desconfiança e até a calúnia dos espíritas. Bezerra de Menezes sofreu muito a desconfiança dos espíritas, que achavam que ele estava a fim de tirar PROVEITO POLÍTICO dos espíritas, quando propôs trabalhar pela FEB. Chico Xavier recebeu CUSPARADA NA CARA, pelos próprios espíritas, quando recebeu o livro “Nosso Lar”. Passou 15 anos para ser aprovado. Hoje é venerado por todos os Espíritas. Deolindo Amorim recebeu fama de PRESUNÇOSO no Rio de Janeiro, quando propôs a criação do Instituto Brasileiro de Cultura Espírita. Divaldo foi tido como plageador de Chico. Por que os espíritas sempre agem assim? Por que tanto espírito armado? O que será isso? Inveja ou demonstração da incompetência de muitos? Lamentável, gente, mas precisamos desarmarmo-nos enquanto espíritos. Até quando isto vai acontecer? Até quando Pedro vai continuar perseguindo Paulo, na divulgação do Cristianismo? Continuarei meu trabalho, independente do que vão achar os Espíritas. Sei o que vou sofrer, por causa disso, mas estou pronto, como sempre , para a luta. Obrigado pela atenção de todos. Um beijão e votos de Paz. (t)


Oração Final:

Querido PAI, Mestre Jesus, é com muita alegria no peito que observamos as grandes possibilidades de divulgação desta abençoada doutrina, que tanto pode consolar e tantos males evitar. Te rogamos, Mestre querido, a proteção a todos aqueles que lutam com esforço sincero e devotamento para levar ao conhecimento do maior número de pessoas os teus ensinamentos. Que a divulgação da Doutrina Espírita seja a prioridade de cada um de nós que podemos fazer muito mais do que podemos supor, basta querermos. Fica conosco, Mestre, e, mais uma vez, te rogamos força para lutarmos contra o nosso desânimo, preguiça, acomodação, podendo, assim, seguir a recomendação de Erasto, no Evangelho Segundo o Espiritismo: "IDE e Pregueis. Espíritas, sois os Escolhidos de Deus..." Que assim seja! Graças a Deus!


https://chat.whatsapp.com/J9FGsT8kkxyD0MzYfe1J32

sábado, 19 de novembro de 2016

*O LIVRO DOS ESPÍRITOS* Estudo de: Eurípedes Kühl *1.5 – Temor da morte - (questões 941 e 942)*

*O LIVRO DOS ESPÍRITOS* Estudo de: Eurípedes Kühl

PARTE QUARTA - Das esperanças e consolações

CAPÍTULO I — DAS PENAS E GOZOS TERRENOS - (questões 920 a 957)

*1.5 – Temor da morte - (questões 941 e 942)*


Temer a morte expõe desconhecimento da imortalidade do Espírito e das vidas sucessivas. Educação infantil veiculando a existência de céu e inferno fará com que, na fase adulta, o homem que viu e vê tantos dissabores no mundo (nunca nos esquecendo que estamos num “mundo de provas e expiações”) terá mesmo arraigado à mente o medo de morrer... e de ir para o inferno.


O justo e caridoso jamais abriga receio de morrer. A fé no futuro o ampara.
O que se entrega aos prazeres mundanos bem cedo se depara com a temporalidade deles e aí sua alma se desgoverna diante do desconhecido para o qual a vida física inexoravelmente lhe conduz: a morte.

*1.6 – Desgosto da vida. Suicídio - (questões 943 a 957)*


A ociosidade responde pela maioria das pessoas que se desgostam da vida.


O trabalho, ao contrário, é forte antídoto contra essa fraqueza.


A Vida é supremo bem e dela só há um dispenseiro: Deus! Assim, só a Ele assiste direito sobre ela. A transgressão desse direito caracteriza, ou insensatez ou loucura, humanas. Pensar que a morte abre as portas para vida melhor: outra loucura.

Se o suicídio foi fomentado (e nós espíritas não desconhecemos que via de regra isso acontece, quando não por parte de encarnados, seguramente sob infeliz assessoria de desencarnados...) os que o aconselharam ou induziram pagarão caro por isso. Conquanto o suicida não deixe de ser um transgressor das Leis Divinas, perante a Justiça Maior aqueles são considerados assassinos.

Fugir da vida, deixando-se morrer de fome por causa de penúria, ou para livrar-se de vergonha pública, expõe fragilidade moral no primeiro caso e império do orgulho, no segundo.

São tantas as hastes do “leque suicídio” que somente mesmo Deus pode ajuizar e abrandar culpa, já que conhece integralmente a intenção do suicida.

Não expor a si mesmo ou aos familiares à vergonha e fugir da vida caracteriza que esse infeliz mais contemplou o apreço terreno, em detrimento do celestial.

Perder a vida objetivando unicamente salvar a de outrem expõe grandeza espiritual.

OBS: Tal fato pode acontecer em duas hipóteses: num ato reflexo, como por exemplo na iminência de um acidente com alguém, ou, num segundo caso, após demorada reflexão; mas será sempre prudente ajuizar que ao invés de tal sacrifício melhor seria prestar atendimento com sua vida e não com sua morte.

Paixões e vícios que levem à morte, que claramente não ocorreria se inexistissem, caracterizam suicídio moral, ou suicídio indireto. De minha parte considero que se pode, ademais e com segurança, enquadrar todos os excessos nessa categoria.

A eutanásia, em qualquer circunstância, não tem amparo nas Leis de Deus. Sua prática acarretará culpa para os agentes e, eventualmente, para o que a solicitou ou mesmo a aceitou, passivamente. E toda culpa requer reparação...

*OBS: Faço e abro aqui uma reflexão, quanto à questão nº 954:*

[— Será condenável uma imprudência que compromete a vida sem necessidade?

“Não há culpabilidade, em não havendo intenção, ou consciência perfeita da prática do mal”].

Eis a reflexão: quando uma pessoa se dedica, por paixão ou por dinheiro ( ou pelos dois) à prática de atividades de alto risco (autos velocíssimos, esportes radicais e quebra de recordes, etc.) e disso resulta sua morte, muitos indagam: houve ou não suicídio, mesmo que indireto?

Deixo ao leitor a resposta. A minha é sim. De antemão me penitencio se estiver equivocado.

Há suicídios provocados por costumes arraigados em várias sociedades:

  mulheres que se queimam sobre os corpos dos maridos;

  aviadores militares que projetam seus aviões contra alvos inimigos;

  autoridades, nobres ou políticos que cometem deslizes ou falcatruas e que são descobertos pela sociedade a que pertencem;

  encarregados de determinada missão na qual contavam com a vitória e que sem que possam impedir ela fracassa, disso julgando-se responsáveis diretos.

OBS: Aqui mesmo, no Brasil, vários são os casos de suicídio de índios, deprimidos ante a perda de seus costumes, motivada pelas transformações decorrentes do avanço da moderna civilização.

A Revista VEJA de 22 de fevereiro de 2006 estampa reportagem sobre um fenômeno que assombra o Japão: internautas que usam a rede (Internet) para tramar suicídios coletivos. Em 2003 foram 34 pessoas que suicidaram nesse sinistro tipo de pacto; já em 2004 foram 55 e em 2005 foram 91.

Como sempre, aos olhos de Deus não deixam de ser transgressores, mas, no caso, tudo leva a crer que há atenuantes, seja pela ignorância moral de toda a sociedade a que pertencem, seja pelo preconceito e pressão que essa mesma sociedade impõe aos seus membros.

Todo suicídio se reveste de equívoco, oriundo da falta de fé no futuro e desconhecimento do Amor de Deus para com Seus filhos.

Pessoas há que se matam após a perda de um ente amado, na expectativa de que assim procedendo irão a ele se juntar. Penosa ação. Terrível erro.

Em qualquer suicídio há uma realidade da qual nenhum suicida escapa: o desapontamento, ao constatar que ao invés de resolver um problema, na verdade acrescentou para si mesmo um outro, quiçá muito maior.

Cada suicídio se reveste de circunstâncias especiais, em muitos casos havendo diferentes efeitos. Nos casos de mortes violentas, em geral, com a brusca interrupção da existência terrena, os laços que unem o perispírito ao corpo físico não se desfazem por completo. A terrível conseqüência disso para o suicida será a nítida impressão de que está vivo, só que o tormento do momento da morte não se desfaz, daí resultando inenarrável sofrimento...

Até mesmo a decomposição orgânica será testemunhada e mais que isso, partilhada, carreando horror indescritível.

Não há suicídio sem expiação, esta em diferentes gradações.
*Considerando a gravidade do tema “suicídio”, peço permissão para aduzir às reflexões acima trechos de um artigo que a propósito elaborei:*

a. Todas as civilizações ocuparam-se em estudar o suicídio, isso porque em todas elas ele ocorreu e vem ocorrendo, desde os tempos antigos;

b. A moderna Psicologia considera difícil determinar as causas da maioria dos suicídios, podendo apenas explicitar vertentes dos casos de crises agudas, delirantes, ou flagrantes de ruina. Assim, evitá-lo com plena consciência, ou convencer outrem a não cometê-lo, nem sempre é tarefa fácil. Não obstante, existem Entidades filantrópicas voltadas exclusivamente para isso.

c. Já o Espiritismo, porém, radiografa integralmente o suicídio, ampliando substancialmente o tema, propiciando reflexões úteis, não só para os suicidas em potencial, como também para todos aqueles que caridosamente queiram e possam ajudá-los, com argumentos racionais, impeditivos de tão equivocada "solução". Para tanto:

    1° - torna visíveis as nubladas causas que o cercam (reflexos de vidas passadas, distanciamento do Evangelho, desconhecimento da reencarnação, etc.);

    2°- apresenta meios seguros de defesa contra tão grande anomalia espiritual: a prece, o principal deles, além do amparo de um anjo guardião, pessoal;

    3°- sugere a solidariedade para com aquele que sinaliza o desejo de se matar, através de ensinamentos espirituais convincentes;

    4° - de forma racional, lógica, esclarece o que é e adverte sobre os riscos do quase sempre ignorado "suicídio indireto", aquele que é cometido sem intenção, mas com inteira responsabilidade de quem o pratica (vícios, intemperança e excessos de toda natureza).

*"CAUSAS PRIMÁRIAS" E "CAUSAS SECUNDÁRIAS" DO SUICÍDIO*

Separadas ou juntas, tais causas resultam na depressão — tristeza profunda e prolongada —(doença que sempre acometeu o homem), atualmente cognominada de doença do século.

E da depressão ao suicídio... um passo.

É fato comprovado que a maioria dos suicidas, senão todos, deram e dão "sinais indiretos" — avisos —, de que pretendem se matar. Captar tais sinais nas pessoas à sua volta e envidar todos os esforços para que isso não aconteça, esse o dever não apenas do cristão, mas que se impõe a todos.

É fato também que nem todas as pessoas que são atingidas por crises ou que apresentam tais sinais, irão sequer pensar no suicídio, tentando, isto sim, soluções racionais para os problemas.

A seguir, eis alguns desses sinais, que podem levar algumas pessoas a desvalorizar a vida:

Causas primárias - que podem ser consideradas indutoras ao suicídio:

- Decepções / Frustrações: diante de perdas (amorosas, profissionais, familiares)

- Dificuldades financeiras (endividamento, insolvência / crises inopinadas no mercado, etc.)

- Desemprego (perda abrupta ou continuada)

- Solidão / Tédio: ausência de objetivos existenciais

- Doenças graves : busca de "ida" para um lugar sem dor

- Vícios: alcoolismo / toxicomania / jogar compulsivamente, com perdas irreparáveis

- Neuroses: auto-piedade exacerbada do tipo : "todo mundo está contra mim"

- Psicoses: suicídio, como vingança, para fazer sofrer alguém ("os que ficam")

- Receio manifesto de ser preso, após ter cometido delitos graves

- Materialismo acentuado: desconhecimento da imortalidade do Espírito

    b. Causas secundárias - manifestas por diversos sintomas, tais como:

- Queda de produção do trabalho ou do rendimento escolar

- Mudanças súbitas de comportamento e/ou de personalidade

- Descuidos com: compromissos / horários / a aparência física, etc.

- Sinais de (auto)mutilação

- Choro ou risos inexplicáveis / falta ou excesso de apetite / sonolência ou insônia

- Uso de álcool e/ou de drogas ilegais ou mesmo uso exagerado de remédios

- Distanciamento de amigos e familiares

- Frases do tipo: "não agüento mais viver assim"; “... prefiro morrer"; "essa vida é uma droga".

*ANTÍDOTO CONTRA O SUICÍDIO*

Três são os poderosos antídotos contra o suicídio:

1°- Amizade: oferta solidária de ajuda, feita por aquele que perceber o estado alterado de pessoa do seu relacionamento (apresentando depressão), com ou sem histórico de suicidomania;

2°- Calor humano: acompanhamento desinteressado, sincero e fraternal durante a crise desse alguém, mostrando a ele que não está sozinho, que pode contar com seu apoio incondicional;

3°- Espiritualização: o mais eficaz de todos os antídotos.

    Compreende, basicamente, a exposição da visão espírita da existência de todos nós:

    - O homem não é apenas o corpo físico: o verdadeiro ser é o Espírito, imortal!

    - O Espírito é criado "simples e ignorante" por Deus, para progredir e ser feliz

    - O Espírito evolui através de várias vidas (reencarnação)

    - A Justiça Divina faz com que todos sejam iguais - deveres e direitos

    - A Lei de Ação e Reação, que expressa a Justiça Divina, faz com que "a cada um, seja dado segundo suas obras", isto é, tudo o que nos envolve ou nos alcança é fruto que estamos colhendo, de nossas próprias pretéritas plantações

    - Berço e túmulo — nascimento e morte — são episódios inúmeras vezes repetidos pelo Espírito imortal, na senda do progresso moral, consubstanciada na Lei Divina de Evolução

    - A descrença no Amor a Deus sobre todas as coisas, e a falta de amor ao próximo como a si mesmo, trazem dificuldades vivenciais, gerando débitos conscienciais, que cedo ou tarde terão que ser resgatados; as vidas múltiplas ensejam tal resgate, que se manifestam ora por expiações (sofrimentos), ora por provações (testes de comportamento moral)

    - A Vida é sublime oportunidade de crescimento, através de aprendizados

    - A prática desses aprendizados nos proporcionará paz ou sofrimentos, conforme exercitemos o Bem ou o Mal, respectivamente

    - Sofrimentos são resultantes de nossos erros, geratrizes de débitos, que também nós próprios, cedo ou tarde, iremos pedir a Deus a oportunidade de resgatá-los

    - O Amor de Deus é tanto que Ele nos concederá tantas oportunidades quantas sejam necessárias; tais oportunidades se manifestarão na proporção direta do merecimento alcançado através do arrependimento sincero e da vontade inabalável de reconstrução moral

    - O suicídio, como busca de solução para qualquer crise ou problema, é o mais equivocado dos caminhos, eis que, longe de resolvê-los, na verdade aumenta-os devastadoramente

    - Testemunhos de Espíritos que suicidaram demonstram que seus problemas permaneceram "do lado de lá", aliás, com gravames quase que insuportáveis

    - A tendência atual para o suicídio, em muitos casos, reflete atavismo (a pessoa já o terá cometido em vidas passadas e agora surge a tendência a essa anomalia comportamental)

    - Há sempre a possibilidade de influências obsessivas, induzindo/incentivando o suicídio

    - O Tempo — para quaisquer problemas — é bênção máxima, capaz de resolver, a contento, todos eles. Jamais houve um único problema que o Tempo não resolvesse!

    - A confiança no Amor de Deus e na Caridade de Jesus, expressa pela fé, em oração, é o mais eficaz meio de administrar a crise, por mais trágica que ela possa parecer.
*Leituras a serem sugeridas àqueles que tentaram ou pensam no suicídio:*

    a. "O Céu e o Inferno", de Allan Kardec (2ª Parte - Exemplos, Cap V - Suicidas), registrando os depoimentos pungentes de 9 (nove) Espíritos suicidas;   

 b. "Memórias de um Suicida", do Espírito C.C.Branco, psicografia de Yvonne do Amaral Pereira, edição da Federação Espírita Brasileira.


    c. "Viver Ainda é a Melhor Saída", de Jacob Melo, Edit. Mnêmio Túlio.