Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Assistência social e espiritismo

Assistência Social e Espiritismo

Sérgio Biagi Gregório

SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Conceito. 3. Histórico. 4. Assistência Social no Centro Espírita Ismael: 4.1. Posição da Assistência Social no Organograma do Centro Espírita Ismael; 4.2. Funcionamento de um Dia de Trabalho; 4.3. Financiamento do Trabalho Assistencial. 5. Ação Social Espírita: 5.1. Pública e Privada; 5.2 Missão do Espiritismo; 5.3. Não Confundir os Meios com os Fins; 6. Subsídios para Alicerçar a Ação Social Espírita. 7. Conclusão. 8. Bibliografia Consultada.

1. Introdução

O objetivo deste estudo é refletir sobre a ação social. Sendo assim, a nossa peça oratória comportará uma visão histórica do termo, a estruturação da Assistência Social no Centro Espírita Ismael e os subsídios que a Doutrina Espírita nos oferece para praticá-la a contento.

2. Conceito

Assistência  do lat. Assistentia. Ato ou efeito de assistir a alguma coisa.

Assistência Social  Conjunto de medidas  reforço alimentar, creche, serviços de saúde etc  através das quais o Estado procura atender a certas necessidades das pessoas que normalmente não dispõem de meios para fazer frente a elas, ainda que em nível mínimo. (Dicionário de Ciências Sociais)

Voluntário  Segundo definição das Nações Unidas, o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte de seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem-estar social, ou outros campos...

3. Histórico

O fato de na antiguidade não haver asilos nem orfanatos como os encontramos hoje, não é motivo para afirmarmos que a Assistência Social não existia. Registros históricos mostram que os Egípcios  5000 anos a.C.  respeitavam o próximo e reverenciavam os mortos, os Babilônios  3000 anos a.C.  dispensavam consolo aos aflitos e não separavam os casais de escravos, os Hindus (na pessoa de Buda)  600 anos a.C.  ensinavam por parábolas a tolerância, a igualdade e a bondade e os Chineses (pela influência de Confúcio)  600 anos a.C.  ensinavam a bondade e a lealdade, a fim de se alcançar um ideal superior.

Afigura-se que somente depois da aceitação do Cristianismo como religião legal é que os povos do passado trataram de organizar instituições de assistência com caráter oficial e permanente. Com Jesus Cristo a assistência resplandece em cada ato, como está gravado nas páginas do Evangelho, abrangendo o tríplice sentido de universalidade: 1) alcança a todos os homens: escravos, inimigos e perseguidos; 2) estende-se além do campo material, atendendo também às necessidades morais e espirituais, visando ao mesmo tempo o corpo e a alma; 3) penetra todas as instituições, dilatando o conceito de justiça e de fraternidade.

O Evangelho de Jesus dá a base para a verdadeira caridade e amplia o conceito de amor ao próximo, conforme se depreende dos ensinos: O Bom Samaritano (Lucas X: 25-37); Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei também a eles... (Mateus VII:12); Tratai todos os homens como quereríeis que eles vos tratassem. (Lucas VI:31); O que é necessário para salvar-se (Mateus XXV:31-46); O amor aos inimigos (Mateus V:43-47; Lucas VI:32-36).

Com o surgimento da Revolução Industrial (séc. XVIII), o Capitalismo (séc. XIX) e os avanços da globalização na época atual, em que muitos empregos e ocupações foram se extinguindo, o desemprego passou a imperar e com ele a necessidade daqueles que têm mais auxiliar os que têm menos.

O Espiritismo, com Allan Kardec, traz nova luz à tarefa assistencial, realçando a responsabilidade de seus seguidores pelo preceito Fora da Caridade não há Salvação

A primeira campanha promovida por entidade espírita de que se tem notícia foi realizada por Kardec através da Revista Espírita (janeiro de 1863) com o objetivo de arrecadar recursos para socorrer os operários de Rouen, França, vitimados por rigoroso inverno. Graças às doações recebidas foi possível levar alguma tranqüilidade a inúmeras famílias em provação.

No Brasil, muitos foram os espíritas cuja dedicação e amor, no campo assistencial, se transformaram em exemplo. Entre eles, destacam-se Bezerra de Menezes, Eurípedes Barsanulfo, Anália Franco e Batuíra.

Adolfo Bezerra de Menezes (1831-1900)  apóstolo do Espiritismo. Como médico, dedicou-se, com grande desapego e amor, à assistência aos doentes e a todos que o procuravam necessitados de auxílio.

Eurípedes Barsanulfo (1880-1918), natural de Sacramento-MG, educador, espírita, dotado de diversas faculdades mediúnicas, dedicou sua vida à educação do jovem, aos aflitos e abandonados pela sorte. Atendia a todos que o procuravam e ainda, em momentos de folga, saía pelos arrabaldes da cidade a socorrer doentes, assistindo os necessitados de toda ordem e pregando a doutrina do amor ao próximo.

Anália Franco (1856-1919), emérita educadora, se entregava, de corpo e alma, à prática do bem. Fundou e supervisionou mais de 70 asilos, creches e escolas espalhadas por vários Estados brasileiros. A síntese do seu pensamento era: O nosso fim é procurar diminuir cada vez mais em nosso meio a necessidade da esmola pelo desenvolvimento da educação e do trabalho, de que provém o bem-estar e a moralidade das classes pobres. Eduquemos e amparemos as pobres crianças que necessitam de nosso auxílio, arrancando-as das trilhas dos vícios, tornando-as cidadãos úteis e dignos para o engrandecimento de nossa pátria.

Antonio Gonçalves da Silva  Batuíra (...- 1909), português, veio para o Brasil ainda criança e, como imigrante, aqui cresceu e desenvolveu sua obra de dedicação ao próximo. Em 1873, por ocasião da epidemia de varíola, assistiu aos doentes e flagelados com verdadeiro espírito de renúncia, dando não apenas o remédio, mas também o pão, o teto e o agasalho. (Manual de Apoio da FEB)

4. Assistência Social no Centro Espírita Ismael

4.1. Posição da Assistência Social no Organograma do Centro Espírita Ismael

O organograma é o quadro geométrico representativo das unidades de uma organização ou serviço e indica os limites das atribuições de cada uma delas. Assim, no topo do quadro está a Diretoria Executiva, em seguida os Departamentos e abaixo destes, os Sub-Departamentos.

O topo do organograma do Centro Espírita Ismael pode ser visualizado abaixo:

Diretoria Executiva

DEPCOM
DEPIJM
DEPAE
DEPAS
DEPOE
DEPED
DEPEV

DEPCOM - Departamento Comercial

DEPIJM - Departamento de Infância, Juventude e Mocidade

DEPAE - Departamento de Assistência Espiritual

DEPAS - Departamento de Assistência Social

DEPOE - Departamento de Orientação e Encaminhamento (Entrevista)

DEPED - Departamento de Ensino Doutrinário

DEPEV - Departamento de Eventos
  O organograma do  Departamento de Assistência Social do Centro Espírita Ismael pode ser visualizado abaixo:
 
Departamento de Assistência Social

Gestantes
Famílias
Orientação  Profissional
Costura

 
1) Gestantes  Setor em que se compõe o enxoval, que será distribuído  às gestantes carentes, depois de terem freqüentado 12 reuniões. Um enxoval é constituído de mijãozinho, meias, blusa, chupeta...

2) Famílias (alimento)  As gestantes cadastradas (aproximadamente 80 famílias) recebem cestas básicas  compostas de arroz, feijão, óleo, açúcar, sal etc.  por um período de 3 a 4 meses.

 
3) Orientação Profissional  Com aulas de pintura em tecido, tricô, crochê, bordados, a Assistência Social do C. E. I. procura incentivar o trabalho, inclusive como alternativa de renda, pela venda das peças produzidas.

4) Setor de Costura  Confeccionam-se roupas para: 1) composição das peças do enxoval; 2) serem vendidas no BAZAR permanente.

4.2. Funcionamento de um dia de Trabalho

1) Todas as gestantes participam de um trabalho de Assistência Espiritual, recebendo orientações para a vivência cristã e passes espirituais.

2) Enquanto as gestantes ouvem as palestras, seus filhos participam da evangelização infantil, com os respectivos passes espirituais. Além disso, tomam lanche, suco e periodicamente ganham brinquedos usados. No início do ano letivo, o Centro Espírita Ismael auxilia com doação de material escolar.

3) Após a reunião é facultativo às gestantes e freqüentadoras carentes terem aula de pintura em tecido, tricô, crochê, bordados, com alternativa de geração de renda.
 

4) Ao término das reuniões, as gestantes tomam lanche e suco.

 
5) Periodicamente recebem a visita de um Psicólogo ou Assistente Social, os quais ministram aulas sobre saúde, higiene, prevenção de doenças venéreas e AIDS.

 
6) Há sorteios variados e, duas vezes por mês, faz-se uma "feirinha", em que escolhem as roupas que foram doadas. O restante dessas roupas é enviado à Casa de David.
 

7) Distribuem-se cestas básicas e enxoval, conforme programação.  

 
4.3. Financiamento do Trabalho Assistencial

 
Recebemos doações em dinheiro e em espécie. As doações em espécie são feitas diretamente nas dependências do Centro.

 
Destino das doações:

1) Quando o material está em bom estado, guarda-se para os Chás Beneficentes;

2) Material mais ou menos bom, guarda-se para um Bazar mensal;

3) Material em estado regular é posto no Bazar diário, sendo que nos dias do atendimento às gestantes, faz-se uma "feirinha", em que as gestantes escolhem os objetos que lhes interessam e levam-nos gratuitamente.

5. Ação social espírita

5.1. Pública e Privada

A ação social espírita fundamenta-se no voluntariado que, à semelhança da Casa do Caminho, procura levar reconforto material e espiritual aos mais necessitados. Nesse mister, diferencia-se do Serviço Social governamental, pois enquanto este visa dar apenas o alimento, aquele procura ver o  indivíduo como um todo, no sentido de fazer-lhe desabrochar os germes de sua evolução espiritual.

5.2 Missão do Espiritismo

Considerando que a missão precípua do Espiritismo visa à transformação da humanidade pela melhoria das massas por meio do gradual aperfeiçoamento dos indivíduos, todo o auxílio feito ao próximo deve ser acionado dentro de um programa que tenha por objetivo o reequilíbrio moral; a reintegração social e a educação espiritual.

Assim, de acordo com os pressupostos codificados por Allan  Kardec, devemos não só dar o alimento que mata a fome, o agasalho que supre o frio, mas também o reconforto espiritual da palavra esclarecedora, que estimula o nosso irmão menos aquinhoado materialmente a caminhar com os próprios pés.

5.3. Não confundir os meios com os fins

Um dos grandes erros da humanidade é a confusão entre os meios e os fins. À pergunta, qual é o fim da religião, responderíamos que é para salvar almas, fazer a pessoa evoluir, conhecer melhor a Deus. Dentro desse raciocínio, qual é o fim do Espiritismo? Transformação do indivíduo? Burilamento interior? Mas será que os meios empregados tendem para este fim? 

Tomemos, por exemplo, a doação de cestas básicas. Se, paralelamente a essa dádiva, não estivermos incentivando a pessoa a se melhorar, a se  aperfeiçoar, a  evoluir espiritualmente, estaremos apenas criando dependentes, o que contraria sobremaneira o objetivo do Espiritismo que, segundo o Espírito Emmanuel, é a libertação da consciência.

Resumindo: o alimento é o meio, a libertação da alma é fim. Saibamos distinguir um do outro.

6. Subsídios para alicerçar a Ação Social Espírita

Na literatura espírita há diversos ensinamentos sobre a melhor maneira de praticar a caridade. Eis alguns deles.

1) P. 768 de O Livro dos Espíritos Nenhum homem dispõe de faculdades completas e é pela união social que eles se completam uns aos outros, para assegurarem seu próprio bem-estar e progredirem. Eis porque, tendo necessidade uns dos outros, são feitos para viver em sociedade e não isolados. No isolamento o homem se embrutece e se estiola.

2) A Parábola do Bom Samaritano, que bem compreendida, dá-nos o exato conceito do que seja a Caridade ensinada pelo Cristo.

3) P. 886 de O Livro dos Espíritos - Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?  Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas. O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.  

4) Fora da Caridade não há Salvação  Meus filhos, na sentença: Fora da caridade não há salvação, estão encerrados os destinos dos homens, na Terra e no céu; na Terra, porque à sombra desse estandarte eles viverão em paz; no céu, porque os que a houverem praticado acharão graças diante do Senhor. Essa divisa é o facho celeste, a luminosa coluna que guia o homem no deserto da vida, encaminhando-o para a Terra da Promissão. Ela brilha no céu, como auréola santa, na fronte dos eleitos, e, na Terra, se acha gravada no coração daqueles a quem Jesus dirá: Passai à direita, benditos de meu Pai.  - Paulo, o apóstolo  -  (Kardec, 1984, Cap. XV, item 10)

5) Na Obra Assistencial Jamais reter, inutilmente, excessos no guarda-roupa e na despensa, objetos sem uso e reservas financeiras que podem estar em movimento nos serviços assistenciais.  Não há bens produtivos em regime de estagnação. (Vieira, 1981, p. 53)

7. Conclusão

A ação social numa Casa Espírita reveste-se de particular importância. Não nos sirvamos dela para criar dependentes, mas para auxiliar cada qual a alcançar a sua libertação, tanto material quanto espiritual.

8. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed., São Paulo, IDE, 1984.

KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. 8. ed., São Paulo, FEESP, 1995.

SILVA, B. (coord.) Dicionário de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1986.

VIEIRA, Waldo. Conduta Espírita. Pelo Espírito André Luiz. 8. ed., Rio de Janeiro, FEB, 1981.

www.espirito.com.br. Manual de Apoio para as Atividades do Serviço de Assistência e Promoção Social Espírita, da FEB.
São Paulo, outubro de 2002

https://chat.whatsapp.com/GPSVUkMpUZy1UVCHvdDQOR

Sustentabilidade

Sustentabilidade, Responsabilidade Social e Espiritismo.
Carlos A. Iglesia Bernardo
Grupo de Estudos Avançados Espíritas

Boletim do GEAE
Ano 16 - Número 531
 
"Sustentabilidade é um conceito sistêmico, relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana.
 
Propõe-se a ser um meio de configurar a civilização e actividade humanas, de tal forma que a sociedade, os seus membros e as suas economias possam preencher as suas necessidades e expressar o seu maior potencial no presente, e ao mesmo tempo preservar a biodiversidade e os ecossistemas naturais, planejando e agindo de forma a atingir pró-eficiência na manutenção indefinida desses ideais.
 
A sustentabilidade abrange vários níveis de organização, desde a vizinhança local até o planeta inteiro.
 
Para um empreendimento humano ser sustentável, tem de ter em vista 4 requisitos básicos. Esse empreendimento tem de ser:
 
  ecologicamente correcto;
  economicamente viável;
  socialmente justo; e
  culturalmente aceito."  
 
WIKIPEDIA
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sustentabilidade
"Responsabilidade social corporativa é o conjunto amplo de ações que beneficiam a sociedade e as corporações que são tomadas pelas empresas, levando em consideração a economia, educação, meio-ambiente, saúde, transporte, moradia, atividade locais e governo, essas ações otimizam ou criam programas sociais,trazendo benefício mútuo entre a empresa e a comunidade, melhorando a qualidade de vida dos funcionários, quanto da sua atuação da empresa e da própria população."
WIKIPEDIA
http://pt.wikipedia.org/wiki/Responsabilidade_Social
  "884. Qual é o caráter da propriedade legítima?
-- Só há uma propriedade legítima, a que foi adquirida sem prejuízo para os outros. (Ver item 808).
A lei de amor e de justiça proíbe que se faça a outrem o que não queremos que nos seja feito, e condena, por esse mesmo princípio, todo meio de adquirir que o contrarie.
 
885. O direito de propriedade é sem limites?
-- Sem dúvida, tudo o que é legitimamente adquirido é uma propriedade, mas, como já dissemos, a legislação humana é imperfeita e consagra freqüentemente direitos convencionais que a justiça natural reprova. É por isso que os homens reformam suas leis à medida que o progresso se realiza e que eles compreendem melhor a justiça. O que num século parece perfeito, no século seguinte se apresenta como bárbaro. (Ver item 795)."
Allan Kardec, "O Livro dos Espíritos"
http://www.geae.inf.br/pt/livros/le/le3-11-2.html
 
A sociedade humana, acompanhando a evolução dos seres que a compõe, se transforma ao longo do tempo. As realidades econômicas e culturais se renovam, adequando-se as necessidades de aprendizado das comunidades que as vivem.  Assim, o que em um momento parece ser o auge do aperfeiçoamento humano, no seguinte se vê superado por novas descobertas, por melhorias ou por melhor compreensão dos seus fundamentos.
 
O panorama da história humana, visto sob a ótica espírita, se apresenta como uma longa caminhada em rumo de uma sociedade mais fraterna e voltada para a realização do ser humano. Há momentos em que um aspecto ou outro se destacam, que civilizações ensaiam uma ou outra lição, mas visivelmente há uma linha condutora. Essa linha condutora é a conscientização gradativa dos indivíduos de que fazemos parte de um todo maior, que nossa vida influencia e é influenciada por tudo o que nos rodeia.
Dos primitivos agrupamentos humanos, que se reuniam em torno das fogueiras buscando proteção mútua contra os predadores, até as modernas corporações multinacionais, aprendemos a conviver em comunidades cada vez mais complexas, passamos a entender e a controlar grandezas físicas que nos permitiram mudar o meio ambiente ao nosso redor, mas principalmente nos tornamos cada vez mais interdependentes e conscientes do nosso impacto sobre o mundo em que vivemos.
É fácil de constatar essa interdependência. Uma crise econômica do outro lado do mundo afeta os empregos por aqui. A subida do preço de uma comoditie internacional impacta nos índices de inflação e na taxa de juros. Pequenas mudanças no clima, provocadas pela industria de um país, afetam os níveis do mar em outro.
E no âmbito local, pessoas e empresas estão aprendendo que não é possível crescer sem que haja um desenvolvimento da comunidade que a cerca. Não somente a elevação da renda, para que existam consumidores, mas outros aspectos antes ignorados. Se tornam cada vez mais evidentes as relações entre a saúde financeira da empresa e os benefícios diretos e indiretos que ela traz para a sociedade. Uma nova forma de lucro está surgindo, aquela em que ele é derivado da admiração que a empresa provoca no mercado.
O Espírita, consciente da realidade espiritual e da importância do momento em que estamos, não pode deixar de ver com bons olhos esta transformação no mundo corporativo. As noções de sustentabilidade e responsabilidade social prenunciam a empresa do amanhã.
As forças que estão levando as empresas a adotarem esta nova postura são principalmente a globalização econômica e a constatação científica do aquecimento global. Nada acontece por acaso, a transformação de mentalidade provocada por estas forças vai na mesma direção que a que seria provocada pela aplicação dos princípios espíritas as ciências econômicas e sociais.
No fundo os efeitos positivos da responsabilidade social e da sustentabilidade são derivados da aplicação da lei de ação e reação em aspectos da vida cotidiana. Ao buscar o bem do próximo, mesmo que devido a estratégia de negócios, a empresa atua de forma positiva.
 
"-- Toda ação traz os seus frutos; os das boas ações são doces e os das outras são sempre amargos; sempre, entendei bem isso."
 
Resposta dos Espíritos a questão 810. Allan Kardec, "O Livro dos Espíritos"
http://www.geae.inf.br/pt/livros/le/le3-9-4.html
Somos responsáveis por nossos atos e se queremos um mundo melhor temos que arregaçar as mangas e trabalhar para que ele aconteça. Se queremos que nossa vida pessoal seja melhor, melhoremos a vida dos que nos rodeiam. Se queremos que nosso negócio prospere, espalhemos a prosperidade entre funcionários, clientes, vizinhos e parceiros. O mundo nos retorna o resultado de nossas ações.
 
 * * *

10 Diálogo imprevistoLivro Amizade Chico Xavier pelo espírito Meimei

Livro é notícia

LIVRO É NOTÍCIA

ESTUDOS E CRÔNICAS DE HERMÍNIO C. MIRANDA

Por quinze anos, Hermínio Corrêa de Miranda integrou o quadro de colaboradores da Federação Espírita Brasileira (FEB), como membro do Conselho Superior da instituição. Desde 1956, publicou na imprensa espírita vários artigos, muitos dos quais sob os pseudônimos de João Marcus e H.C.M. Diversos deles enriqueceram as páginas da centenária revista Reformador, da FEB. Dos seus 40 livros publicados, sete saíram pela FEB Editora: Diálogo com as sombras, Sobrevivência e comunicabilidade dos Espíritos, Nas fronteiras do além, Candeias na noite escura, Reencarnação e imortalidade e As marcas do Cristo (volumes 1 e 2).

O professor Hermínio, infelizmente, não chegou a ver, com os olhos materiais, aquele que seria o seu mais novo lançamento pela FEB. Quando Estudos e crônicas de Hermínio C. Miranda estava em fase de conclusão, a comunidade espírita recebeu a notícia da desencarnação, em 8 de julho, do seu autor, de 93 anos.

A nova obra chega às livrarias como um presente para o público que acompanhou, por tantas décadas, o trabalho do conhecido escritor e pesquisador espírita que se definia, na sua humildade, apenas como um escriba. Ao mesmo tempo, surge como uma justa e merecida homenagem ao já saudoso escritor. Nessa obra, estão reunidas crônicas publicadas ao longo dos anos no Reformador, com o estilo que tornou inconfundíveis os textos de Hermínio, de leitura fácil, agradável e ricos de ensinamentos cristãos, sempre fiéis ao pensamento kardequiano.

Em suas preciosas mensagens, Estudos e crônicas de Hermínio C. Miranda traz reflexões sobre o despertamento da consciência humana para a aquisição de virtudes e sentimentos que conduzam à reforma íntima e ao progresso espiritual, como passo seguro para um futuro com mais beleza, alegria, serenidade e paz no coração  informa a FEB, ao apresentar a obra.

Num dos capítulos, que intitulou de Espiritismo sem sessão espírita?, Hermínio comenta sobre os confrades que não gostam de frequentar sessões espíritas. O Espiritismo doutrinário nasceu das práticas mediúnicas, delas se nutre e delas depende, em grande parte, o seu desenvolvimento futuro. O intercâmbio, entre o mundo espiritual e este, somente assumiu expressão e sentido filosófico depois que Kardec ordenou e metodizou os conhecimentos adquiridos no contato com os nossos irmãos desencarnados. Parece claro, também, que o equacionamento e a solução das grandes inquietações humanas vão depender, cada vez mais, da exata compreensão do mecanismo das relações entre esses dois mundos que, no final de contas, não são mais que um único, em planos diferentes. Logo, a prática mediúnica é, não apenas aconselhável, como indispensável ao futuro da humanidade. [...] A cada bom grupo de seres encarnados dispostos à tarefa, corresponderá um grupo equivalente de Espíritos, num intercâmbio salutar de profundas repercussões, pois que Espiritismo é doutrina, mas é também prática mediúnica, e todos nós, ainda que nem sequer suspeitemos disso, temos compromissos a executar, ajustes a realizar com irmãos que nos aguardam mergulhados em ódios e incompreensões, que se envenenam a si mesmos e a nós próprios. Lamentar a desgraça  dizia Horace Mann  é apenas humano; minorá-la é divino  conclui Hermínio.

Kardec, o pensador, Não tenho prata nem ouro, Judas redimido, A maldição dos faraós, A reforma da Reforma, A Bíblia não proíbe a mediunidade, O sonho profético de Lincoln, Universidade da realidade espiritual, Paulo e Estêvão: dois episódios para meditação, Vida antes da vida e Regressão de memória são mais alguns dos assuntos tratados no novo livro, que tem 34 artigos divididos em oito capítulos, 378 páginas e 14x21cm.

Estudos e crônicas de Hermínio C. Miranda pode ser adquirido na Livraria Virtual da FEB: www.feblivraria.com.br. 

SERVIÇO ESPÍRITA DE INFORMAÇÕES
Boletim SEI: E-mail: boletimsei@gmail.com
Novembro 2013  no 2230

https://chat.whatsapp.com/BBdBqQYDWX063IQsvumtvW

domingo, 30 de outubro de 2016

A FAMILIA

Palestra
Virtual
Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br


Tema: A Família na visão espírita

Palestrante: Oneida Terra

Rio de Janeiro

Organizadores da Palestra:

Moderador: “Dejavu” ( nick:|Moderador|)
“Médium digitador”: “jaja” (nick: Oneida_Terra)

Oração Inicial:

<[Moderador]> Senhor Jesus, ajuda-nos em mais essa incursão em direção ao e à experiência do amor, fazendo-nos compreender a necessidade urgente conhecimento da tua luz e da tua paz em todos os ambientes, notadamente os mais íntimos: Nosso Lar, nossos próximos, que tanto precisam de nós e às vezes tanto a eles negligenciamos. Aos amigos espirituais responsáveis pelo trabalho do Canal #Espiritismo, pedimos, como sempre, a orientação do trabalho e a paz para que a palestra seja conduzida da melhor forma possível. Pedimos autorização, em nome de Deus, para dar por iniciada mais uma palestra virtual na noite de hoje. Que assim seja!

Apresentação do palestrante:

Bem, eu gosto sempre de dizer que sou uma irmã de ideal buscando as mesmas lutas e as realizações que viabilizem o aprimoramento interior. Mas na minha vida íntima, eu sou professora, mãe de 3 filhos, fundadora da "Pousada de Francisco", em Barra de Piraí - RJ. Médium, com 30 livros psicografados, 8 livros editados, mais de 1000 músicas mediúnicas recebidas de espíritos diversos, sendo a maior parte de uma irmã franciscana das terras da Alemanha, Irmã Virgínia.  (t)

Considerações iniciais do palestrante:

O estudo da Doutrina dos Espíritos conduz a uma compreensão muito grande do que seja família. A lei da reencarnação, alicerçada na Justiça Divina, esclarece corretamente quanto às questões relacionadas à família. Nada fica encoberto sob o estudo criterioso das Leis de Deus. Família é bênção do Criador às suas criaturas.  São possibilidades e realizações aos que sabem lutar. Fora da compreensão, do apoio mútuo e de esforços realizados mutuamente, encontramos uma reunião de pessoas que se misturam e que se enganam. Que se maltratam agravando as suas fragilidades. Sob a oportunidade sublime que Deus oferece às suas criaturas, na constituição da família, devemos empreender seqüentes esforços para acessarmos evolução. (t)

Perguntas/Respostas:

<[Moderador]> (1) Como são montadas as famílias na Terra - pelo perdão a ser dado, ou pela renovação? (Complementação do moderador: que finalidades podem justificar a formação de uma família terrena?)

As famílias são montadas na Terra, mediante um planejamento reencarnatório e esse planejamento obedece a justiça divina.  Essa justiça irá atuar de acordo com a evolução de cada um. O objetivo, na formação de um grupo familiar, é o reajuste visando o crescimento interior de todos.  

<[Moderador]> (2) Dizem que os maiores carmas a serem cumpridos são os de dentro da família? Isso sendo verdade, como fazer para tentar nos corrigir e resgatar o carma?

Primeiramente, é muito importante entender o que seja "carma". Carma nem sempre é dor e sim ação.  A realização do ser eterno, através de milênios é o que chamamos "carma". O que ocorre é que no núcleo familiar a espiritualidade planeja reajustes. É fácil, fora de casa, nos afastarmos das pessoas.  O mesmo não ocorre com os familiares e consangüíneos.  É importante observar que no núcleo familiar, sempre existe alguém que vem para o apoio e crescimento da família. Pelos anos de luta e convivência com famílias, observamos que nem sempre nos colocamos com boa vontade e força de vontade para equilibrarmos e preservarmos a família. (t)

<[Moderador]> (3) Por que existem pessoas tão boas com filhos muito perversos? Como fica então A Lei de Atração de igual espécie nesses casos?

O conhecimento da reencarnação nos orienta quanto as conseqüências dos nossos atos e aí relembramos as palavras do Cristo: "Cada um colhe aquilo que semeia". A mãe amorosa de hoje nem sempre o foi ontem.  Não existindo acaso na Lei, os reencontros obedecem a critérios sábios.(t)

<[Moderador]> (4) Como identificar nossa missão dentro da família?

Cada família reflete uma realidade e realmente é necessário uma reflexão para agirmos corretamente. Vamos relembrar Sócrates, quando ele diz que antes de qualquer decisão ele buscava inspiração no Criador. O que nós precisamos é um trabalho constante conosco mesmo, independente de sermos mães ou pais. O ser humano precisa ser trabalhado.  A jovem educada será uma mãe consciente; o jovem honesto saberá agir adequadamente em todas as circunstâncias.(t)

<[Moderador]> (5) Mandamento IV: "Honrarás a teu pai e a tua mãe". Não é muito difícil acontecer de pais estuprarem suas próprias filhas. O que pensar disso?

No nosso trabalho com a parte social, famílias carentes, em Barra do Piraí, encontramos casos assim. Esses casos refletidos à luz da prece trouxeram o conhecimento de que muitas dessas jovens violentadas pelos próprios pais foram as amantes de ontem.  Mulheres que não se fizeram respeitar e que exerceram fascínio sobre os homens provocando-os.  (t)

<[Moderador]> (6) Diante de um Lar em que um casal, com filhos e bem estabelecidos, mas distantes em todos os sentidos, neste caso, seria lícito perante a Lei de Deus a separação?

É sempre importante questionar se já realizamos todos os esforços que estejam ao nosso alcance para evitar a separação. Emmanuel, André Luiz e outros orientadores espirituais, nos esclarecem que quando um casal não mais está crescendo no matrimônio e entra em perdas, talvez o melhor seja a separação.  (t)

<[Moderador]> (7) Como seria reparado o erro de uma esposa traída? Seria cármico?

É sempre importante refletirmos com base na Lei. Não existindo acaso na vida, as traições têm as suas raízes. Conhecemos casais que não se unem à luz da fé para o seu crescimento interior e sob uma falta de respeito muito grande provocam dores.  Muitas das infelicidades que presenciamos hoje têm as suas raízes aqui mesmo.(t)

<[Moderador]> (8) Algumas vezes a Doutrina Espirita é apresentada como destruidora dos laços de família. Por que se tudo é união e amor e justiça?

A primeira coisa que nós devemos saber é quem apresenta a Doutrina assim!! A Doutrina dos Espíritos é a revivescência do Cristianismo. O Cristianismo é amor.  Sendo amor, conduz à união. (t)

<[Moderador]> (9) No seio familiar: o que seria uma esposa ideal e um marido ideal? Um casal se forma por causa do destino ou aleatoriamente?

A esposa ideal é aquela que busca o seu aprimoramento como filha de Deus e vice-versa. O que será que entendemos quando falamos "destino"?  Um casal se forma mediante um planejamento reencarnatório.  Nenhum de nós está jogado na vida. Há muito mais amor e proteção do que entende o homem.  (t)

<[Moderador]> (10) Pode um obsessor entrar em uma família e destruí-la toda? Com vícios, brigas até o final?

Um obsessor pode acessar uma família e existem inúmeros casos assim. Se a família não estiver alicerçada na moral e no esforço de boa conduta, esse obsessor pode influenciar dolorosamente.  (t)

<[Moderador]> (11) Por que hoje as pessoas estão cada vez mais distantes da família e as famílias cada vez mais separadas e desestruturadas, já que estamos evoluindo e não retrocedendo? Antigamente aparentemente existia mais união. Como verificar nos casos mais recentes de desestruturação familiar evolução?

Nós não sabemos se realmente existia mais união no passado.  Na verdade, as coisas não eram claras como são hoje.  Nós não estamos retrocedendo.  Pode ocorrer que mediante um planejamento reencarnatório que exija mais esforço e dedicação, não desenvolvamos boa vontade para atingirmos objetivos traçados. Quem se une não se separa.  Se chegamos à amizade, jamais retornaremos à inimizade. Sabemos, através de estudos, pesquisas e vivências que esses mesmos separados no grupo familiar, já são indiferentes de ontem. Cabe-nos um trabalho sincero para auxiliarmos, de alguma maneira, a esses mesmos que não entenderam ainda o valor de compartilhar, de ser útil de dar e receber, crescendo juntos. (t)

<[Moderador]> (12) Tentamos ser bons Espíritas, mas por que a dor nos atinge ainda tão profundamente ante a possibilidade do desencarne de um ente querido, uma mãe, nome abençoado! Quando estaremos preparados para tal dor?

Na lei da vida, desencarnar é mais vida e não dor. A idéia que temos de dor, na verdade, é apego, solidão, medo. Quando nos colocamos receptivos à Doutrina dos Espíritos nesse movimento amplo que ela permite, descobrimos que não existe separação na Lei e que é possível continuarmos juntos rumo à eterna evolução. A semi-liberdade do sono permite encontros, reencontros e esse prosseguir vitorioso do amor em nossos corações. Ocorre com os mesmos que se afirmam espíritas muita desconfiança e medo quando chamados a testemunhos. (t)

<[Moderador]> (13) Seria o ciúme um medo de que o outro repita um erro que cometemos em outras vidas?

Não! Necessariamente, não é isso. Ciúmes é insegurança, carência, medo. Quando acreditamos em nós mesmos, quando desenvolvemos um ideal, quando amamos a luta e queremos vencer, esse sentimento mórbido não toma conta dos nossos corações. (t)

<[Moderador]> (14) As ligações de outras vidas podem explicar as diferenças nas relações entre a mãe e filhos diferentes?

Claramente!  (t)

<[Moderador]> (15) Qual a idade ideal dos nossos filhos conhecerem o Espiritismo?

Falando desta existência, desde o momento em que nós mesmos fazemos contato com os fundamentos da Doutrina, os nossos filhos, futuros filhos, já estão sendo beneficiados. Se considerarmos o matrimônio, desde os sonhos do namoro, os filhos já devem estar envolvidos nas reflexões, nas idealizações e quando concretizamos a idéia da maternidade na gestação, os filhos já devem fazer parte de todo nosso movimento interior na busca de espiritualidade.  (t)

<[Moderador]> (16) Em questionamento a resposta da pergunta 9, se tudo é planejado - inclusive na união entre dois seres - não é possível então haver uma união errada? Digo, alguém se casar com alguém por "engano"?

Pode. Nós sabemos que existe livre-arbítrio e muito respeito do plano espiritual para com as criaturas de Deus. Alguns renitentes e teimosos conseguem burlar o planejamento. Fazem as suas escolhas para perceberem depois o engano em que se envolveram.  (t)

<[Moderador]> (17) Que papel tem os Gêmeos, trigêmeos e etc, na família?

Os gêmeos ou trigêmeos, eles têm o mesmo papel de todos os filhos, mas, com certeza, o nascimento de gêmeos, trigêmeos, etc. envolve um exercício de doação, de gratuidade interior, de fraternidade bem maior do que quando o casal tem um único filho. Tanto os pais, quanto os filhos, nessas circunstâncias, são chamados a um trabalho maior, no exercício do amor e na união da família.  (t)

<[Moderador]> (18) Duas perguntas correlacionadas: O conceito de família para nos espíritas não deve ser muito maior do que o genético? /// Como é feito o planejamento do filho adotivo?

Com certeza!  Tendo como base a reencarnação e o planejamento reencarnatório, a valorização desse reencontro tão sério deve ser muito bem valorizado.  E como valorizar?  Qual o trabalho ideal?  Com certeza, é nessa busca de aprimoramento interior, nesse cultivo da fé, que vamos conseguir constituir e preservar muito bem a família. O planejamento do filho adotivo é tão criterioso quanto do filho natural.  Nós observamos, também, que nesses casos os pais são chamados a um desprendimento, a uma aceitação maior, a um reajuste. Muitas vezes, após a adoção de uma criança, a mulher engravida, provando que esse filho adotado não veio por acaso, mas sim mediante a bondade superior.  (t)

<[Moderador]> (19) Fale um pouco sobre a passagem quando Jesus diz: "Onde está minha mãe e onde estão meus irmãos?"

Bem, se hoje o apego é tão grande entre familiares e consangüíneos, muito mais o era há dois mil anos atrás. Jesus enobrece e dignifica todos os companheiros do Colégio Renovador quando interroga: "Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?"  E diz que "minha mãe e meus irmãos são todos aqueles que cumprem com a vontade do Pai que está no Céu". Vamos refletir que Jesus não estava discriminando os mesmos que se encontram indiferentes ao Criador. Destacava, o Mestre, a amizade, o respeito e a compreensão que existem entre aqueles que se reconhecem irmãos, filhos de um mesmo Pai. (t)

<[Moderador]> (20) Como um filho deve agir diante de uma separação iminente de seus pais? Ou ainda de um pai irresponsável com suas dívidas e consigo mesmo?

Primeiro, nós teríamos que considerar qual a idade desse filho, quais as condições que ele tem para trocar com os pais recursos e sentimentos que possam promover equilíbrio. Destacamos a conversa pacífica, a prece, a confiança em Deus como recursos que podem promover equilíbrio. Um pai irresponsável consigo mesmo precisa de muita compreensão, muita prece e energia. Nem sempre conseguimos utilidade passando a mão na cabeça das pessoas.  Não é pela consangüinidade que iremos permitir desrespeito. Um filho não pode arcar com responsabilidades que pertençam ao seu pai. (t)

<[Moderador]> (21) Pode nos falar um pouco sobre o caso de irmãos siameses? Haveria mérito em, senso cientificamente possível, tentar separá-los, mesmo tendo o risco de um deles desencarnar? Como são vistos espiritualmente gêmeos siameses?

Como estudantes da Doutrina dos Espíritos, respeitando a Lei e sabendo que não existe acaso, precisamos respeitar profundamente esses casos. E acreditamos que diante de opções a serem tomadas, os pais tenham que buscar Deus, acima de todas as coisas para, bem orientados, agirem.(t)

<[Moderador]> (22) Tomo um exemplo caseiro, se me permite: Minha filha de 8 anos, odeia ir a casa espirita, ficando ela em local apropriado p/ tal. Seria esse sentimento passageiro, ou denotaria algum incomodo com a Doutrina?

Nós aprendemos, ou estamos aprendendo, com Irmã Virgínia, nossa amiga espiritual, que as crianças precisam ser respeitadas. A palavra "odeia" é muito forte. Se a criança revela uma resistência tão forte às aulas de moral cristã apropriadas às crianças, deve haver uma razão muito séria para isso. O ideal é não forçar, mas, com muita paciência, no lar mesmo, buscar, através de conversas leves e delicadas, instruí-la a respeito da criação divina, da reencarnação, do respeito ao próximo. Necessariamente, um filho de pais espíritas não tem que ser espírita. Aliás, a salvação não está na Casa Espírita. Jesus disse que o Reino de Deus está no íntimo de cada um. É possível evolução nas lutas naturais do dia-a-dia. No esforço sincero, na vida profissional, na vida familiar e na vida em sociedade, o homem também evolui. Seja paciente com a sua filha e procure, com carinho, descobrir quais as razões dessa rejeição. (t)

<[Moderador]> (23) Quanto ao ritual da primeira comunhão, seria lícito desconsiderá-lo, para que a criança decida num futuro próximo? É correto submeter a criança a rituais eclesiásticos alegando ser uma postura para sua não discriminação na sociedade?

Os pais que respeitam os seus filhos e que se sentem seguros não impõem quaisquer práticas. O ideal é exemplificar os sentimentos positivos, confiando que os filhos seguirão os bons exemplos, buscando trilhar os caminhos da moral. (t)

<[Moderador]> (24) Qual o impacto de alguém optar por não se casar (e consequentemente não ter filhos, constituir família etc)? Ou seja, como podemos saber que estamos na opção correta? Digo, não é justo casar sem amor, só para constituir família, não é?

Primeiramente, nós precisaríamos saber se não nos casamos por vontade própria, ou porque não estava planejado. Muitas pessoas afirmam que casaram ou deixaram de casar por escolha e nem sempre é verdade. Agora, mesmo diante do planejamento reencarnatório, nós podemos dizer não, mas, consequentemente, teremos que arcar com as conseqüências. Não dá certo desrespeitar o que nos é indicado na reencarnação. Não podemos esquecer que o planejamento reencarnatório obedece a critérios sábios. Quanto a casar sem amor, se assim está planejado, o casamento ocorre e então é o cumprimento de uma Lei. (t)

<[Moderador]> (25) Como fazer com uma filha que tem dificuldades de externar o que quer e o que sente? Em casa existe muito diálogo e já houve tratamento psicológico.


https://chat.whatsapp.com/GPSVUkMpUZy1UVCHvdDQOR
Geralmente, nós pais somos ansiosos em relação aos nossos filhos. Não lidamos bem com o silêncio. Entendemos que as crianças têm que estar gritando, pulando, correndo. Podemos receber no lar um ser que prefira o silêncio, que não queira comunicar os seus sentimentos. Como também, pode ocorrer de ser esse espírito um estranho a essa família. A melhor maneira de lidar é com cautela, paciência e carinho. Permitir que essa criança seja ela mesma e que ela entenda que falando, sorrindo, chorando ou ficando calada é amada. (t)

<[Moderador]> (26) <_ney> Espiritualmente, como fica a mãe que abandona seu filho, mesmo que ele seja adotado por outra pessoa?

Ela fica com a responsabilidade desse abandono e isso não é tão simples: as conseqüências que essa criatura possa viver conduz a mãe responsabilidades muito sérias. Quem abandona enfraquece e os laços da maternidade fortalecem profundamente os sentimentos da mulher. (t)

<[Moderador]> (27) Gostaria de colocar duas máximas que eu guardo mas gostaria que fossem comentadas: 1) "A diferença entre amigo e parente é que amigo é aquele que escolhemos"; 2) "Parentes, só ficam bem em fotografia" Delfin Neto.

Não sei se você escolheu a pessoa certa para comentar duas máximas que me parece você guarda com carinho. Eu discordo completamente! Porque eu amo a minha família. E tenho lutado com muita alegria para preservá-la. O ideal é tentarmos cultivar sentimentos positivos, onde a indiferença possa ameaçar crescer.  (t)

<[Moderador]> (28) Neste exato momento a Rede Globo exibe um programa sobre educação sexual. O que o espiritismo nos diz sobre isso?

O Espiritismo nos diz que devemos esclarecer as nossas crianças sobre a realidade da Vida. O sexo é estudado pela Doutrina com naturalidade, fazendo ele parte da Vida. Se questionamos quanto ao momento ideal para falarmos sobre sexo com as nossas crianças, vamos entender que o momento ideal é o da própria procura, quando a criança começa a fazer questionamentos ela já está indicando que é hora de ensinar. Muitos pais têm medo desses momentos e preferem que os seus filhos aprendam nas ruas. Vamos olhar nos olhos de nossas crianças transmitindo confiança e elas estarão sempre ao nosso lado, fazendo as perguntas certas e muitas vezes elas mesmas indicando-nos o que devemos falar.  (t)

<[Moderador]> (29) O conceito de família para nós, espíritas não deve ser muito maior do que pai / mãe / filho / irmão / tio, etc... Ou seja: essa é nossa família hoje, mas nossa verdadeira família é muito maior e abrange encarnados e desencarnados, certo? na verdade, minha preocupação é que temos essa tendência  ao nos fechar nesse ciclo familiar e achar que nossa família é mais importante que os outros irmãos que temos. Esta é a penúltima pergunta.

No Evangelho Segundo o Espiritismo, nós refletimos que a chaga da Humanidade é o egoísmo.  Esse sentimento, se não trabalhado, domina. Observamos em grande parte de nós mesmos, que nos dizemos espíritas, uma forte tendência a tão só valorizar aqueles a quem queremos bem.  A Doutrina dos Espíritos exatamente esclarece sobre a eternidade e a filiação divina. A nossa verdadeira identidade é a de filhos de Deus.  Por certo, com estudo, reflexão e trabalho atingiremos esse sentimento ideal de respeito e amor para com todas as criaturas.  (t)

<[Moderador]> Última pergunta da noite, amiga: (30) <[duda]> Como é visto o planejamento familiar criado pelos homens, já que este pode acabar impedindo a vinda de um espírito que deveria reencarnar e por este motivo acaba privado de uma nova experiência?

Aquele que nega oportunidades, naturalmente viverá restrições. O ideal é o homem buscar Deus e se esforçar para refletir nos seus atos a vontade suprema. Enquanto isso não ocorrer, conheceremos dores e lágrimas, nesse constrangimento de fugirmos do trabalho de reajuste perante os mesmos faltosos de ontem. Na verdade, quando convidados ao reencontro com os amados, não recalcitramos.  (t)

Considerações finais do palestrante:

Primeiramente, gostei muito de participar, é a minha primeira experiência e todos os recursos que possam ser usados na divulgação do Evangelho e da Doutrina dos Espíritos são valiosos. A respeito da família, eu gostaria de reafirmar a urgência de reavaliarmos o nosso comportamento nessa reunião dentro de uma casa que precisamos transformar em lar. A Doutrina esclarecendo sobre a beleza da Vida, deixa-nos excelentes oportunidades para alcançarmos esse ideal. A respeito dos nossos livros, gostaríamos de dizer que estamos trabalhando de uma forma inédita. Os nossos livros, a partir de 1998, estarão, todos, acompanhados por um CD, ou fita K7, com músicas mediúnicas. Teremos o maior prazer em atender a quantos queiram conhecer os nossos livros e as nossas músicas. Nosso endereço: Pousada de Francisco - Rua Carlos Queiroz, 190 - CEP:  27140-060 - Barra do Piraí - RJ. Telefone: (024) 442-1672. Nosso último lançamento é o livro "A Convite do Pai". Encontros de Jesus que refletem o halo amoroso dessas vivências.  O CD, que acompanha o livro, é também constituído por músicas mediúnicas de Irmã Virgínia relembrando os encontros do Cristo. Gostaríamos de convidar para o lançamento do nosso próximo livro no dia 02/05, na Bienal em São Paulo. O livro será "Três Mulheres e o Vento". Obrigada! (t)

Oração Final:

Senhor , Pai de Infinita bondade , Jesus Mestre amado. Agradecemos Senhor por estes momentos , em que recebemos tão belos ensinamentos e orientações para que nos tornemos melhores a cada dia. Agradecemos a irmã Oneida Terra , e pedimos que a  abençoe em todos os momentos, bem como a todos que participaram deste trabalho. Senhor , ajuda-nos em todos os momentos de nossa existência , somos frágeis e imperfeitos , muito temos ainda a aprender , a corrigir. Mas hoje já compreendemos que só existe um caminho , o caminho do amor. Ajuda-nos a segui-lo , se nos faltarem forças, se pararmos a beira do caminho , guia-nos. Bem como a todas as criaturas encarnadas e desencarnadas , Rogamos , ampara e protege , orienta a todos , com Tua Luz com Teu Amor. E assim Senhor , mais uma vez agradecemos e pedimos , fica conosco , hoje e sempre. Assim Seja!

Companheiro

LIVRO É NOTÍCIA

COMPANHEIRO

Este é daqueles livros em que, desde o sugestivo título, já é possível reconhecer a utilidade da obra para todos os momentos da vida, sejam eles de alegria ou de dificuldade. Com mensagens de esclarecimento e conforto, que muito auxiliarão aos que lhe percorrerem as páginas, Companheiro é de autoria do Espírito Emmanuel pela lavra mediúnica de Chico Xavier e está alcançando agora a 35a edição. Este fato é marcado com um relançamento que traz nova roupagem gráfica, que revive a beleza das publicações do passado.

A responsabilidade do trabalho é do Instituto de Difusão Espírita (IDE), que detém os direitos sobre a obra, o qual teve o cuidado de trazer nesta edição comemorativa também a clássica capa dura, com letras em dourado envelhecido e em alto relevo. A diagramação é outro destaque no livro, que, sem esquecer as necessidades e os avanços dos tempos atuais, apresenta letras e espaço entrelinhas do texto em tamanho maior, facilitando ainda mais a leitura, sobretudo a pessoas da terceira idade.

A existência pode ter sido amarga. Espinheiros talvez se te estendam no caminho. Caíste, provavelmente, algumas vezes e outras tantas te reergueste, à custa de lágrimas. Sofreste perseguição e zombaria. O mundo terá surgido aos teus olhos por vasto deserto. Anotaste a força da morte que te subtraiu a presença de entes caros. Viste a deserção de companheiros, renegando-te os ideais. Seres queridos ignoraram-te os propósitos de elevação. Varaste crises em forma de fracassos aparentes. Tiveste o menosprezo por parte de muitos daqueles aos quais te confiaste. Ouviste as palavras esfogueantes dos que te condenaram sem entender-te. Palmilhaste longas áreas de solidão. Perdeste valores que consideravas essenciais à sustentação dos empreendimentos que te valorizam as horas. Sofres tribulações. Suportas conflitos. Atravessas dificuldades e tentações. Entretanto, por maior que seja a carga de provações e problemas que te pesam nos ombros, ergue a fronte e caminha para a frente, trabalhando e servindo, amando e auxiliando, porque ninguém, nem circunstância alguma te podem furtar a imortalidade, nem te afastar da onipresença de Deus  diz a mensagem Ânimo e fé, uma das 20 que compõem o livro. Página de fé, Companheiros e caminhos, Questões de mudança, Tensão emocional, No domínio das palavras e Em horas de crise são os títulos de mais algumas delas.

Companheiro tem 142 páginas e formato padrão de 14x21cm. Pode ser adquirido diretamente na página do IDE: www.idelivraria.com.br.

SERVIÇO ESPÍRITA DE INFORMAÇÕES
Boletim SEI: E-mail: boletimsei@gmail.com
Junho 2013  no 2225

https://chat.whatsapp.com/BBdBqQYDWX063IQsvumtvW

LIVRO ESPIRITA NA HORA DO ADEUS

https://youtu.be/GsbJ959V6WA

sábado, 29 de outubro de 2016

Otimismo

OTIMISMO, SEMPRE!

Ter uma atitude positiva perante a vida pode retardar o envelhecimento. A afirmação é de pesquisa feita pela Universidade do Texas, Estados Unidos, e publicada no jornal Psycology and Aging (Psicologia e envelhecimento). Para o estudo, foram realizados testes com 1.558 pessoas mais velhas da comunidade de americanos de origem mexicana para averiguar se havia relação entre emoções positivas e problemas de saúde. No início do trabalho, que durou sete anos, todos os voluntários estavam em bom estado de saúde. Com o passar do tempo, no entanto, constatou-se que os que tinham uma visão mais positiva da vida foram apresentando menos problemas de saúde. De acordo com os estudiosos, ainda será preciso realizar novas pesquisas a respeito para determinar por que existe essa ligação. Contudo, especulam que as emoções positivas podem afetar diretamente a saúde já que alteram o equilíbrio químico do corpo.

Acredito que há uma ligação entre corpo e mente e que nossos pensamentos, atitudes e emoções afetam o funcionamento físico, e a saúde de forma geral  afirmou o pesquisador-chefe, Glenn Ostir, à BBC News Online, que noticiou o estudo através da reportagem Otimismo retarda envelhecimento, diz pesquisa.

A respeito do tema, vale relembrar a página Segue e confia, de Meimei, psicografada por Chico Xavier, parte do livro Palavras do coração, publicação da Cultura Espírita União:

Quantas vezes as ocorrências calamitosas te induzem a esmorecer na jornada do Bem?!...

Em muitas ocasiões, tremes à frente dos acontecimentos infelizes que se te afiguram conjugados para te subtraírem a fé e te arrojarem à exaustão.

Entretanto, no auge das lágrimas, eis que o socorro de Deus te surge por luz nas trevas!

Conserva acesa a lâmpada de tua fé e segue adiante, clareando o caminho.

Recorda os irmãos da estrada, para muitos dos quais uma réstia de luz é um tesouro dos Céus.

Na Terra, por muito tempo ainda, a ventania da adversidade soprará, sob as nuvens da provação, assumindo formas diversas... Virá nos dias cinzentos da enfermidade, nas horas vazias quando os entes mais queridos te releguem a sós, nas expressões agressivas daqueles que ainda não se te harmonizam com os ideais, na carência afetiva dos momentos de solidão, no congelamento indefinido de teus mais belos sonhos ou na perda de criaturas amadas que te antecedem no Mais Além ou que se te afastam da senda para se atirarem nos precipícios da aventura, na condição de vivos-mortos.

Ainda assim, segue sempre e não temas.

Quando os empeços se te fizerem tão grandes à frente, qual se o Céu te houvesse esquecido, guarda-te na confiança, porque todo ápice de sofrimento significa que o socorro vem vindo.

SERVIÇO ESPÍRITA DE INFORMAÇÕES
no 2094


https://chat.whatsapp.com/HKQU0pYcQ84818HfHZbKxR

A FÉ

A Fé Ativa construindo uma Nova Era 40

Módulo/Eixo Temático: A Fé Ativa

Compromisso com a Fé

(Joanna de Ângelis, in Momentos Enriquecedores)

Qualquer compromisso que se assume impõe deveres que devem ser atendidos, a fim de conseguir-se a desincumbência feliz.

Se te comprometes com a área da cultura sob qualquer aspecto, enfrentas programas e horários, disciplina e atenção, para alcançares a meta pretendida.

Se buscas trabalho e desenvolvimento econômico, arrostas obrigações sucessivas, obediência, ação constante, e através dessa conduta chegarás aos objetivos que anelas.

Se te comprometes com a edificação da família, muitos imperativos se te fazem indispensáveis atender, de forma que o lar se transforme em realidade feliz.

Se aceitas o compromisso social, tens que te submeter a inúmeras condições inadiáveis, para atingires os efeitos ditosos.

Compromisso é vínculo de responsabilidade entre o indivíduo e o objetivo buscado.

Ninguém se pode evadir, sem tombar na irresponsabilidade.

Medem-se a maturidade e a responsabilidade moral do ser através da maneira como ele se desincumbe dos compromissos que assume.

O profissional liberal que enfrenta dificuldades, para o desempenho dos compromissos, luta e afadiga-se para bem os atender, mantendo-se consciente e tranquilo.

O operário que aceita o compromisso do trabalho, sejam quais forem as circunstâncias e os desafios, permanece na atividade abraçada até sua conclusão.

Compromisso é luta; é desempenho de dever.

O prazer sempre decorre da honorabilidade com que cada qual se desincumbe da ação.

Em relação à fé religiosa, a questão é semelhante.

Quem se apresenta no campo espiritual buscando a iluminação, não tem condição de impor requisitos, mas, aceitá-los conforme são e devem ser seguidos.

Não se trata de um mercado de valores comezinhos, que devem ser leiloados e postos para a disputa dos interesses subalternos.

O compromisso com a fé religiosa é de alta relevância, pois se trata de ensejar a libertação do indivíduo, dos vícios e delitos a que se condicionou, e que o atormentam.

São graves os quesitos da fé religiosa.

Mesmo em se tratando de preservar a liberdade do candidato à fé, ela não modifica os programas que devem ser considerados e aplicados na transformação moral íntima.

Estabelecida a dieta moral, o necessitado de diretriz esforça- se para aplicar, incorporar as lições hauridas no seu cotidiano. Nenhuma modernidade altera as leis da vida, que são imutáveis.

Desse modo, o compromisso com a fé não permite ao indivíduo adaptar a linha direcional da doutrina que busca aos seus hábitos perniciosos e às suas debilidades morais.

O Espiritismo apoia-se moralmente nas lições de Jesus, sendo a sua, a mesma moral vivida e ensinada pelo Mestre.

Adaptar essa moral às licenças atuais, aos escapismos éticos em moda, às concessões sentimentais de cada um, constitui grave desconsideração ao excelente conteúdo que viceja no pensamento espírita.

Indispensável que o compromisso com a fé espírita mantenha-se inalterado, sem a incorporação dos modismos perniciosos e perturbadores do momento, assim ensejando a transformação moral para melhor de todos quantos o aceitem em caráter de elevação.

Somente assim, todo aquele que abrace a fé, que luz na Doutrina Espírita, terá condições para vencer estes difíceis dias em paz de consciência, mesmo que sob chuvas de incompreensões e desafios constantes do mal, dos vícios e dos perturbadores.

https://chat.whatsapp.com/BBdBqQYDWX063IQsvumtvW

Linda Prece Divaldo Pereira Franco com o fundo musical Miserere

https://youtu.be/V4Ho1GLGmo8

Prece por tranquilidade nos momentos difíceis TV Mundo Maior

https://youtu.be/lagGCSO5YH0

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

VIAGENS PSIQUICAS NO TEMPO

Palestra
Virtual
Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br







Tema: Viagens Psíquicas no Tempo.



Palestrante: Lamartine Palhano Jr.



Rio de Janeiro







Organizadores da Palestra:

Moderador: "Brab" (nick: |Moderador|)
"Médium digitador": "Dejavu" (nick: Lamartine_Palhano_Jr)

Oração Inicial:

Senhor Jesus, aqui estamos mais uma vez, Senhor, reunidos em Teu nome buscando entender um pouco mais das Leis de Deus. Que possamos absorver o máximo possível de tudo o que aqui for dito. Que os ensinamentos proferidos possam responder a algumas daquelas questões que buscamos e que possamos multiplicar essas informações aos que, como nós, se encontram ansiosos pelo conhecimento. Auxilia nosso companheiro Palhano, responsável pelo tema da noite. Que ele possa estar amparado pelos amigos espirituais que dirigem esta tarefa. Fica conosco, Senhor. E que possamos em Teu nome, iniciar a nossa Palestra Virtual da noite de hoje. Que assim seja!

Apresentação do palestrante:

Comecei a estudar o espiritismo desde os 15 anos de idade, atuando na evangelização infantil, depois junto à juventude. Aos 20 anos de idade, entendi que precisava estudar mais para compreender melhor a doutrina formei-me em Farmácia e Bioquímica, especialista em análises clínicas, mestre em microbiologia e imunologia, doutor em ciências pela Universidade do Rio de Janeiro, sem nunca ter parado de estudar a doutrina. Assim que consegui os primeiros resultados de meus trabalhos científicos publicados no Brasil e no exterior no campo da microbiologia médica, comecei também a publicar os resultados de meus trabalhos espíritas, observando a mediunidade de diversos médiuns no Brasil. Ao mesmo tempo, empreendi diversas palestras, conferências, palestras e cursos em diversas cidades brasileiras, divulgando a doutrina espírita.(t)

Considerações Iniciais do Palestrante:

A médium Luana que está aqui ao meu lado está dizendo que pesquisadores da primeira hora, como Crookes e Denis estão presentes e interessados no trabalho. Convido os médiuns que estão participando a perceberem estas influências. Além do mais, Kardec foi instruído pelos espíritos que durante o sono físico o espírito emancipa-se do corpo e pode ir ao passado à distância no presente e procurar o futuro. (t)

Perguntas/Respostas:

<|Moderador|> [1] [Froid] Qual a relação entre "viagem psíquica" e "viagem espiritual", além da semântica? (Complementação do Moderador: Poderia definir as duas para nós, amigo Lamartine?)

De acordo com o contexto em que as duas expressões são citadas, podem significar a mesma coisa. Uma viagem do espírito encarnado que se emancipa do corpo momentaneamente em busca de seus interesses espirituais. Prefiro o termo "viagem psíquica", devido à divisão didática que fiz para melhor entendimento do tempo: tempo cronológico; tempo psicológico e tempo psíquico. O tempo cronológico é aquele contado pelas horas. O psicológico é o que você vive. Por exemplo, sentindo dor o tempo passa lento, na felicidade, o tempo nem é sentido. O tempo psíquico é aquele que o seu ser psíquico, com a consciência expandida, consegue alcançar. Então, neste tempo psíquico, o seu presente é até onde a sua consciência abrange numa medida do passado e numa medida do futuro. Exemplo: se a minha consciência atua lembrando apenas da última semana vivida e de acordo com a próxima semana que vou viver, o meu presente é este. (t)

<|Moderador|> [2] [jaja] Existe algum perigo nas "excursões" realizadas fora do corpo de modo provocado?

Existem perigos. Por isso, nas regressões e nas progressões da memória, é preciso sempre a assistência de um profissional, no caso de assuntos de natureza terapêutica. Nas questões espíritas, é preciso ter certeza da proteção espiritual, pois que estamos num planeta de provas e expiações onde existem perversidades ocultas e falsos mestres (espíritos enganadores) capazes de interferir desastrosamente. (t)

<|Moderador|> [3] Duas Perguntas Interligadas: [indddia] Quais os benefícios que nos trazem tais viagens? E ocorrem somente durante o sono físico? / [cassia] Com que propósito são feitas as viagens no tempo, ou seja, qual a justificativa, dentro da doutrina, para alguém fazer esse tipo de experiência?

Trataremos aqui das viagens de pesquisa. Evitaremos os assuntos relativos a terapia de vidas passadas, que deixaremos para os especialistas. Em Espiritismo, temos muitos benefícios a serem alcançados: esclarecimentos históricos, porque a história contada é falsa, inclusive a história do Cristo; melhor compreensão da natureza do sofrimento humano. Só isto já justificaria, contudo, o conhecimento abrangente da evolução da história do homem pode oferecer uma visão nítida do plano dos trabalhos empreendidos pelos espíritos superiores na educação do espírito humano. (t)

<|Moderador|> [4] [Caminheiro] Irmão Lamartine: Outro dia comentávamos: "Se Deus sabe o futuro, então o futuro está escrito! Se Ele não sabe o futuro, então Ele não sabe todas as coisas, e lhe falta esse atributo - de ser onisciente!". O que nos diz sobre essa afirmação?

Os espíritos disseram a Kardec que o futuro pertence a Deus, com muita razão. Ele é onisciente e onipresente. Tudo sabe, tudo prevê, não há improviso em suas ações. Suas leis são imutáveis. Tudo está Nele, não em nós. Como somos partículas da essência Dele, precisamos aprender tudo o que Ele sabe para adquirirmos competência para conviver com Ele. Por isso, Ele construiu o universo material como um grande recurso didático nas dimensões espaço e tempo para na extensão, na duração e na sucessão das coisas, o espírito possa aprender. (t)

<|Moderador|> [5] [Froid] Minha pergunta anterior (Nota do Moderador: relação entre "Viagem psíquica" e "Viagem Espiritual", pergunta 01) se refere à possibilidade de se diferenciar a viagem psíquica, proveniente da imaginação, e viagem espiritual, considerando a possibilidade de o espírito persistir como consciência fora do corpo. Qual o critério de diferenciação entre sonho e realidade, sendo esta realidade desprovida de tendência religiosa ou crença?

Em relação a sonho, existem diversas categorias. O cérebro é como um computador. Diante de um estímulo, ele pode lançar mão de imagens arquivadas. E pode refletir também mensagens que chegam do espírito emancipado e decodificá-las a seu modo, pode, inclusive, filtrar as orientações que o espírito está recebendo. Assim, existem muitas nuanças em relação aos sonhos e viagens psíquicas. Umas bem nítidas, outras confusas. Quando se trata de uma informação espiritual, o sonho está ligado a um sistema de transe e a pessoa tem certeza do ocorrido. Trata-se então de uma visão da alma. (t)

<|Moderador|> [6] Duas Perguntas Interligadas: [Harry] Caro expositor, Muita PAZ! Podemos efetivamente "viajar no tempo"? Digo, retornarmos mesmo a um tempo passado (vivido e experimentado) e mais, interagir com essa realidade? / [Esp] Luz e paz a todos. Gostaria de saber se tanto na regressão de memória quanto na progressão, pode (ou não) e/ou deve-se (ou não) "manipular" os fatos?

Podemos buscar o passado nos nossos registros psíquicos e nos registros dos outros psiquismos, pois somos um todo coletivo sob a direção do pensamento único de Deus. Deus não tem permitido facilidade na busca do passado ou do futuro para esta humanidade terrena, devido ao seu grau de evolução espiritual ainda localizado nas faixas inferiores da imperfeição. A interação com o passado e com o futuro seria mais prejudicial que útil. No entanto, temos visto algumas pesquisas com bons resultados permitidas para o aprendizado humano. A bênção do isolamento no tempo vem do fato de que o nosso passado apresenta desmandos e crimes contra a consciência que não seria prudente serem lembrados. Mas nos chegam na forma de lembranças e tendências. Quando for possível e permitido, ao gastarmos os nossos recursos do passado diante das atividades do presente, poderemos ir ao futuro e buscarmos estes recursos. Exemplo disto foram alguns inventores e cientistas que conseguiram tirar "do nada" fórmulas e conceitos que mudaram a idéia filosófica. (t)

<|Moderador|> [7] [Caminheiro] O que nos diz dos casos de regressão de memória que ocorrem muitas vezes em sessões de desobsessão? (com os encarnados e com os desencarnados)

Estas sessões, geralmente, estão orientadas por espíritos superiores que conseguem rasgar o passado do paciente encarnado ou desencarnado como se faz com um furúnculo que precisa ser lancetado. Essa catarse geralmente é controlada, favorecendo o alívio do paciente. Nada há de estranho nisso. (t)

<|Moderador|> [Dilma] [8] Quais os critérios que devem ser avaliados para que se realize a regressão ?

Os critérios de hipnose visando a terapêutica devem ser escolhidos pelo profissional que tem os recursos para o controle psicológico da situação. Na pesquisa espírita, o investigador deve ser experimentado, saber o que quer, contar com a ajuda espiritual segura, e se utilizar da técnica que mais facilmente o faça alcançar seus objetivos. Em nosso caso, não utilizamos hipnose, mas treinamos pessoas (médiuns) capazes de fazer um transe de modo tranqüilo e espontâneo para que saibam canalizar esse transe (transe canalizado). Quando o percipiente está em transe, obedece à ordem que lhe é dada e ele avança no passado à distância no presente, e no futuro. Esta técnica tem sido aplicada por nós para estudar a natureza das causas do sofrimento humano (publicamos "Laudos Espíritas da Loucura"). Nessa obra, mostramos os casos de doenças mentais e as causas anteriores que contribuíram para que o paciente entrasse nestes conflitos. Na obra que será publicada em breve, a qual será chamada "Viagens Psíquicas no Tempo", estudamos de um modo geral as causas iniciais dos conflitos humanos, dos sofrimentos e do futuro que nos espera. (t)

<|Moderador|> [9] Duas Perguntas Interligadas: [Caminheiro] Se Deus sabe o futuro, então, isso significa que estamos "predestinados"? Poderia explicar melhor? / [Delanne] O futuro já existe?. Se existe então somos o futuro do passado nosso há um certo tempo atrás. Então o futuro, se existe já esta pronto, formado, como blocos de ações, com vida própria?

A predestinação já está dita até na Bíblia, em muitas passagens. O que há realmente é uma programação para o aprendizado de todos, mas, a verdade é uma só. Portanto, todos nós, à maneira de cada um, chegaremos a ela, de acordo com o esforço empregado. O futuro já existe no conhecimento de Deus, pois para Ele, tudo é presente. Nós temos que avançar no pensamento Dele, e na medida que avançamos, com o nosso livre arbítrio, vamos cumprindo o programa, e este programa, sendo traçado com base na psicologia divina, vai se ajustando automaticamente. (t)

<|Moderador|> [10] [Harry] Que relação há entre esse assunto e tal da sincronicidade tão estudada por C.G. Jung - se é que há alguma relação - ? (Complementação pedida pelo Moderador em relação a Teoria de Jung: Se não me engano, a Sincronicidade toca na questão de termos fatos em nossas vidas que se relacionam de forma sincronística, sem "causa aparente". Ex.: numa noite sonho com um amigo que não vejo a 10 anos, na manhã seguinte dou de cara com ele em plena Av. Rio Branco?! Não teria sido uma incursão no futuro?!)

É preciso lembrar que não estamos sozinhos em nossa viagem no fator tempo. Dependemos uns dos outros. Nossas vidas psíquicas estão interligadas, por mais distantes que nossos corpos estejam. Pode parecer um paradoxo. Mas, a pergunta 420 do Livro dos Espíritos deixa bem claro que o espírito encarnado não está preso no corpo como se estivesse numa caixa, irradia por todos os lados. (t)

<|Moderador|> [11] [Reveusee] Essas viagens psíquicas podem ser/são voluntárias e/ou involuntárias?

Podem ser voluntárias quando o indivíduo tem possibilidade anímica de fazer o próprio transe. Podem ser involuntárias quando há ação espiritual ou o indivíduo recebe um estímulo (choque psíquico) que lhe provoca o transe; pode ainda ser espontâneo, como acontece com certos médiuns, que por sua facilidade de transe vêem facilmente ações à distância no passado ou no presente. (t)

<|Moderador|> [12] [Esp] Paz e luz. Será que não é possível, "dentro" (no tempo e espaço) de nosso planeta (encarnado e desencarnado) algum espírito capaz de fazer a "manipulação" dos fatos psíquicos da memória (individual e coletivamente) (positivamente, conforme entendi na resposta à 1 pergunta)? [Complementação pedida pelo Moderador: " A idéia é saber se os fatos que vão ocorrer e ocorreram, podem ser mudados....")

Darei um exemplo de manipulação dos fatos passados, no presente. Nos casos de esquizofrenia estudados por nós e publicados no livro acima citado, verificamos que o paciente tem um canal psíquico aberto, captando as cenas dos seus crimes hediondos do passado, cenas estas manipuladas por obsessores sagazes que o fazem permanecer no estado enfermiço. Quanto a mudar os fatos, isto não é permitido no sistema espaço-tempo, pois o tempo em si não é uma dimensão, mas uma energia que permite a duração e a sucessão dos eventos, como está explicado no livro "A Gênese" de Kardec, pelo espírito Galileu, através do médium Flamarion.(t)

<|Moderador|> [13] [Caminheiro] Poderia sugerir formas, exercícios, "receitas" para treinamento de viagens psíquicas no tempo? Que orientação sugere para as Casas Espíritas?

Sugiro que as orientações de Allan Kardec do Livro dos Médiuns e da Revista Espírita concernentes às reuniões mediúnicas sofram uma nova leitura. Isso mostrará como se forma um todo coletivo em grupos pequenos (campo psíquico). Na segurança desse campo psíquico, onde estão relacionados os encarnados e os desencarnados interessados nos objetivos pré-determinados, podemos preceder qualquer pesquisa com segurança. É preciso ter em mente que a energia psíquica é a energia primeira com que Deus construiu o universo, e que cada um de nós tem uma quota. Assim, essa energia precisa de direção segura, caso contrário, poderá causar mais danos do que benefícios. No caso dessas pesquisas no tempo, o grupo deve treinar, estar preparado para eventualidades inesperadas de ordem psíquica, para evitar um choque psíquico e um desequilíbrio desnecessário. No treinamento deve constar a canalização do transe para os objetivos a serem alcançados, caso contrário haverá dispersão de energia. Não há necessidade de hipnose nem de condicionamentos mentais.(t)

<|Moderador|> [14] [Nadja] Gostaria de saber sobre as pesquisas da Dra. Helen Wambach sobre progressões de memória. Há fundamento? (Complementação pedida pelo Moderador: A progressão de memória funciona da mesma forma que a regressão. Magnetizadas, as pessoas vão até o "futuro" e descrevem futuras encarnações. Hermínio Miranda analisa o trabalho da Dra. Wambach, que fez experiências com um grupo de 2.500 pessoas com resultados bastante significativos e parecidos.)

Li os trabalhos de Hermínio Miranda, da Helen e de seu discípulo Chet Snow. As análises do Hermínio são substanciosas. O trabalho da Helen, que faleceu em 1983, confirma ipsis literis a tese do Livro dos Espíritos, inclusive os permeios reencarnatórios, a necessidade da reencarnação, a programação da reencarnação, o objetivo da reencarnação, todos os itens. Recomendo a leitura de seus dois livros: Recordando Vidas Passadas e Vida antes da Vida. Quanto à continuidade das progressões da Dra. Helen, Chet Snow publicou recentemente sua tese com muitas progressões hipnóticas e com transes conduzidos. Na nossa obra Viagens Psíquicas no Tempo, a ser publicada ainda, confirmamos em nossas pesquisas as descobertas anotadas por Snow do próximo milênio.

Considerações finais do Palestrante:

Afirmo que a pesquisa espírita está agora saindo da sua fase primeira para entrar numa fase de maior alcance quando a percepção anímica deverá ser mais valorizada do que os canais próprios da mediunidade. Portanto, estamos com um universo de fatos a serem observados ainda, longe de alcançar a verdade total. Que os pesquisadores espíritas possam retirar o Espiritismo da fase religiosa para inseri-lo no aspecto científico que traduz uma realidade religiosa muito maior, que é a religião natural preconizada por Léon Denis e pelos espíritos em Obras Póstumas, quando seremos religiosos por compreendermos a Deus. A impressão que estou tendo é que este grupo de espíritas formado por vocês abriu um canal importante para a comunicação espírita, a troca de informações valiosas entre os confrades interessados, os pesquisadores honestos que buscam as verdades eternas. Sinto que os espíritos responsáveis pela expansão do conhecimento espírita estão satisfeitos e contentes por contarem com mais este recurso. Deus abençoe a todos nós. Para contato posterior, pode ser usado provisoriamente o endereço de e-mail: luanapol@nutecnet.com.br (t)

Oração Final:

Pai Amoroso, corações unidos em prece, elevamos a Ti o pensamento humilde para agradecer a sublime oportunidade de aprendizado Inspira-nos, Pai Querido, a prosseguir nessa busca incessante pelo conhecimento saudável, o Conhecimento que cria, que auxilia, que impulsiona o progresso. Que saibamos, cada vez mais, aprofundar os conhecimentos científicos, utilizando-os para chegar a uma consciência maior sobre o universo, harmonizando-nos com a Criação, fazendo-nos amar mais a tudo o que procede de Ti, Pai Querido. Abençoa-nos os dias com a sabedoria dos que amam e compreendem. Fica conosco, agora e sempre. Que assim seja

Dinossauros e a bíblia

O JOVEM E SEUS PROBLEMAS

Interessar-se pelo conhecimento da Doutrina Espírita, acaba gerando no jovem perquiridor de nosso tempo, dúvidas e mais dúvidas sobre pontos que não se encontram ampla e explicitamente tratados nas obras disponíveis.

OS DINOSSAUROS E A BÍBLIA

Vi na televisão uma reportagem sobre dinossauros, aqueles animais gigantescos que habitaram a Terra há milhões de anos e que existiram também no Brasil.

É no mínimo estranho que a Bíblia, que dizem ser a palavra de Deus e trata da criação do mundo, não fale em dinossauros... (MARLENE S.  BAURU  SP)

A Bíblia, embora se refira à criação do mundo e dos seres vivos, não poderia se referir aos dinossauros, porque quando foi escrita não se sabia e nem sequer se desconfiava da existência desses animais. A visão de mundo que se tinha, então, era muitíssimo acanhada. A Gênese da Bíblia fala de Adão e Eva como pessoas iguais a nós, mas não faz nenhuma referência aos ancestrais humanos que nos antecederam na longa experiência evolutiva de milhões de anos, descobertos pelos pesquisadores no século XIX, mais de 3.000 anos depois de Moisés. Logo, Moisés - ou quem escreveu o episódio da criação - estava muito distante desses conhecimentos e tinha outra visão de mundo e outra concepção de vida. Naquela época, não se tinha a mínima noção de evolução. Os conceitos vinham do mito, tanto entre os hebreus como em qualquer outro povo; aliás, os sumérios, antes de Moisés, já falavam do episódio da criação e do dilúvio, através da epopéia Gilgamesh. O homem precisava encontrar uma explicação para o mundo em que vivia e do qual fazia parte: o mito, próprio da infância da humanidade, foi o seu primeiro recurso. Logo, a Bíblia, como nenhum livro antigo, não poderia antecipar os conhecimentos que, só recentemente, foram alcançados pelo progresso do pensamento humano e pela investigação e pela ciência.

INFORMAÇÃO:
REVISTA ESPÍRITA MENSAL
ANO XXX Nº351

Histórias que educam

HISTÓRIAS QUE EDUCAM
Frederico Guilherme Kremer

As religiões, no passado, sempre se utilizaram de dois tipos de linguagens nos textos para divulgação das suas mensagens. Uma linguagem direta, onde são abordados os ensinamentos morais, e uma linguagem metafórica, onde são trazidos os ensinamentos mais profundos.

Para interpretação desses ensinamentos foram criadas as chamadas escolas de mistérios.

Elas existiram em toda Antigüidade e eram freqüentadas pelas pessoas de maior entendimento espiritual, conhecidas como iniciados.

No Evangelho, encontramos a mesma situação. Jesus se utilizou das parábolas para falar, principalmente, do Reino de Deus. Como falar de algo que é vibracional e interior senão através de uma linguagem alegórica? Por outro lado, o Mestre empregou uma linguagem direta nos ensinamentos morais. Assim, encontramos mais de 40 parábolas, principalmente nos Evangelhos sinópticos de Marcos, Lucas e Mateus. Das formas de linguagem metafóricas, a fábula não foi utilizada pelo Mestre.

As fábulas são pequenas histórias cujos personagens são normalmente animais e concluem com uma lição moral. Utilizadas no Oriente antigo, sempre tiveram um apelo popular. As tradições ocidentais, a exemplo da filosofia, iniciaram-se na Grécia, através da figura mitológica de Esopo, que parece ter vivido no século VI a.C. Esopo foi escravo e, por sua inteligência invulgar, acabou sendo libertado, viajando por toda região mediterrânea, vindo a falecer vítima de um plano elaborado por sacerdotes do famoso santuário de Delfos, a quem acusara de comércio ilegal das doações oferecidas. Esopo apresentou suas fábulas apenas oralmente e elas só foram escritas cerca de 300 anos depois, por Demétrio de Falera. Demétrio foi um dos organizadores da famosa Biblioteca de Alexandria que, por 700 anos, constituiu-se no principal centro de saber da Antigüidade.

As tradições de Esopo foram renovadas por Fedro, no século I. Ele viveu na mesma época de Jesus, em Roma e, a exemplo de Esopo, também foi escravo, sendo libertado por Augusto. Fedro, a partir da sua vivência, fazia uma crítica social, o que acabou criando problemas para ele com os imperadores Tibério e Nero. Fedro introduziu a fábula na literatura latina.

No século XVII, essas tradições seriam revitalizadas pelo famoso escritor francês Jean de La Fontaine. Diferentemente de Esopo e Fedro, Jean de La Fontaine não foi escravo. O material para as suas fábulas ele extraía da convivência na corte do Rei Luís XIV, o famoso Rei Sol.

Extremamente populares, as fábulas sempre procuraram levar uma moral para o povo. Talvez a moral mais popular seja: ajuda-te que o céu te ajudará.

Essa famosa moral é auto-explicativa e muito importante para as nossas vidas. Ao responderem a questão 653 de O Livro dos Espíritos, quando Allan Kardec pergunta se a oração pode mudar o curso das nossas provas, os Espíritos se utilizaram dessa moral na resposta. Posteriormente, no capítulo 25 de O Evangelho segundo o Espiritismo, o próprio Allan Kardec se utiliza da moral ao comentar a famosa trilogia cristã trazida pelo Mestre: Pedi e lhe será dado, buscai e achareis, batei e a porta se abrirá (Mateus, 7:7).
A frase está dividida em duas partes.

A primeira é ajuda-te. Precisamos entender a quem se refere o te, ao nosso espírito imortal ou à nossa personalidade transitória? O interior ou o exterior? As nossas preocupações normalmente estão centradas nas demandas do mundo e não damos a atenção necessária para o nosso espírito eterno, ou seja, a nossa individualidade imortal. Precisamos ajudar o nosso espírito nesta luta que todos nós travamos entre o que é transitório e o que é imortal.

A segunda parte é que o céu te ajudará.

A ajuda do céu sempre chega, esta é a certeza e confiança que devemos ter em Deus. Sempre recebemos ajuda do Alto quando pedimos sinceramente, embora muitas vezes a resposta seja diferente daquilo que pedimos. O sábio mentor do médium Francisco Cândido Xavier, Emmanuel, aprimorou este conceito numa frase de rara beleza: Para quem esteja a serviço do bem, o socorro acontece antes que a necessidade apareça (página psicografada por Chico Xavier em 17 de agosto de 1974, em Uberaba, Minas Gerais).

O Universo é o nosso domicílio.

A Humanidade é nossa família.

Vinha de luz Emmanuel

SERVIÇO ESPÍRITA DE INFORMAÇÕES
no 2094

Allan Kardec para todos

LIVRO É NOTÍCIA

ALLAN KARDEC PARA TODOS

Doutrina que esclarece e consola, o Espiritismo reúne grande cabedal de informações para os que buscam respostas para aquelas clássicas dúvidas que há milênios afligem o espírito humano  Quem sou? De onde vim? Para onde vou? , mistérios que o estudo da Codificação e das obras complementares pouco a pouco irá ajudando a desvendar. Considerando, contudo, que nos dias de hoje, de tanta pressa, nem sempre é possível dispor do tempo que se gostaria, inclusive para o estudo das coisas relacionadas ao Espírito, um livro especialmente preparado para agilizar esse aprendizado pode ser um grande aliado. Pensando nisso, Luis Hu Rivas, colaborador da Federação Espírita Brasileira (FEB) e do Conselho Espírita Internacional, elaborou uma síntese ilustrada das obras do Codificador do Espiritismo e o resultado é o recém-lançado Allan Kardec para todos, que sai com o selo e a qualidade da FEB Editora.

Colocamos à disposição dos nossos irmãos espíritas este singelo trabalho, sobretudo àqueles que se iniciam no conhecimento e na prática do Espiritismo, como um convite para que comecem a estudar o Espiritismo. [...] Para alguns, será uma descoberta, para outros um guia rápido de acesso aos conteúdos doutrinários do Espiritismo, além de servir de veículo para a perfeita compreensão do pensamento de Allan Kardec e de sua vasta obra  explica o autor na apresentação do livro.

Com textos curtos e em linguagem acessível, a publicação chama a atenção também pela beleza gráfica, com fotografias e ilustrações. Os temas são apresentados de forma metódica e sequencial, começando por O Livro dos Espíritos até chegar ao opúsculo O que é o Espiritismo. A parte final da obra traz, entre outros destaques, uma minibiografia dos amigos espirituais que assinam a maioria das mensagens inseridas nos livros da Codificação Espírita, tais como Santo Agostinho, Sócrates, Paulo de Tarso e Emmanuel.

Mas o mérito do livro não consiste apenas em sintetizar os ensinamentos doutrinários do Espiritismo e oferecer um panorama geral aos interessados na sua leitura. Traz, também, notáveis informações sobre a vida e a personalidade de Allan Kardec, além de abordar outras obras menos conhecidas e não menos importantes da lavra do Codificador do Espiritismo, como O Espiritismo na sua expressão mais simples, Instrução prática sobre as manifestações espíritas e Viagem espírita em 1862, entre outras  acrescenta o tradutor de livros da FEB Evandro Noleto Bezerra, no prólogo do novo lançamento.

Allan Kardec para todos  síntese ilustrada das obras do Codificador do Espiritismo, este o título completo da publicação, tem 144 páginas e 17x25cm. Pode ser adquirida em www.feblivraria.com.br

SERVIÇO ESPÍRITA DE INFORMAÇÕES
Boletim SEI: E-mail: boletimsei@gmail.com
Abril 2014  no 2235


https://chat.whatsapp.com/GPSVUkMpUZy1UVCHvdDQOR