Pesquisar este blog

Páginas

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O LIVRO DOS MÉDIUNS ESTUDO 19

O LIVRO DOS MÉDIUNS
(Guia dos Médiuns e dos Doutrinadores)
Contém o ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o Mundo Invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os escolhos que se podem encontrar na prática do Espiritismo.
SEGUNDA PARTE
DAS MANIFESTAÇÕES ESPIRITAS
CAPITULO 1
AÇÃO DOS ESPÍRITOS SOBRE A MATÉRIA
item 57
- Formação do Perispírito

No estudo 18 vimos que, tudo o que existe no Universo criado por Deus, não sendo Espírito, é Fluido Cósmico Universal, a matéria elementar primitiva.

Apresenta-se em estados que vão da imponderabilidade (eterização) até a condensação (materialização) e, nas suas modificações e transformações, produz a inumerável variedade de matéria na Natureza. Em estado rarefeito, difunde-se pelos espaços interplanetários e penetra os corpos, como um oceano imenso em que tudo e todos no Universo estão mergulhados.


A matéria do mundo espiritual e a sua atmosfera são constituídas de fluidos (num dos estados do Fluido Cósmico Universal), denominados fluidos espirituais apenas por comparação, por estarem relacionados aos Espíritos.


Na atmosfera fluídica se passam os fenômenos especiais que os Espíritos desencarnados percebem, mas escapam aos nossos sentidos físicos. E dela, os Espíritos extraem todos os materiais sobre que operam, inclusive para formar o seu perispírito.

Allan Kardec em A Gênese, cap. XIV, ao estudar a formação do perispírito, explica:
Item 7 - O perispírito, ou corpo fluídico dos Espíritos, é um dos mais importantes produtos do fluido cósmico; é uma condensação desse fluido em torno de um foco de inteligência ou “alma”. Vimos também que o corpo carnal tem seu princípio de origem nesse mesmo fluido condensado e transformado em matéria tangível. No perispírito, a transformação molecular se opera diferentemente, porquanto o fluido conserva a sua imponderabilidade e suas qualidades etéreas. O corpo perispirítico e o corpo carnal têm, pois, origem no mesmo elemento primitivo; ambos são matéria ainda que em dois estados diferentes. (A Gênese, cap. XIV, item 2)

Item 8 - Do meio onde se encontra é que o Espírito extrai o seu perispírito, isto é, esse envoltório, ele o forma dos fluidos ambientes. Resulta daí que os elementos constitutivos do perispírito, naturalmente variam conforme os mundos.

item 9 - A natureza do corpo fluídico está sempre em relação com o grau de adiantamento moral do Espírito, isto é, os Espíritos inferiores não podem mudar de perispírito conforme queiram, e não podem passar, à vontade, de um mundo para outro. Alguns há, portanto, que apesar do envoltório fluídico etéreo e imponderável com relação à matéria tangível, não podem sair do meio que lhes é próprio, com o qual se afinizam.


Os Espíritos superiores, ao contrário, podem vir aos mundos inferiores, e, até mesmo, encarnar neles. Tiram dos elementos constitutivos do mundo onde se encontram, os materiais para a formação do envoltório fluídico ou carnal apropriado ao meio em que se encontrem


Item 10 - A camada de fluidos espirituais que cerca a Terra se pode comparar às camadas inferiores da atmosfera, mais pesadas, mais compactas, menos puras, do que as camadas superiores. Não são homogêneos esses fluidos; são uma mistura de moléculas de diversas qualidades, entre as quais necessariamente se encontram as moléculas elementares que lhe formam a base, porém mais ou menos alteradas. Os efeitos que esses fluidos produzem estarão na razão da soma das partes puras que eles encerram. Tal, por comparação, o álcool retificado, ou misturado, em diferentes proporções, com água ou outras substâncias: seu peso específico aumenta, por efeito dessa mistura, ao mesmo tempo em que a sua força e inflamabilidade diminuem, embora no todo continue a haver álcool puro.

Os Espíritos chamados a viver naquele meio tiram dele seus perispíritos; porém, conforme seja mais ou menos depurado o Espírito, seu perispírito se formará das partes mais grosseiras ou mais puras do fluido peculiar ao mundo onde ele encarna. O Espírito produz aí, sempre por comparação e não por assimilação, o efeito de um reativo químico que atrai a si as moléculas que sua natureza pode assimilar.

Resulta disso este fato importante: a  constituição íntima do perispírito não é idêntica em todos os Espíritos encarnados ou desencarnados que povoam a Terra ou o espaço que a circunda. O mesmo já não se dá com o corpo carnal, que, como foi demonstrado, é constituído dos mesmos elementos, qualquer que seja a superioridade ou inferioridade do Espírito. Por isso, em todos, são os mesmos os efeitos que o corpo produz, semelhantes às necessidades, ao passo que diferem em tudo quanto ao perispírito.


Também resulta que: o envoltório perispirítico de um Espírito se modifica com o progresso moral que este realiza em cada encarnação, embora ele encarne no mesmo meio; que os Espíritos superiores encarnando excepcionalmente, em missão, num mundo inferior, tem perispírito menos grosseiro do que os indígenas desse mundo


Podemos então concluir com Kardec, que o meio está sempre em relação com a natureza dos seres que têm de nele viver: os peixes na água; os seres terrestres no ar; os seres espirituais no fluido espiritual ou etéreo mesmo que estejam na Terra. O fluido etéreo está para as necessidades do Espírito, como a atmosfera para as dos encarnados.
Assim, tudo no Universo se liga tudo se encadeia; tudo se acha submetido à grande e harmoniosa lei de unidade, desde a mais compacta materialidade, até a mais pura espiritualidade.

Em nosso próximo estudo, veremos as propriedades do Perispírito.

BIBLIOGRAFIA 

KARDEC, Allan - O Livro dos Médiuns:  2.ed. São Paulo: FEESP, 1989 - Cap. I

KARDEC, Allan - O Livro dos Espíritos:  ed. especial São Paulo: EME, 1997 - Cap. I, IV – Perispírito

KARDEC, Allan - A Gênese: 26.ed.Brasília: FEB,1984 - cap XIV


Elisabeth Maciel / Tereza Cristina D’Alessandro

Fevereiro / 2003