Pesquisar este blog

Páginas

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O LIVRO DOS MÉDIUNS Estudo 15:  
(Guia dos Médiuns e dos Doutrinadores)
Contém o ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o Mundo Invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os escolhos que se podem encontrar na prática do Espiritismo.
Capítulo  I
Ação dos Espíritos sobre a matéria

Ao buscar entender como deve ser ação dos Espíritos sobre a matéria, podemos pensar em um conjunto manifestações e comunicações que apresentam uma causa inteligente, isto é, podem ser provocadas por espíritos encarnados ou desencarnados.

Todos os fenômenos espíritas têm como princípio a existência da alma, sua sobrevivência à morte do corpo e suas manifestações.

Os fenômenos espíritas têm por alicerce as leis da natureza, que são leis divinas, reveladas e demonstradas pelo Espiritismo, sendo explicadas de forma racional; portanto, nada tem de sobrenatural ou miraculoso.

A realização dos fenômenos espíritas é possível graças às propriedades do perispírito, flexibilidade, expansibilidade, penetrabilidade, tangibilidade  , etc.

Dessa forma,   Espírito retira “parte do fluido que desprende do médium apto para isso”.
Os fenômenos espíritas dividem-se em manifestações físicas e manifestações inteligentes e em toda manifestação acham-se em jogo várias influências: a do médium, a do meio e a dos Espíritos.

As comunicações serão sérias ou levianas de acordo com a intenção mais ou menos nobre dos integrantes que compõem o grupo. Os fenômenos espíritas não são fatos para exibir em espetáculos, nem para divertir curiosos.

As  manifestações nas suas mais diferentes formas sempre estiveram presentes na história dos povos, em todos os tempos, podendo se efetuar espontaneamente ou através de evocação; portanto, elas consistem na manifestação de efeitos sensíveis como os ruídos, os movimentos, a deslocação de corpos sólidos e são percebidas pelos sentidos, podendo ocorrer de forma espontânea ou provocada.

Quando espontânea, sua realização independe da vontade do médium e torna-se bastante desagradável, assumindo às vezes  , caráter de constrangimento, outras vezes pode ser autorizados por Espíritos Superiores, embora produzida por espíritos imperfeitos, com a finalidade de chamar a atenção e convencer os incrédulos.

Essas manifestações não são raras e as mais comuns se apresentam sob a forma de ruídos e pancadas, só possíveis com a presença de médiuns dotados para isso, embora alguns médiuns desconheçam a própria faculdade.

A ação dos espíritos sobre os fluidos pode chegar a produzir, movimentar ou modificar coisas no campo da matéria terrena. A força que serve para produzi-los presta-se a todas as combinações, penetra todos os corpos, atravessa todos os obstáculos, transpõe todas as distâncias.

A aquisição de conhecimentos relativos a ação dos Espíritos sobre a matéria só pode ser conseguida através de um estudo sério do assunto.

Aproveitamos a oportunidade e convidamos o leitor para estudar conosco o ensino especial dos Espíritos sobre as manifestações e os meios de comunicação com o Mundo Invisível.
Bibliografia:

Kardec, Allan – O Livro dos Médiuns
Kardec, Allan – Revista Espírita, 1858, Janeiro
Kardec, Allan – Revista Espírita, 1859, Janeiro e Fevereiro

Elisabeth Maciel

Outubro / 2002