Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 4 de julho de 2016

XXII - O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO III: HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI = ITENS 6 E 7: DESTINO DA TERRA E CAUSAS DA MISÉRIA HUMANA

O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - XXII

CAPÍTULO III: HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI

ITENS 6 E 7: DESTINO DA TERRA E CAUSAS DA MISÉRIA HUMANA


Vivemos em um mundo de expiação e de provas; fazemos parte de uma humanidade ainda muito presa aos valores e prazeres materiais, com dificuldades de perceber os prazeres espirituais.

O bem e o mal estão tão mesclados e o mal é tão evidenciado e difundido, que muitas pessoas não conseguem visualizar as coisas boas da Terra e renegam até a existência de Deus. Entregam-se muitos a um pessimismo ou a uma acomodação aos seus males e misérias, nada fazendo para diminuí-los e eliminá-los. Vivem na busca das suas satisfações pessoais, seja a que preço for, ou fecham os olhos e os corações, isolando-se o quanto possível do contato com os considerados maus e inferiores.

Explica Kardec que esse julgamento é decorrente "de uma visão muito estreita que dá uma falsa idéia do conjunto." Esquecem essas pessoas que a espécie humana não está contida somente neste mundo. O Universo é infinito, expande-se continuamente e nele há muitos mundos habitados por seres dotados de razão, que fazem parte de espécie humana.

Aqui habitam espíritos rebeldes às leis do amor, que têm imensa dificuldade de compreender, aceitar e vivenciar as leis divinas. Portanto, é uma "pequena fração" da humanidade que aqui se encontra. Não se pode julgar o todo de algo, quando se conhece apenas uma pequena parte.

Seria bom, neste momento, uma releitura dos estudos 16 e 17 ou dos itens 5, 6 e 7: O Ponto de Vista, do capítulo II deste livro que estudamos, onde é bem evidenciada a necessidade de analisar-se tudo a partir do ponto de vista da vida contínua, infinita, ampliando-se o pensamento a novos horizontes.

A vida não se resume a uma existência na Terra e a espécie humana não se resume aos habitantes da Terra.

Assim, aqui permanece, nos planos material e espiritual, apenas uma pequena parte da população universal: os que, em fazendo sua evolução, mostram-se rebeldes e difíceis à leis universais do amor e da caridade. Permaneceremos aqui até merecermos um mundo melhor, que poderá ser aqui mesmo, quando a Terra se tornar um mundo de regeneração.

Devemos, pois, raciocinar, na análise das misérias, enfermidades, violências, maldades, sobre a qualidade dos espíritos que para cá vieram. Dessa maneira, vamos perceber diversas coisas:

- Embora mundo apropriado para expiação e provas de seus habitantes, uma penitenciária, podemos assim chamar, gozamos de uma liberdade que nos permite escolher nosso caminho e transformar esse mundo, melhorando-o. É, pois, uma penitenciária especial!

-É um mundo cheio de belezas naturais, nas quais incluímos o corpo que nos possibilita aqui viver. Há beleza por toda parte, olhando para cima, para baixo, para os lados: só não vê quem vive de olhos fechados ao belo. Nele, podemos desenvolver nossa sensibilidade.

- Ele nos oferece oportunidades mil de experiências, agradáveis umas, desagradáveis outras, mas todas auxiliando nosso burilamento espiritual: é uma escola, com professores e alunos, que somos todos nós, lições a todo o tempo, em qualquer lugar que se esteja, lições vivas, na prática, fornecendo elementos para raciocínios teóricos que possam esclarecer a todos sobre nosso destino e o da Terra. Há repetências para corrigir-se os erros, aprender coisas novas... É a escola que necessitamos.

- Nela podemos curar nossas doenças espirituais, maiores causas das doenças físicas: a Terra é um hospital, onde recebemos os tratamentos, muitas vezes duros, dolorosos, mas são os que precisamos para recuperar e obter a saúde. Todo sofrimento é válido quando proporciona bem-estar, paz e alegria.

- Por sermos seres sociais, precisamos uns dos outros, simpáticos ou não e vivemos numa sociedade de indivíduos bastante diferenciados. Quanto benefício essa dependência de uns para com os outros nos traz, na convivência de amigos, na transformação de inimigos em amigos, na conquista de novos amigos. Como somos beneficiados no relacionamento social que este planeta nos proporciona!

A Terra é um mundo para espíritos imperfeitos e rebeldes, que aqui encontram as condições ideais para continuarem seu desenvolvimento espiritual nos caminhos do amor, transformando os sentimentos negativos em positivos. Por ser um mundo de contrastes, onde convivemos tanto com o bem quanto com o mal, ele nos oferece campo para novos raciocínios, novas experiências e novos aprendizados.

Lembremo-nos sempre de que trazemos em nós inúmeras enfermidades, tais como orgulho, egoísmo, ambição, maldade, ódio, malquerença, etc. A Terra é o mundo que nos oferece, exatamente, as condições que precisamos para transformarmo-nos em pessoas melhores para nós, para os outros e para o mundo que nos acolhe.

Penitenciária, escola, hospital, ela vai, assim como nós, transformar-se em um mundo de paz na dependência do trabalho e esforço dos seus habitantes.


Bibliografia

1 Allan Kardec: O LIVRO DOS ESPÍRITOS, Livro primeiro: Capítulo III, CRIAÇÃO, V Pluralidade Dos Mundos. Capítulo IV, PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS, III e IV: Encarnação nos Diferentes Mundos e Transmigração Progressiva. Capítulo VI, VIDA ESPÍRITA, I e II: Espíritos Errantes e Mundos transitórios.

2 Emmanuel: A Caminho da Luz, capítulo III: As Raças Adâmicas.


Leda de Almeida Rezende Ebner
Março / 2003


Centro Espírita Batuira
cebatuira@cebatuira.org.br
Ribeirão Preto (SP)


O CENTRO ESPÍRITA BATUIRA esclarece que permanece divulgando os estudos elaborados pela Sra Leda de Almeida Rezende Ebner após o seu desencarne, com a devida AUTORIZAÇÃO da família e por ter recebido a DOAÇÃO DE DIREITOS AUTORIAIS, conforme registros em livros de Atas das reuniões de diretoria deste Centro.