Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

                ESTUDO EVANGÉLICO

Livro: Palavras de Vida Eterna

Francisco Cândido Xavier pelo Espírito Emmanuel

ESTUDO 61

No Campo do Verbo

"Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina." - Paulo. (Tito,2:1.)

O apóstolo Paulo em sua epístola a Tito recomenda-lhe que "fale só o que convém à sua doutrina".

Porque esta recomendação especial quanto ao uso da palavra e a insistência de Emmanuel em trazer hoje o mesmo tema?

A palavra é instrumento valioso e poderoso, força criadora que de modo geral foi e é utilizada indevidamente, sem nenhum cuidado. É permuta de almas através da qual damos e recebemos, fornecemos e adquirimos determinados recursos de espírito que influenciarão na conduta, e esta, nos planos, coisas, encontros e realizações. Arrastados muitas vezes pelas inferioridades Espíritos encarnados e desencarnados, centralizam a atenção em nódoas e defeitos, faltas e quedas, valorizando ou exagerando-lhe a feição, perdendo tempo, retardando as edificações espirituais. É necessário nos precavermos, tanto quanto possível, contra semelhante impropriedade.

Joanna de Ângelis(4), em tema pertinente, reflete que com raras exceções expiatórias, poucos se servem da palavra de modo a construir esperanças, balsamizar dores e traçar rotas de segurança.

Embora empreguemos grande parte da vida nessa atividade, falamos muito por falar, "para matar-se o tempo" e, sem o cuidado necessário, a palavra se torna a arma que fere, que denigre, que mata as esperanças, os planos e as realizações. Traduzida em impiedade, maledicência, revolta, pessimismo golpeia sob o jugo das paixões inferiores.

No entanto, se bem utilizada, o seu campo de ação pode modificar estruturas morais, dirimir conflitos, equacionar problemas, resolver dificuldades, enfim, quando mobilizada "para estabelecer condição de saúde e equilíbrio, paz e alegria onde estivermos"(3).

"Falar como convém a sã doutrina" não é apenas a contenção das palavras indevidas e impróprias antes de as pronunciarmos, é muito mais, trata-se de um programa de educação espiritual através do qual trabalha-se o íntimo, renovando valores morais, orientando sentimentos e pensamentos nos padrões evangélicos, de tal forma que se transformem em boas palavras e estas, em ações de mesma natureza.

Conclui Emmanuel(1) que no campo do verbo, o Evangelho é seguro na advertência.

Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina.

"Conversando ou escrevendo, informando ou pregando, imunizaremos a nossa área de obrigação, desterrando o mal, seja de nosso pensamento, seja de nossa palavra. Se nos constitui dever (...) identificar a presença da sombra e afastá-la, sempre que a sombra ameace (...), façamos luz sem tumulto contraproducente, mas fujamos de comprometer a obra do Senhor, pisando ou repisando deficiências, chagas, mazelas e infortúnios alheios, convictos de que fomos chamados a falar o que convém à sã doutrina"(2).

Bibliografia:

01 - Xavier, Francisco Cândido. "Palavras de Vida Eterna: No Campo do Verbo". Ditado pelo Espírito Emmanuel. CEC. 17a ed. Uberaba, MG. 1992.

02 - Xavier, Francisco Cândido. "Bênção de Paz: Nas Trilhas da Palavra". Ditado pelo Espírito Emmanuel. CEEM. 10ª ed. São Bernardo do Campo, SP. 1990.

03 - Xavier, Francisco Cândido. "Bênção de Paz: Verbo e Caminho". CEEM. 10ª ed. São Bernardo do Campo, SP. 1990.

04 - Franco, Divaldo Pereira. "Convites da Vida. Convite à Palavra". Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Livraria Espírita "Alvorada" - Editora. 4ª ed. Salvador, BA. 1988.
         
       
Iracema Linhares Giorgini
Agosto / 2006


Centro Espírita Batuira
cebatuira@cebatuira.org.br
Ribeirão Preto (SP)