Pesquisar este blog

Páginas

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Livro em estudo: Entre a Terra e o Céu - Tema: No cenário terrestre - Referência: Capítulo II

Segue estudo de mais um capítulo com muitos ensinos. Muita paz e bons estudos a todos !

Livro: Entre a Terra e o Céu
Capítulo II - No cenário terrestre

Numa sala ampla, em que numerosas entidades trabalhavam solícitas, Clarêncio recebeu da jovem um pequeno gráfico que passou a examinar, cauteloso.

Em seguida, comentou, espontâneo:

- Ainda agora, falávamos de responsabilidade. Eis um fato que nos ilustra os conceitos.

E, exibindo o documento que trazia nas mãos, explicou:

- Temos aqui uma oração comovedora que superou as linhas vibratórias comuns do plano de matéria mais densa. Parte de uma devotada servidora que se ausentou de nossa cidade espiritual, há precisamente quinze anos terrestres, para determinadas tarefas na reencarnação. Não seguiu, porém, desassistida. Permanece sob nossa orientação. O nascimento e o renascimento, no mundo, sob o ponto de vista físico, jazem confiados a leis biológicas de cuja execução se incumbem Inteligências especializadas, contudo, em suas características morais, subordinam-se a certos ascendentes do espírito.

O Ministro deteve-se alguns instantes, analisando a pequenina e complicada ficha, todavia, como se provocasse a continuidade da lição que recebíamos, meu companheiro considerou:

- Mas, indiscutivelmente, na reencarnação há um programa de serviço a realizar...

- Sim, sem dúvida - aclarou o instrutor -, quanto mais vastos os recursos espirituais de quem retorna à carne, mais complexo é o mapa de trabalho a ser obedecido. Quase todos temos do pretérito expressivo montante de débito a resgatar e todos somos desafiados pelas aquisições a fazer. Nisso está o programa, significando em si uma espécie de fatalidade relativa no ciclo de experiências que nos cabe atender; entretanto, a conduta é sempre nossa e, dentro dela, podemos gerar circunstâncias em nosso benefício ou em nosso desfavor. Reconhecemos, assim, que o livre arbítrio, também relativo, é uma realidade inconteste em todas as esferas de evolução da consciência. Não podemos olvidar, contudo, que, em todos os planos, marchamos em verdadeira independência. Nas linhas da experiência física, até certo ponto, os filhos precisam o dos pais, os doentes necessitam dos médicos e os moços não prescindem do aviso dos mais velhos. Aqui, a habilitação depende dos educadores, o amparo eficiente exige que saiba distribuí-lo, e a transferência de domicílio para trabalho enobrecedor, quando se trata de Espíritos sem méritos absolutos, reclama o endosso de autoridades competentes.

- Mas que vem a ser uma oração refratada ? - indagou o meu colega, mordido de curiosidade.

(...)

- A prece refratada é aquela cujo impulso luminoso teve a sua direção desviada, passando a outro objetivo

(...)

Em seguida, falou para a jovem que o observava, respeitosa:

- Chame a irmã Eulália.

(...)

- Irmã - disse Clarêncio, preciso -, este gráfico registra aflitivo apelo de Evelina, cuja volta
ao aprendizado na carne foi garantida por nossa organização. Parece-me estar a pobrezinha em extremas dificuldades...
- Sim - concordou a interpelada -, Evelina, apesar da fragilidade do novo corpo, vem sustentando imensa luta moral. O pai, sobrecarregado de questões íntimas, tem a saúde periclitante e a madrasta vem sofrendo obstinada perseguição, por parte de nossa desventurada Odila.

- A genitora de Evelina ?

- Sim, ela mesma. Ainda não se resignou a perder a primazia feminina no lar. Há dois anos empenho energia e boa vontade por dissuadi-la. Vive, porém, enovelada nos laços escuros do ciúme e não nos ouve. O egoísmo desbordante fá-la esquecida dos compromissos que abraçou. Zulmira, por sua vez, a segunda esposa de Amaro, desde a morte do pequenino Julio caiu em profundo abatimento. Como não ignoramos, o pequeno desencarnou afogado, consoante as provas de que se fez devedor. A madrasta, contudo, que chegou a desejar-lhe o desaparecimento por não amá-lo, encontrando-se sob as sugestões da mulher que a precedeu nas atenções do marido, crê-se culpada... Evelina, depois de perder o maninho em trágicas circunstâncias, acha-se desorientada , entre o genitor aflito e a segunda mãe, em desespero ... Ainda anteontem, pude vê-la. Chorava, comovedoramente, diante da fotografia da mãezinha desencarnada, suplicando-lhe proteção. Odila, porém, envolvida nas teias das próprias criações mentais, não se mostra capaz de corresponder à confiança e à ternura da menina. Ela, entretanto, tem insistido com tal vigor na obtenção de socorro espiritual que as suas rogativas, quebrando a direção, chegam até aqui, de tal modo...

(...)

- Compreendem agora o que seja uma oração refratada? Evelina recorre ao espírito materno que não se encontra em condições de escutá-la, mas a solicitação não se perde... Desferida em elevada freqüência, a súplica de nossa irmãzinha vara os círculos inferiores e procura o apoio que lhe não faltará.

(...)

- Desejariam cooperar conosco na tarefa assistencial?

(...)

Sem delonga na viagem, Clarêncio, Eulália, Hilário e eu encontramo-nos em residência modesta, mas confortável, num dos bairros do Rio de Janeiro.

(...)

Clarêncio, assumindo com mais propriedade o papel de mentor do nosso grupo, informou, gentil:

- Este é Amaro, o chefe da casa. Tem, no longo pretérito, complicados compromissos. Em muitas ocasiões, usou projeteis e lâminas de ferro para o mal. Hoje é servidor categorizado numa ferrovia...

(...)

Encantadora adolescente de catorze anos bordava iniciais num lenço de linho.

Magra e triste, parecia concentrar a mente nos olhos grandes e serenos. Não nos assinalou a presença, mas, ao contacto das mãos espirituais do Ministro, revelou indefinível contentamento interior.

Instintivamente, desviou o olhar do pano alvo e fixou-o num retrato de mulher que pendia da parede. Sorriu, enlevada, qual se conversasse com a imagem, enquanto Clarêncio nos dizia:

- Esta é a nossa Evelina, cuja reencarnação foi por nós organizada, faz alguns anos. A fotografia é uma lembrança da mãezinha que já partiu. Evelina está ligada aos pais, através de imenso amor, desde séculos remotos. Veio ao encontro de criaturas e situações das quais necessita para a garantia da própria ascensão, mas trouxe também consigo a tarefa de auxiliar os progenitores. No momento, acredita-se amparada pela mãezinha, entretanto, pelos méritos já acumulados na vida espiritual, é ela mesma quem continua socorrendo o coração materno, ainda em luta...

Abracei, comovido, a mocinha extática, que se guardava em luminoso halo de tranqüilidade e por alguns instantes, meditei na grandeza do amor e na sublimidade da oração.


Questões para estudo:

1) Como poderemos analisar a seguinte frase: "Reconhecemos, assim, que o livre arbítrio, também relativo, é uma realidade inconteste em todas as esferas de evolução da consciência. Não podemos olvidar, contudo, que, em todos os planos, marchamos em verdadeira independência.".

2) Apesar de Evelina vincular sua prece à figura da mãe desencarnada, suas rogativas foram "refratadas". Explique:

3) Analisando a frase: "Mas, indiscutivelmente, na reencarnação há um programa de serviço a realizar", de que forma esse "serviço" é postulado ? Qual sua relação com a evolução espiritual do indivíduo ?

Que Jesus nos ilumine em tão valoroso estudo.
Alexandre Paoli Fernandes (colaborador)

Conclusão:

CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo

www.cvdee.org.br - Sala Virtual de Estudos Nosso Lar

Estudo das obras de André Luiz

Livro em estudo: Entre a Terra e o Céu
Tema: No cenário terrestre
Referência: Capítulo II
Dia: 10/01/02 

                                                            C  O  N  C  L  U  S  à O

André Luiz prossegue nesse capítulo a narrativa de fatos que nos instruem sobre a natureza, a forma e os efeitos da prece. Um novo dado nos traz o Autor: a prece que o Instrutor denominou refratada. Vamos refletir sobre esses ensinamentos.


                                              QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO


1.- Como poderemos analisar a seguinte frase: "Reconhecemos, assim, que o livre arbítrio, também relativo, é  uma realidade inconteste em todas as esferas de evolução da consciência. Não podemos olvidar, contudo, que, em todos os planos, marchamos em verdadeira interdependência.".

Clarêncio falava sobre a reencarnação e o programa que cada um de nós traz para cumprir. Explicava que trazemos do passado um montante de débitos a resgatar e planos de novas aquisições a fazer. É essa uma fatalidade relativa a que não podemos fugir. E para escolhermos a maneira como iremos nos desincumbir dessa programação é que somos dotados de livre-arbítrio. Os resgates, inexoráveis, pois terão de ser atendidos de uma ou outra forma, podem ser atenuados ou agravados, conforme as circunstâncias que criamos; as aquisições vão depender de nossas ações.

Nisso consiste o uso do livre-arbítrio.

A interdependência de que nos fala Clarêncio é conseqüência da Lei de Sociedade a que estamos sujeitos, uma das Leis Naturais estabelecidas por Deus, que faz com que todos  dependamos  de  todos.  É contrário à natureza o insulamento, disseram os Espíritos e isso se aplica tanto no plano físico como no espiritual. Exemplificando, citou o benfeitor, no plano físico, o filho depende dos pais, os doentes dos médicos e os moços das orientações  dos  mais velhos; no plano espiritual, dependemos dos educadores, dos que tenham condições de nos amparar e das entidades superiores para o trabalho.

2.- Apesar de Evelina vincular sua prece à figura da mãe desencarnada, suas rogativas foram "refratadas". Explique:

Segundo ainda o mesmo Instrutor, "a prece refratada é aquela cujo impulso luminoso teve a sua direção desviada, passando a outro objetivo.". No caso em estudo, Evelina dirigiu sua prece à sua mãe, desencarnada, rogando-lhe proteção. Como a genitora encontrava-se em estado de desequilíbrio, não tinha como  interceder  pela  filha.  Aliás, sequer ouvia-lhe a rogativa.

Como ensina a Doutrina Espírita, reafirmando os ensinamentos de Jesus, o fundamental na prece é a sinceridade, a fé e a sintonia vibratória com as Leis de Deus, para que o nosso apelo chegue aos bons Espíritos. Evelina atendia a essas condições, o que fez com que sua rogativa saísse impregnada de bons fluidos.  Como sua genitora não  se encontrava em condições de se sintonizar com essas energias positivas, a prece ultrapassou as faixas inferiores em que se encontrava a destinatária e foi levada a um plano mais elevado, aos benfeitores espirituais, que a receberam e atenderam ao apelo.

3.- Analisando a frase: "Mas, indiscutivelmente, na reencarnação há um programa de serviço a realizar", de que forma esse "serviço" é postulado ? Qual sua relação com a evolução espiritual do indivíduo?

Quando o espírito se encontra na erraticidade, preparando-se para a nova experiência reencarnatória, o planejamento dos principais acontecimentos que vivenciará é elaborado pelas autoridades encarregadas desse serviço. Dependendo do nível evolutivo em que se encontra, o próprio espírito pode escolher o gênero de provas por que haverá  de  passar.
De acordo com o seu mérito, pode solicitar determinada prova ou uma tarefa a realizar. Do cumprimento ou não desses compromissos assumidos vai depender a sua evolução espiritual.  Aquele que atende a  todos  os  compromissos assumidos, Alexandre, o instrutor de André Luiz no livro "Missionários da Luz", denominou "completista".


Abraços a todos

Sala Nosso Lar
C V D E E