Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

C B - Aula 16 - Esboco De # O Evangelho Segundo O Espiritismo # O Evangelho E..5

C B - Aula 16 - Esboco De # O Evangelho Segundo O Espiritismo # O Evangelho E..5

16 Esboço de o evangelho segundo o espiritismo

A HERANÇA

O mundo moderno prescreve previdência em todos os atos. É assim que companhias seguradoras trabalham, incentivando os pais de família a comprarem apólices de seguro de vida.

 A propaganda fala de como haverão de ficar os filhos, em caso de morte de um ou de ambos os pais. Sozinhos, sem dinheiro. Ao menos, que se lhes assegure o necessário para viver e as condições para estudarem.

Alguns pais, além de apólices de seguro, se preocupam também em deixar muitos bens para os seus filhos. Em especial aqueles que sofreram muitas agruras em sua infância e não desejam que os filhos passem pela mesma experiência. Esmeram-se, portanto, em adquirir propriedades, jóias e tudo o mais que possam deixar como herança para os seus, depois que partirem.

Tal forma de agir nos recorda da história de um homem muito rico que mandou seu filho estudar em outro país. Desejava que seu filho se tornasse um homem instruído, dominando as ciências, tanto quanto conhecesse o mundo para além das fronteiras do próprio país.

Enquanto o filho cumpria, com satisfação, os anseios paternos, aconteceu que o pai adoeceu gravemente. Percebendo que a morte se avizinhava, chamou o tabelião à sua casa, reuniu testemunhas e ditou as suas últimas vontades.

Para o seu escravo, aquele que dele cuidava com desvelo, deixou as suas terras, as contas bancárias, as jóias, tudo enfim.

Para o seu filho, que se encontrava distante, assegurava a possibilidade de escolher o que ele desejaria herdar. E morreu.

 O escravo, tão logo morreu o seu senhor, providenciou um enterro pomposo e tomou posse de tudo.

Começou a tomar decisões, administrando muito bem todo o patrimônio. Ao mesmo tempo, despachou um outro escravo para que fosse em busca do filho do ex-patrão e lhe desse a notícia da morte do pai.

O filho voltou com rapidez e ficou muito magoado. Procurou o advogado da família e foi chorar em seu ombro.

Afinal, por que o pai fizera aquilo com ele? Por que dera todos os seus bens para um escravo, não lhe deixando nada? Ele não se lembrava de ter ferido o pai, de o ter desrespeitado. Por que, então?

O advogado, homem ponderado, lhe falou:

- Rapaz, ao deixar todos os seus bens para o escravo, seu pai usou de sabedoria. Se ele tivesse deixado para você, é possível que depois de sua morte, antes que você soubesse do ocorrido, os próprios escravos dilapidassem o seu patrimônio e pouco lhe sobraria.

Deixando os bens ao escravo, ele os preservou. Deixando a você a possibilidade de escolher o que desejasse herdar, lhe deu a chance de escolher o escravo. Como tudo o que é do escravo, é do senhor, tudo lhe pertencerá.

Para esse nobre servidor conceda a liberdade, o maior de todos os bens, e providencie para que ele tenha uma vida digna com sua família. Aja com a sabedoria do seu pai.

******************************

O maior tesouro que os pais podem deixar como herança aos seus filhos são os valores morais.

 A honra, a verdade, o trabalho, a dignidade, esses não acabam nunca e são eles que constroem o mundo feliz que todos desejamos.
Ao mesmo tempo estaremos legando ao mundo a nossa melhor herança: homens de bem, por nós formados.

Equipe de Redação do Momento Espírita

PLANO DE IDEIAS Nº 01

Objetivo Da Aula

Abordar o aspecto religioso da Doutrina;

Apresentar o roteiro para o Evangelho no Lar, destacando o Porquê de fazê-lo;

Os Valores Morais;

Propiciar a reflexão sobre os ensinos de Jesus e ressaltar sua atualidade

Distribuir os textos abaixo e comentar

A BOA PARTE

A tempestade da hora em que vivemos é, muitas vezes, a fonte do bem-estar das horas que vamos viver.

Busquemos o lado melhor das situações, dos acontecimentos e das pessoas.

Maria escolheu a boa parte, que não lhe será tirada  disse-nos o Senhor.

Assimilemos a essência da divina lição.

Quem procura a boa parte e nela se detém, recolhe no campo da vida o tesouro espiritual que jamais lhe será roubado.

A CANDEIA VIVA

Prega, pois, as revelações do Alto, fazendo-as mais formosas e brilhantes em teus lábios; insta com parentes e amigos para que aceitem as verdades imperecíveis; mas, não olvides que a candeia viva da iluminação espiritual é a perfeita imagem de ti mesmo.

Transforma as tuas energias em bondade e compreensão redentoras para toda gente, gastando, para isso, o óleo de tua boa-vontade, na renúncia e no sacrifício, e a tua vida, em Cristo, passará realmente a brilhar.

ACORDA E AJUDA

Em qualquer parte do Universo, somos usufrutuários do esforço e do sacrifício de milhões de existências.

Cedamos algo de nós mesmos, em favor dos outros, pelo muito que os outros fazem por nós. Recordemos desse modo, o ensinamento do Cristo. Se encontrares algum cadáver, dá-lhe a bênção da sepultura, na relação das tuas obras de caridade, mas, em se tratando da jornada espiritual, deixa sempre aos mortos o cuidado de enterrar os seus mortos.

ADMINISTRAÇÃO

Que fazes, portanto, dos talentos preciosos que repousam em teu coração, em tuas mãos e no teu caminho? Vela por tua própria tarefa no bem, diante do Eterno, porque chegará o momento em que o Poder Divino te pedirá: Dá conta de tua administração.

AFIRMAÇÃO ESCLARECEDORA

Vemos, pois, que é fácil comer o pão multiplicado pelo infinito amor do Mestre Divino ou regozijar-se alguém com a sua influência curativa, mas, para alcançar a Vida Abundante de que ele se fez o embaixador sublime, não basta a faculdade de poder e o ato de crer, mas também a vontade perseverante de quem aprendeu a trabalhar e servir, aperfeiçoar e querer.

ALÉM DOS OUTROS

O homem vulgar, de muitos milênios para cá, vem comendo e bebendo, dormindo e agindo sem diferenças fundamentais, na ordem coletiva. De vinte séculos a esta parte, todavia, abençoada luz resplandece na Terra com os ensinamentos do Cristo, convidando-nos a escalar os cimos da espiritualidade superior. Nem todos a percebem, ainda, não obstante envolver a todos. Mas, para quantos se felicitam em suas bênçãos extraordinárias, surge o desafio do Mestre, indagando sobre o que de extraordinário estamos fazendo

ALGUMA COISA

Quem estiver em companhia da paz, ajude aos desesperados.

Quem guarde alegria, divida a graça do contentamento com os tristes.

Asseverou o Senhor que os sãos não precisam de médico, mas, sim, os enfermos. Lembra-te dos que transitam no mundo entre dificuldades maiores que as tuas. A vida não reclama o teu sacrifício integral, em favor dos outros, mas, a benefício de ti mesmo, não desdenhes fazer alguma coisa na extensão da felicidade comum.

ANTE A LUZ DA VERDADE

Conhecer, portanto, a verdade é perceber o sentido da vida.

E perceber o sentido da vida é crescer em serviço e burilamento constantes.

Observa, desse modo, a tua posição diante da Luz...

Quem apenas vislumbra a glória ofuscante da realidade, fala muito e age menos. Quem, todavia, lhe penetra a grandeza indefinível, age mais e fala menos.

ANTE O CRISTO LIBERTADOR

Muitos varam os umbrais da evidência pública, sequiosos de popularidade e influência, acabando emparedados na masmorra do desespero. O Cristo, porém, é a porta da Vida Abundante. Com ele, submetemo-nos aos desígnios do Pai Celestial e, nessa diretriz, aceitamos a existência como aprendizado e serviço, em favor de nosso próprio crescimento para a Imortalidade. Vê, pois, a que porta recorres na luta cotidiana, porque apenas por intermédio do ensinamento do Cristo alcançarás o caminho da verdadeira libertação.

APASCENTA

Sê exigente para contigo mesmo e ampara os corações enfermiços e frágeis que te acompanham os passos.

Se plantares o bem, o tempo se incumbirá da germinação, do desenvolvimento, da florescência e da frutificação, no instante oportuno.

Não analises, destruindo. O inexperiente de hoje pode ser o mentor de amanhã.

Alimenta a boa parte do teu irmão e segue para diante. A vida converterá o mal em detritos e o Senhor fará o resto.

ASSIM SERÁ

Empilharás moedas de ouro e prata, à sombra das quais falarás com autoridade e influência aos ouvidos do próximo, todavia, se os teus haveres não se dilatarem, em forma de socorro e trabalho, estímulo e educação, em favor dos semelhantes, serás apenas um viajor descuidado, no rumo de pavorosas desilusões.


Assim será todo aquele que ajunta tesouros para si, sem ser rico para com Deus.