Pesquisar este blog

Páginas

terça-feira, 27 de outubro de 2015

GRANDE CONTA

 GRANDE CONTA
 
 
Alonga a memória para além do minuto em que apareceste na Terra e reconhecerás que as concessões do Senhor te revestem todos os passos e te assinalam todos os lances da rota.
Não possuías senão a nudez da própria alma e não trazias senão a própria herança que o passado te imprimira no ser...
Entretanto, senhoreaste o vaso orgânico que te vestiria em nova forma de carne...
Sugaste o leite materno...
Ocupaste os panos do berço...
Exigiste permanente atenção...
Reclamaste alimento e remédio...
Solicitaste alheio apoio para que te retirasses da infância...
Absorveste o tempo da escola...
Pediste o concurso da natureza.
Aprisionaste animais, criaturas também de Deus, para que te ofertem suor e sangue...
Em cada instante na Terra equilibras-te, em verdade, sobre o sacrifício de milhões de braços que se entrelaçam para servir-te, levantando-te o ninho doméstico, tecendo-te a indumentária, garantindo-te a higiene, assegurando-te o bem estar e temperando-te o pão...
És o depositário do favor de vasta multidão em cada senda que pisas, em cada edifício que transpões, em cada veículo que te acolhe, em cada refeição que te reajusta...
Acreditas, não raro, que o dinheiro, também haurido por tuas mãos em penhor de empréstimo da Providência Divina, te resgata a conduta na Lei, perante a qual todos nós somos devedores por enquanto insolventes.
Todavia, não desdenhes estender o amor infatigável, através da renúncia ao teu próprio conforto, ajudando e servindo, hoje, agora e amanhã, porque a morte virá por meirinho seguro, mostrar-te a Grande Conta, a fim de que te informes que nasceste no mundo somente para o Bem, e que somente o Bem é capaz de elevar-te, em santa plenitude de quitação com a vida para a glória da luz sublimada e sem fim.
 
 
 
Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: Marcas do Caminho. Lição nº 29. Página 98.
Mensagem recebida Centro Espírita Luiz Gonzaga em Pedro Leopoldo em 26.05.1958.