Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Fração de caridade

FRAÇÃO  DE  CARIDADE

O QUE DÁ AO POBRE NÃO TERÁ FALTA, MAS O QUE DELE ESCONDE OS SEUS OLHOS, SERÁ CUMULADO DE MALDIÇÕES.
Pv. 28, v. 27
 
          A Caridade é função preliminar de toda virtude. E o amor, a perfeição de todos os dons.
          A beneficência se fraciona sem limites, para enriquecimento da vida. É  chuva, é o sol, é o vento, é o mar, é a terra, em trocas intermináveis. É o homem, na sublimação desse câmbio, até ao amor.
          Quem sabe dar, recebe muito, e jamais fica em falta.
          Ajudar ao semelhante corresponde à lei da compensação. Trabalhando para a paz dos outros, serás o primeiro a desfrutá-la.
          A caridade pode ser feita de mil maneiras: pelo olhar, pelo andar, pelos gestos, pelo falar, pelos pensamentos, pela escrita, pela leitura, saciando a sede, vestindo os nus e dando pão a quem tem fome. As maneiras são diversas, embora partam de um só princípio: o amor.
          Todas as virtudes são gotas da bondade de Deus, expressando-se no mundo, como caridade, que serve, educa, instrui, alegra, confia, trabalha e oferta, sem exigências.
          Quando não cumprimos nossos deveres, certamente recebemos as maldições das nossas consciências, cujo tribunal opera dentro de nós, com justiça. E, como meta única, tem a função de fazer cumprir a lei.

(De Gotas de Paz, de João Nunes Maia, pelo Espírito Carlos)