Pesquisar este blog

Páginas

sábado, 10 de outubro de 2015

"PASSES E PASSISTAS" 4. Mecanismo da ação curativa

"PASSES E PASSISTAS" 4. Mecanismo da ação curativa


Estudo sobre o passe magnético ou a imposição das mãos segundo a Doutrina Espírita

Astolfo Olegário de Oliveira Filho


4. Mecanismo da ação curativa


4.1. Já vimos anteriormente que a ação magnética curativa pode revestir três formas: magnetismo humano, magnetismo espiritual e magnetismo humano-espiritual. Em qualquer delas, porém, o elemento fundamental é a qualidade do fluido que se transmite do doador para o receptor.


4.2. O corpo perispiritual é uma criação fluídica (para valer-nos aqui da terminologia adotada pelo Espiritismo) e ele não fica preso ao corpo, mas se irradia ao seu redor. Nessa expansão, ele coloca a alma encarnada em relação mais direta com os Espíritos -- emitindo e recebendo vibrações, saneando ou viciando os fluidos circundantes. Devido à sua natureza fluídica, o perispírito assimila com facilidade os fluidos espirituais, como uma esponja se embebe de um líquido. (Veja o Apêndice, itens 8 a 14.)


4.3. Os Espíritos, quando respondem a Kardec a respeito da natureza do fluido magnético, assim a descrevem: "Fluido vital, eletricidade animalizada, que são modificações do fluido universal" (L.E., item 427). Esse fluido pode, assim, fornecer princípios reparadores ao corpo: o Espírito, encarnado ou não, "é o agente propulsor que infiltra num corpo deteriorado uma parte da substância do seu envoltório fluídico. A cura se opera mediante a substituição de uma molécula malsã por uma molécula sã. O poder curativo estará, pois, na razão direta da pureza da substância inoculada; mas depende também da energia da vontade que, quanto maior for, tanto mais abundante emissão fluídica provocará e tanto maior força de penetração dará ao fluido" (Kardec, em "A Gênese", cap. 14, itens 31 a 33).


4.4. Os fluidos têm, assim, sobre o perispírito uma ação tanto mais direta quanto por sua expansão e irradiação este se confunde com aqueles. Reagem sobre o perispírito e este, por sua vez, reage sobre o organismo físico ao qual está ligado molecularmente. Se tais eflúvios forem de boa natureza, o corpo receberá uma salutar impressão. É o que ocorre nos passes benéficos. (Veja o Apêndice, itens 15 a 17.)


4.5. Se os eflúvios forem maus, a impressão será penosa. Se forem maus e permanentes, poderão provocar desordens físicas e moléstias de origem desconhecida: é o que ocorre nas obsessões graves. Kardec afirma: "não é outra a causa de certas enfermidades" (ver "A Gênese", cap. 14, itens 16 a 19).