Pesquisar este blog

Páginas

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

ceuinferno_048_2a. partecap. IV - Espíritos Sofredores - Novel

ceuinferno_048_2a. partecap. IV - Espíritos Sofredores - Novel

TEXTO PARA ESTUDO

O Espírito se dirige ao médium, que conhecera quando vivo.

Vou contar-te o que sofri quando morri. Meu Espírito, retido no meu corpo por laços materiais, teve grande dificuldade para dele se desligar, o que foi uma primeira e rude angústia. A vida que deixara, há vinte e quatro anos, era ainda tão forte em mim, que não acreditava na sua perda. Eu procurava o meu corpo, e estava admirado e assustado por me ver perdido no meio desse ajuntamento de sombras. Enfim, a consciência de meu estado, a revelação das faltas que cometera em todas as minhas encarnações, feriram-me de repente; uma luz implacável clareou as mais secretas dobras de minha alma, que se sentiu nua, depois presa de uma vergonha acabrunhante. Procurava disso escapar interessando-me pelos objetos novos, e todavia conhecidos, que me cercavam; os Espíritos resplandecentesm flutuando no éter, davam-me a idéia de uma felicidade à qual não podia aspirar; formas sombrias e desoladas, umas mergulhadas num triste desespero, outras irônicas ou furiosas, deslizavam ao meu redor e na terra à qual permanecia atado. Eu via os humanos se agitarem, dos quais invejava a ignorância; toda uma ordem de sensações desconhecidas, ou reencontradas, me invadiam ao mesmo tempo. Arrastado como por uma força irresistível, procurando fugir dessa dor encarniçada, transpunha as distâncias, os elementos, os obstáculos materiais, sem que as belezas da Natureza, nem os esplendores celestes, pudessem acalmar um instante o dilaceramento de minha consciência, nem o terror que me causava a revelação da eternidade. Um mortal pode sentir as torturas materiais pelos arrepios da carne, mas as vossas frágeis dores, abrandadas pela esperança, temperadas pelas distrações, mortas pelo esquecimento, jamais vos poderão fazer compreender as angústias de uma alma que sofre sem trégua, sem esperança, sem arrependimento. Passei um tempo do qual não pude apreciar a duração, invejando os efeitos dos quais podia entrever o esplendor, detestando os maus Espíritos que me perseguiam com as suas zombarias, desprezando os humanos dos quais via as torpezas, passando de um profundo acabrunhamento a uma revolta insensata.



Enfim, tu me chamaste e, pela primeira vez, um sentimento doce e terno me apaziguou; escutei os ensinamentos que teus guias te dão; a verdade penetrou-me, eu pedi: Deus me ouviu; revelou-se a mim pela sua clemência, como se revelara pela sua justiça.

                                                                NOVEL


QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO



1. Com base neste relato, como um Espírito sofredor pode mudar sua condição no plano espiritual, deixando o local antes habitado e seguir os Espíritos de luz, como eles mesmo chamam?



Conclusão:


1. Com base neste relato, como um Espírito sofredor pode mudar sua condição no plano espiritual, deixando o local antes habitado e seguir os Espíritos de luz, como eles mesmo chamam?

Ele passa a se "cansar" de sua eterna situação de sofrimento, procura parar de sofrer. Assim, seu padrão vibratório começa a mudar e, enfim, ele pode ver os Espíritos de luz o chamando, escutando, pela primeira vez, o que eles têm a dizer. 


Assim, ele sai de sua situação sofredora, e segue para o seu refazimento.