Pesquisar este blog

Páginas

sábado, 2 de maio de 2015

13 = CENTRO DE ORIENTAÇÃO
E
EDUCAÇÃO MEDIÚNICA

CURSO DE ORIENTAÇÃO E EDUCAÇÃO MEDIÚNICA  COEM II
SOCIEDADE ESPÍRITA 6-30

2a. PARTE - RESUMOS DAS UNIDADES

UNIDADE TEÓRICA 06 - RISCOS E INCONVENIENTES DA MEDIUNIDADE

ROTEIRO

Perda da mediunidade por abuso LM-220; NI-XXIV

Influência do exercício da mediunidade sobre a saúde LM-188, 194, 221 e 222; NIXXII, 3ª parte

Precauções no exercício da mediunidade NI

Causas e mecanismos do processo obsessivo LM-XXIII, 243, 245,246 e 249 G-XIV, 45 e 46

Elevação e preparo moral do médium LM-226 a 230 e 249 a 254

Tratamento dos processos obsessivos LM-249 a 254 OP-58 a 61

A mediunidade, quanto ao seu uso, é uma faculdade como outra qualquer. Como a visão, a audição ou a linguagem escrita ou falada, não é boa nem má; seu possuidor é que lhe dá as características boas ou más conforme o seu desejo.
 Portanto, é importante bem utilizá-la para um melhor desempenho, aumentado as possibilidades de crescimento espiritual.
 É uma faculdade que depende tanto do estado físico como do moral de seu possuidor.
 Há casos em que é prudente, necessário mesmo, a abstenção, ou pelo menos, o exercício moderado, tudo dependendo do estado físico e moral do médium. (LM-221).

OBSESSÃO

 Dentre os escolhos da mediunidade o principal perigo é a obsessão.
 A mediunidade bem orientada levará ao equilíbrio, trabalho produtivo, satisfação interior, saúde física e mental.
 A mediunidade mal orientada propiciará as mais diversas formas de obsessão, desequilíbrio constante, perturbação mental e até doenças físicas.
 Dentre os desequilíbrios provenientes da má orientação da mediunidade temos:

FRAUDES

Que significa burla, logro, mentira. Pressupõe uma atitude deliberada com a finalidade de fazer parecer verdadeira uma coisa falsa.

MISTIFICAÇÕES

Que são as falsidades com o intuito de enganar, burlar, abusar da credulidade de outrem. No caso da mediunidade o médium cria o próprio fenômeno, podendo ou não ser dirigido ou assessorado por espíritos brincalhões, zombeteiros ou obsessores.

ABUSOS DO EXERCÍCIO DA MEDIUNIDADE

A mediunidade é toda pautada em regras para o seu uso correto, que são muito bem explicadas em O Livro dos Médiuns.
 O uso desordenado dessa faculdade, por não seguir as orientações corretas, o aproveitamento para o próprio benefício, seja por ganhos imediatos ou para exalçar o culto da personalidade do médium, se constitui em abuso da mediunidade. O médium deve ser por si só disciplinado e modesto, estudioso e esforçado, cumpridor dos seus deveres perante a tarefa que abraça para o bom desempenho da sua faculdade.

MECANISMO DA OBSESSÃO

Sempre, o domínio que os maus espíritos assumem sobre uma pessoa, provém de uma fraqueza moral, que lhes permitem ascendência sobre ela.
 Há um envolvimento físico, em que o obsessor emite seus fluidos em torno do alvo de sua atenção, como se o enrolasse em uma teia, uma rede, ao mesmo tempo em que pode haver uma ascendência moral que o dominará.
 Assim, temos os diversos tipos de obsessão:

Obsessão simples em que há somente um incômodo energético. Há, nesses casos, que mostrar ao espírito que não está sendo enganado e manter a paciência.
Fascinação  depois do envolvimento fluídico há um domínio da inteligência, de tal modo que o médium aceita passivamente as idéias do espírito e as julga verdadeiras e maravilhosas, por mais absurdas e ridículas que sejam.
Subjugação  é o domínio da vontade do médium, ficando este à disposição dos espíritos, seja corporal como moralmente, para praticar toda sorte de disparates.

ELEVAÇÃO MORAL E PREPARO DO MÉDIUM

COMO EVITAR PROCESSOS OBSESSIVOS

 Em qualquer eventualidade, somente o reforço moral pode livrar o médium do assédio e da submissão aos maus espíritos. Deverá o médium buscar a elevação moral e o preparo para o exercício da mediunidade com toda sua força e decisão.
 Segundo Leon Denis, os médiums devem, para enfrentar o processo de educação de sua mediunidade contar com os seguintes atributos:
Vontade firme para desempenhar a tarefa.
Fé elevada, colocando-se em sintonia com seus espíritos protetores.
Desejo de ser útil, colaborando para amenizar agruras e dificuldades do próximo.
Procurar nos estudos meios do aperfeiçoamento espiritual constante.

PERDA E SUSPENSÃO DA MEDIUNIDADE

 A faculdade mediúnica está sujeita a intermitências e suspensões temporárias, quer para as manifestações físicas, quer para as intelectuais.
 As causas que determinam a supensão temporária ou definitiva da mediunidade podem ser classificadas em:
 Advertência  Para chamar a atenção do médium quanto à forma com que ele vem se conduzindo diante da tarefa. Geralmente, cessada a causa que a produziu, a mediunidade volta a funcionar.
 Benevolência  Quando, por esgotamento das forças do médium ele poderá ser presa fácil dos obsessores, ou adquirir uma doença física ou psíquica. Quando recuperado o médium volta às suas funções.
 Provação  Para por em prova a paciência e a resignação do médium, bem como a perseverança no seu propósito de servir. Tem também a finalidade de lhe dar tempo para meditar sobre as instruções recebidas, e continuar na tarefa, mesmo não podendo contar com sua faculdade ostensivamente manifesta.

TRATAMENTO DOS PROCESSOS OBSESSIVOS

 Quando se depara com um caso de obsessão instalado, duas ações são indispensáveis para desfazer o processo:
 Uma ação mecânica  que consiste em livrar o obsidiado dos fluidos perniciosos com que o obsessor o envolveu. Afirma Allan Kardec, em Obras Póstumas, que somente colocando-se um fluido bom é que se retira um mau fluido.
 Uma ação inteligente  ação dirigida tanto para o obsessor, através de orientações morais habilmente ministradas em trabalhos de desobsessão, para que nele reponte o arrependimento e o desejo de mudança, bem como perdoe aquele que anteriormente lhe fez mal; mas também dirigida ao obsidiado e sua família, que deverão aproveitar a oportunidade para a transformação de suas vidas, buscando interesses que os elevem moralmente, a se escudarem na oração e na prática do bem, pautando seus atos dentro da moral cristã, resignando-se a sofrerem a atuação indesejável, até que todo o processo seja resolvido.
 Obsessão é sintonia; e é preciso ter consciência de que há a necessidade de reajuste moral com aquele que hoje está na condição de perseguidor.

LUCAS DE ALMEIDA MAGALHÃES
CENTRO ESPÍRITA LUZ ETERNA  CELE
Avenida Desembargador Hugo Simas, 137 Bom Retiro
80520-250  Curitiba  Paraná  Brasil
www.cele.org.br cele@cele.org.br
REDAÇÃO: Equipe do CELE