Pesquisar este blog

Páginas

sábado, 2 de maio de 2015

2-4 ESBOÇO DE "O LIVRO DOS ESPÍRITOS" E SUAS DIFERENTES PARTES.
Os Prolegômenos

* Prefácio ao livro, ditado pelos Espíritos
* Objetivo:
* Apresentar os objetivos e a organização do livro, além da importância e do caráter da Doutrina Espírita
* Construção pedagógica:
 Identificação dos autores  os Espíritos (Kardec)
Definição do papel dos Espíritos e do codificador (Kardec)
Foi escrito por ordem e mediante ditado de Espíritos superiores (...)
Papel da Doutrina Espírita (Espíritos)
Nele pusemos as bases do novo edifício que se eleva e que um dia há de reunir todos os homens num mesmo sentimento de amor e caridade.
* Símbolo da cepa de vinho (Espíritos)
* Conselhos a Allan Kardec (Espíritos)  extensível a todos os espíritas (e por isso colocado nos prolegômenos)
Símbolo, uma cepa 6 foi o desenho manuscrito pelos espíritos na ocasião da primeira publicação de LE LIVRE DES ESPIRITS, original em francês de O LIVRO DOS ESPÍRITOS de ALLAN KARDEC.
6 Tronco da videira, donde brotam os sarmentos (sarmento  rebento da videira, braço ou vara da videira)
Embora hajam algumas divergências de interpretação, tanto em relação as publicações originais em francês, como nas traduções para o português, este seria o significado mais próximo do desenho:
O corpo é a rama da videira, a alma ou espírito unido à matéria é a uva e o espírito é o líquido dentro da uva, seu suco. Através do trabalho, o ser humano transforma o suco em vinho, ou seja, a destila retira sua quintessência, transforma o espírito em um espírito do mais alto grau, superior, evoluído.
A sua utilização na capa das obras da codificação básica não encerra em si nenhum misticismo, mas simplesmente um significado simbólico.
(1) cepa: tronco da videira, donde brotam os sarmentos (sarmento  vide: rebento da videira, braço ou vara da videira)
Bibliografia:
KARDEC, Allan. O LIVRO DOS ESPÍRITOS. IDE, 2003
A Parte Primeira - Das Causas Primárias
* Objetivos:
* Apresentar as causas primárias de tudo que existe (Deus, espírito e matéria) e suas consequências.
* Descartar duas delas como fora do objeto de estudo do Espiritismo (Deus e matéria) e selecionar o espírito como tal.
* Construção pedagógica:
* Apresentação filosófica de Deus  causa primária de tudo
* Identificação da impossibilidade de se estudar Deus
* Definição de matéria (princípio material)
* Definição de espírito (princípio espiritual)
* Relações entre espírito e matéria  abordagem espiritual
* Criação  envolvendo Deus, espírito e matéria
* Seres vivos  interesse especial na vida, focando seu princípio vital
* Desenvolvimento posterior: A gênese (1868)
Deus, espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. (LE: questão 27)
A Parte Segunda - Do Mundo Espírita Ou Mundo Dos Espíritos
* Objetivo:
* Apresentar os Espíritos e suas relações com os homens
* Construção pedagógica:
* Apresentação do Espírito, sua natureza, seus componentes, suas elevações (I)  Espírito é o ser (e não o princípio) inteligente
* Estudo dos estados possíveis ao Espírito
* Vindo do mundo espiritual para o material (II)
* Voltando do mundo material para o espiritual (III)
* Indo e vindo do mundo espiritual (IV e V)
* Vivendo no mundo espiritual como Espírito (VI)
* Vivendo no mundo material como alma (VII)
* Vivendo no mundo material e agindo no mundo espiritual (VIII)
* Vivendo no mundo espiritual e agindo no mundo material (IX)
* Apresentação das missões e ocupações dos Espíritos (X)
* Considerações sobre a origem do Espírito (XI)
* Desenvolvimento posterior: O livro dos médiuns (1861)
O mundo espírita (...) preexiste e sobrevive a tudo (LE: questão 85)
A Parte Terceira - Das Leis Morais
* Objetivo:
* Apresentar as leis que regulam o proceder dos Espíritos
* Construção pedagógica:
* Definição de lei divina ou natural (I)
* Apresentação das leis morais  nas 3 partes definidas por Jesus
Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, (...). Esse é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo. (Jesus em Mateus, 22:37-39)
* Leis de relação com Deus: adoração (II) e trabalho (III)
* Leis de relação consigo mesmo: reprodução (IV), conservação (V) e destruição (VI)
* Leis de relação ou consequentes da relação com o próximo: sociedade (VII), progresso (VIII), igualdade (IX) e liberdade (X)
* Objetivo de se praticar as leis morais - perfeição moral (XI)
(...) sede perfeitos, assim como vosso Pai é perfeito. (Jesus em Mateus, 5:48)
* Desenvolvimento posterior: O Evangelho segundo o Espiritismo (1864)
O sábio estuda as leis da matéria, o homem de bem estuda e pratica as da alma (LE: questão 617)
Qual o tipo mais perfeito que Deus já ofereceu ao homem para lhe servir de guia e modelo? Vede Jesus. (LE: questão 625)
A PARTE QUARTA - DAS ESPERANÇAS E CONSOLAÇÕES
* Objetivo:
* Apresentar as consequências boas ou más das ações dos Espíritos quando seguirem ou não as leis morais
* Construção pedagógica:
* Consequências no mundo material (I)
* Consequências no mundo espiritual (II)
* Análise das teorias do pós-morte sob a óptica espírita (II)
*Desenvolvimento posterior: O céu e o inferno (1865)
 Todos vós, homens de fé e de boa-vontade, trabalhai, portanto, com coragem e zelo na grande obra da regeneração, que colhereis pelo cêntuplo o grão que houverdes semeado. (São Luís em LE: questão 1019)
A CONCLUSÃO
* Objetivo:
* Discutir o futuro do Espiritismo e seu papel no futuro da Humanidade
* Construção pedagógica:
* Necessidade do estudo para julgamento sério (I)
* O materialismo e suas consequências (II e III)
* O progresso material e social da humanidade (IV)
* O Espiritismo, sua finalidade e seu poder para o progresso moral da humanidade (V e VI)
* Diferentes tipos de espíritas e de adversários (VII)
* spiritismo e a moral do Cristo (VIII)
* A marcha do Espiritismo no futuro (IX)
O Espiritismo é o laço que um dia unirá [os homens], porque lhes mostrará onde está a verdade, onde o erro. (Santo Agostinho em OLE: Conclusão IX)