Pesquisar este blog

Páginas

quarta-feira, 6 de maio de 2015

13 = CENTRO DE ORIENTAÇÃO
E
EDUCAÇÃO MEDIÚNICA

CURSO DE ORIENTAÇÃO E EDUCAÇÃO MEDIÚNICA  COEM II

SOCIEDADE ESPÍRITA 7/30

2a. PARTE - RESUMOS DAS UNIDADES

UNIDADE TEÓRICA 07 - ESTADOS DA ALMA APÓS A MORTE

ROTEIRO

O mundo espiritual e suas gradações         LE, 84 a 87 e 93 a 127

Sensações dos espíritos após o desencarne CI, 1a parte, cap VII; LE, 149 a 165; MS

Ensaio teórico das sensações dos espíritos       LE, 237 a 257

O estado da alma varia consideravelmente segundo o gênero de morte, mas sobretudo, segundo a natureza dos hábitos que teve durante a vida ( O que é o Espiritismoperg. 149)

A felicidade ou a infelicidade é o merecimento do espírito, conquistado através do seu proceder, como encarnado ou desencarnado.

A felicidade, resultado da conquista das virtudes ou, a pré-disposição para o bem como a conscientização dos seus erros, culpas e/ou arrependimentos, com sincero propósito de recomeçar a caminhada evolutiva, aceitando e respeitando as Leis Divinas. Da mesma maneira, a infelicidade é o resultado da não aceitação destas mesmas Leis, permanecendo temporariamente no sofrimento. Dependendo do grau evolutivo do espírito, a maior ou menor facilidade de compreender e perceber as oportunidades da manifestação divina em seus infinitos recursos de sabedoria e bondade.

O mundo espiritual, dos espíritos ou das inteligências incorpóreas, que preexiste e sobrevive a tudo, é a morada definitiva de todos ( L.E. 2ª partecap 1, 84,85 e 86) Mas como o espírito foi criado simples e ignorante, com a predisposição para o bem, tendo necessidade de conquistar valores eternos, enquanto vai se despojando de suas imperfeições, estagia em diversos graus evolutivos.

A classificação dos espíritos se baseia no grau de adiantamento deles. Em Ge:ral, admitem três categorias principais, ou três grandes divisões (L.E.  itens 96 a 113):

- espíritos imperfeitos;

- bons espíritos;

- espíritos puros.

As sensações dos espíritos após o desencarne são diferentes, dependem das boas ou más resoluções que tenham tomado durante a vida de encarnado e o seu grau de elevação espiritual. Quanto mais apegado à matéria e às emoções perturbadoras, maior a confusão que se segue após o desencarne. Portanto, o estado de desequilíbrio e/ou confusão que se segue logo após a morte do corpo físico, poderá ser de algumas horas como também, poderá demorar meses ou até muitos anos. Quanto mais elevado o espírito, mais rapidamente retorna à consciência de si mesmo.

Os espíritos conservam no mundo espiritual, todas as percepções que possuíam como encarnados, além de outras mais, que a matéria obscurecia.   tal é a lei da justiça divina, a cada um segundo as suas obras, no céu como na terra. ( O que é o espiritismo, itens 144, 145, 148 a 152, 160. Céu e inferno ou justiça divina segundo o espiritismo cap. VII , pag 78 a 88 Código Penal da vida futura  itens 3 a 10).

O corpo é o instrumento da dor se não é a causa primária desta é pelo menos a causa mediata. Embora o espírito sendo indestrutível, poderá conservar temporariamente a lembrança dos sofrimentos experimentados quando encarnado.

É através do perispírito  agente de transmissão das sensações exteriores  que repercute no espírito o que está acontecendo ou já aconteceu ao corpo físico, causando à ilusão do efeito material, como se fosse a realidade bem como, as lembranças das experiências vividas poderá aumentar o sofrimento ou o grau de perturbação e/ou desequilíbrio experimentados.

Quanto mais depurado o espírito, menos grosseira é a essência que compõe o perispírito, diminuindo cada vez mais a influência da matéria sobre este; é no espírito que reside a percepção de todas as faculdades que vão desanuviando, conforme o invólucro semi-material se eteriza.

 Tanto os espíritos inferiores como os superiores, podem tornar ativas ou nulas suas percepções, mas, são obrigados a ouvir os conselhos dos bons espíritos.

Libertar-se dos sofrimentos deve ser a preocupação de cada um de nós, desde a vida atual; somos os arquitetos do nosso futuro, filhos de nossas próprias obras e através da nossa vontade (livre arbítrio), podemos evitar ou agravar, fazer ou não fazer, sendo que a escolha é de cada um de nós.

O sofrimento ou a felicidade é o resultado das nossas decisões, principalmente enquanto vivemos na terra. E no esforço para desenvolver a mente, dominando as imperfeições e praticando o bem com amor e sabedoria é que evoluímos.

Sempre é tempo para recomeçar, é bom pensar e tomar a decisão certa.


LUCAS DE ALMEIDA MAGALHÃES
CENTRO ESPÍRITA LUZ ETERNA  CELE
Avenida Desembargador Hugo Simas, 137 Bom Retiro
80520-250  Curitiba  Paraná  Brasil
www.cele.org.br cele@cele.org.br
REDAÇÃO: Equipe do CELE