Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

ESTUDO SOBRE PASSES - Aura

ESTUDO SOBRE PASSES  - Aura


AURA

             “Todos os seres vivos, dos mais rudimentares aos mais complexos se revestem de um halo “halo energético” que lhes corresponde à natureza. A aura é portanto, irradiação provinda da vitalidade dos tecidos vivos tanto vegetais quanto animais. Este fato pode ser comprovado cientificamente pelas fotos Kirlian, onde experiências realizadas, demonstram que a aura envolve corpos celulares de vegetais e animais, e que esta irradiação está diretamente ligada à atividade celular, forte e radiante em uma folha viva, por exemplo, e enfraquece e definha à medida que a atividade celular desta reduz”.
            “No homem, contudo, semelhante projeção surge profundamente enriquecida e modificada pelos fatores do pensamento contínuo que, em se ajustando às emanações do campo celular, lhe modelam, em derredor da personalidade o conhecido corpo vital ou duplo etéreo de algumas escolas espiritualistas, duplicata mais ou menos radiante da criatura”.

            Com os seus pensamentos e sentimentos habituais, o espírito (encarnado ou não) influi sobre os fluidos do seu perispírito e lhe dá características próprias. Está sempre emanando esses fluidos, que o envolvem e acompanham em todos os movimentos. É a sua aura, a sua “atmosfera individual”.

            “(...) Aí temos, essa conjugação de forças físico-químicas e mentais, a aura humana, peculiar a cada indivíduo, interpenetrando-o, ao mesmo tempo que parece emergir dele, à maneira de campo ovóide, não obstante a feição irregular em que se configura, valendo por espelho sensível em que todos os estados da alma se estampam com sinais característicos e em que todas idéias se evidenciam, plasmando telas vivas (...).

            Fotosfera psíquica, entretecida em elementos dinâmicos, atende à cromática variada, segundo a onda mental que emitimos, retratando-nos todos os pensamentos em cores e imagens que nos respondem aos objetivos e escolhas, enobrecedoras ou deprimentes.

            Isso porque exteriorizamos (...) o reflexo de nós mesmos, nos contatos do pensamento a pensamento, sem necessidade das palavras para as simpatias ou repulsões fundamentais.” André Luiz

Sintonia  e  Brecha

             Pelo modo de sentir e pensar estabelecemos um ajuste de comprimento de onda vibratória entre nós e os que pensam e sentem iguais a nós; ou seja, entramos em sintonia com eles produzimos um certo tipo de fluidos e os espíritos que produzem fluidos semelhantes poderão, então “combinar” seus fluidos com os nossos.

         Quando oferecemos sintonia e combinação de fluidos para o malestamos dando “brecha” aos espíritos inferiores.

         Vigilância e oração evitam ou corrigem a influência negativa de outros sobre nós ou de nós sobre outrem.

         “A nossa aura, quando equilibrada, saudável, brilhante, se constitui num escudo que nos defende das irradiações inferiores, como, por exemplo, pensamentos de inveja, ciúme, vingança, ódio, etc. que estão contidos no espaço que nos circunda, em formas de ondas mentais, prontas a alimentarem poderosamente o nosso campo energético, se sintonizarmos com elas.

            A nossa aura nos defende também da interferência de Espíritos inferiores, repelindo a sua nefasta influência a qual, entre outros prejuízos, podem nos provocar doenças no corpo espiritual e, depois, no corpo físico, ou se ligarem a nós em processos obsessivos de toda espécie.” Salvador Gentile

Obsessão

           A obsessão só se instala quando o obsessor  encontra no obsidiado fraquezas morais que possam serexploradas, são os pontos fracos da personalidade.

           No corpo humano, uma doença só aparece quando há uma fragilidade no  organismo físico. Na área psíquica, o indivíduo, se estiver fraco moralmente, estará sujeito a obsessão.

           Conhecendo as fraquezas do obsedado, o Espírito obsessor vai aos poucos obtendo domínio mental sobre ele. Se a obsessão se alastrar, e não for tratada em tempo hábil, haverá um aumento progressivo da afinidade fluídica entre o obsessor e obsedado.

Desintoxicação  Fluídica  Feita  Pelos  Nossos  Protetores  Espirituais

            “Há pessoas que procuram o sofrimento, a perturbação, o desequilíbrio, e é razoável que sejam punidas pelas conseqüências de seus próprios atos. Quando encontramos enfermos dessa condição, salvamo-los dos fluídos deletérios em que se envolvem por deliberação própria, por dez vezes consecutivas, a título de benemerência espiritual. Todavia, se as dez oportunidades voam sem proveito para os interessados, temos instruções superiores para entregá-los a sua própria obra, a fim de que aprendam consigo mesmos.

            Podemos aliviá-los, mas nunca libertá-los.”(do livro Missionários da Luz de André Luiz)