Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Biografias LÉON DENIS E O ESPIRITISMO

Biografias




LÉON DENIS E O ESPIRITISMO


Léon Denis (1846-1927), um dos baluartes do Espiritismo em França e no mundo escreveu, entre outras, as seguintes obras: Porquê da Vida, 1885; Depois da Morte, 1890; Cristianismo e Espiritismo, 1898; Joana D’Arc Médium, 1910; O Grande Enigma, 1911; O Mundo Invisível e a Guerra, 1919; O Gênio Céltico e o Mundo Invisível, 1927.

Instruído na Maçonaria. Sua vivência no Espiritismo foi acompanhada pelos ensinamentos fornecidos pelos seus guias espirituais: Sorella, Durand e Jerônimo de Praga. Inicialmente, solicitaram-lhe a devida preparação para se tornar um orador e escritor; depois, fortaleceram-lhe o ânimo, dizendo-lhe para não se preocupar, pois estariam ao seu lado em todos os momentos da vida.

Léon Denis e Allan Kardec têm, entre si, íntima relação. Ambos são druídas reencarnados, pois viveram nas Gálias, no século V a. C.. O nome Léon Denis está escrito no de Kardec, ou seja, Hippolyte LEON DENIZard Rivail. São Jerônimo de Praga, seu guia espiritual, fora discípulo de João Huss (encarnação anterior de Kardec), os dois queimados vivos, no Século XV, por ordem do Concílio de Constança.

A propagação do Espiritismo não foi tarefa fácil. Como acontece com toda a idéia nova, sofreu, também, os ataques de seus opositores. Léon Denis teve de lutar contra o materialismo, a falta de idealismo, o cientificismo e o positivismo de Augusto Comte, que grassavam nas universidades. As conferências, os congressos e os livros publicados foram suas armas para a divulgação e a consolidação do edifício doutrinário, alicerçado pelas pesquisas e análises de Allan Kardec.

A integridade de seu caráter criava-lhe condições necessárias para o cumprimento do seu dever. Ao cogito ergo sum de Descartes, acrescenta: “Eu sou e quero ser sempre mais do que sou”. Vegetariano, dizia que não havia bebida melhor do que a água. De moral elevada, procurava cumprir tudo o que prometia. Tornou-se, com o tempo, um autodidata, o que lhe conferia pensar com a própria cabeça.

Léon Denis, cognominado o apóstolo do Espiritismo, teve uma vida repleta de obediência e resignação às instruções do mundo invisível. Deixou-nos o exemplo de um homem viril, obcecado, apenas, pelo perseverante esforço e longa paciência.

Fonte de Consulta
LUCE, G. Vida e Obra de Léon Denis. São Paulo, Edicel, 1968.




ARTIGOS DE SÉRGIO BIAGI GREGÓRIO






https://chat.whatsapp.com/64KwToQw1rBAcPfNfunDtc