Pesquisar este blog

Páginas

sábado, 17 de dezembro de 2016

CARREGAR A CRUZ – QUEM QUISER SALVAR A VIDA, PERDÊ-LA-Á

CARREGAR A CRUZ – QUEM QUISER SALVAR A VIDA, PERDÊ-LA-Á


Cruz - do lat. cruce - significa antigo instrumento de  suplício, constituído  por dois madeiros, um atravessando no outro, em  que se  amarravam  ou pregavam os condenados à morte. Salvação - do lat. salvatione -, ato ou efeito de salvar(-se), ou de remir,  ou seja, livrar-se do perigo ou da ruína.

            A cruz é um dos símbolos cuja presença é atestada desde a mais alta Antigüidade: no Egito, na China etc. A cruz é o terceiro dos quatro símbolos fundamentais, juntamente com o centro, o círculo e o quadrado. Sua função é intermediar os outros três.  Mostra, também, os quatro pontos cardeais. É o elo de ligação entre a terra e o céu, o tempo e o espaço.  A cruz simboliza o Crucificado, o Cristo, que, pregado ao madeiro, representa os quatro cantos do mundo, voltados para o Salvador da humanidade.

No Novo Testamento, o simbolismo teológico da cruz só aparece  em uma  afirmação  do próprio Jesus e nos escritos de  Paulo.  Jesus disse  que  aquele  que o segue deve tomar a  sua  própria  cruz, perdendo assim a vida para conquistá-la (Mateus, 10, vv. 38 e 39; Marcos, 8, vv. 34; Lucas, 9, vv. 23 a 25; João, cap. XII, vv.  24 e  25).  Paulo pregava Cristo e Cristo crucificado,  embora  isso fosse   escândalo para os hebreus e loucura para os  gentios.

Allan Kardec, no cap. XXIV de O Evangelho Segundo o Espiritismo, tece comentários acerca de "aquele que quer me seguir, carregue sua  cruz".  A frase implica seguirmos os ditames de nossa fé, mesmo que  para isso tenhamos de sofrer, até mesmo, a  perda  da própria  vida. Quem  assim  proceder  ganhará  o  reino dos céus.  Mas àqueles  que  sacrificam  os bens celestes  preferindo  os  gozos terrestres Deus dirá: "Já haveis recebido a vossa recompensa".

Regozijemo-nos quando os homens, por ignorância ou   má-fé, injuriarem-nos e odiarem-nos devido à sinceridade de nossa  fé. Suportemos o mal, que ele é passageiro. Tenhamos em mente que as promessas do Cristo não foram vãs. Se ele morreu na cruz para nos salvar, por que esse desespero, quando algo não nos ocorre  a contento?

A cruz simboliza o nosso sofrimento.  Saibamos carregá-la, afrontando, corajosamente, as dificuldades, as ansiedades e o comodismo que tanto nos atrapalham.




SÉRGIO BIAGI GREGÓRIO