Pesquisar este blog

Páginas

sexta-feira, 27 de março de 2015

1------- >   Considerando o Evangelho

Releitura de títulos desenvolvidos pelo Espírito Vianna de Carvalho em 1983 em “ À Luz do Espiritismo” na psicografia de Divaldo Pereira Franco. Títulos mantidos em abordagens livres.

13 – Considerando o Evangelho

Constantemente somos convidados a buscar nos apontamentos da Boa Nova, alento e vigor através do Amigo que assinalou a História universal de modo a dividir o tempo, antes e depois Dele.
   
Apesar dos possíveis enxertos e traduções, a mensagem evangélica no passado e hoje é farol abençoado para mentes e corações aflitos pelas várias circunstâncias do cotidiano.  

Exegetas apontam erros, contradições, deficiências, entretanto, mesmo estas sendo possível, a majestade do Amor que encerra a vida de Jesus transcende a qualquer expressão de linguagem.

No que diz respeito aos ensinos evangélicos, o período dessas narrativas ultrapassa quarenta anos, quando Mateus se encarregou de registrar os fatos para os hebreus; Marcos a pedido de Pedro escreve para os romanos, e Lucas, servindo-se de ambos,  associa pesquisas próprias e escreve aos gentios os relatos que vão culminar nos textos de João.

Além destes, muitos outros que viveram ao tempo ou posteriores a Jesus grafaram também recordações e notícias, deixando, cada qual a seu modo, legados que ora aqui ou ali acrescem detalhes em cenários profundos dos convites transcendentes.

No livro terceiro de “O Livro dos Espíritos” estão inseridas as bases morais evangélicas da Doutrina Espírita. Os Espíritos encarregados da Codificação com sabedoria inspiraram textos estabelecendo roteiro do que seria “O Evangelho Segundo o Espiritismo“.  Obra de esclarecimento e consolação é imensamente atual no momento de dores cruéis que parecem espreitar o Homem que se vê a fracassar. Ao buscar Jesus no Evangelho dessedenta-se, vitaliza o Espírito nos convites precisos, seguros, na palavra firme, segura, e vinculado no Amor, renova dando ânimo para se conduzir na Vida na paz augusta da consciência livre.

Leda Marques Bighetti – Junho/2014