Pesquisar este blog

Páginas

sábado, 28 de março de 2015

III - COEM - CENTRO DE ORIENTAÇÃO
E
EDUCAÇÃO MEDIÚNICA

CURSO DE ORIENTAÇÃO E EDUCAÇÃO MEDIÚNICA  COEM II
SOCIEDADE ESPÍRITA

1ª PARTE - PROGRAMA E MANUAL DE APLICAÇÃO

III - FORMAÇÃO DOS GRUPOS

PARTICIPANTES
Por se tratar de um curso específico de desenvolvimento mediúnico, onde, em princípio, não são abordadas grandes e importantes questões filosóficas do espiritismo, os participantes do COEM devem ter um conhecimento básico da Doutrina, ou, de preferência, ter passado por um programa de estudos, como por exemplo, o PBDE  Programa Básico de Doutrina Espírita.
Atentos às orientações de Kardec, no Capítulo XVIII de O Livro dos Médiuns, é prudente estabelecermos, ainda, como pré-requisitos aos candidatos a médiuns, a maioridade legal e o equilíbrio e a sanidade mental. Os casos excepcionais serão tratados pelos meios terapêuticos que a Casa Espírita dispõe.
Observados esses pré-requisitos, os participantes do COEM podem ser tanto os freqüentadores do Centro sejam eles médiuns ou trabalhadores de outras áreas, como integrantes de outros Centros ou vindos da comunidade.
Uma vez divulgado o início do curso e disponibilizadas as fichas de inscrição (ANEXO 1), teremos o número de participantes, o que nos permitirá dividi-los em grupos e formar as equipes de monitores.
O número ideal de participantes por grupo oscila entre 12 e 15. Há casos em que as circunstâncias e as condições do Centro exigem a formação de grupos com até 25 pessoas.

MONITORES E AUXILIARES
 Os Monitores e Auxiliares dos diversos Grupos do COEM devem ser indicados dentre aqueles confrades integrados nas atividades do Centro Espírita, que possuam condições de ordem moral, doutrinária e experiência no trato da mediunidade e da prática espírita correta. Devem ter capacidade de liderança e de compreensão suficientes e autoridade fraternal para gerarem um clima de confiança e segurança aos componentes do Grupo.
Monitores e Auxiliares devem estar bem conscientizados das finalidades e objetivos do COEM para poderem agir dentro daquela linha fundamental, comum a todos os Grupos e aplicar realmente as orientações estabelecidas.
Nos exercícios práticos, devem proceder com bom senso, sabendo intervir nos momentos oportunos e dando as orientações necessárias com bondade e segurança.
Devem ter capacidade de análise e coerência para tomar iniciativas e providências corretas quando as circunstâncias o exigirem.

ATRIBUIÇÕES DOS MONITORES
Preparar os ROTEIROS das unidades teóricas de estudo dirigido do GRUPO ou recebê-los da Coordenação Geral, solicitando desta os esclarecimentos necessários.
Coordenar, dinamizar e participar das unidades teóricas de estudo dirigido, observando e incentivando a participação de todos os componentes do grupo..
Orientar os EXERCÍCIOS PRÁTICOS do GRUPO, conforme as orientações doutrinárias espíritas do COEM.
Observar o comportamento dos componentes do GRUPO nos exercícios práticos orientá-los fraternalmente no sentido da disciplina e educação mediúnicas, conforme os ensinamentos espírita-cristãos.
Providenciar a elaboração dos relatórios e documentos necessários às avaliações parciais ou finais do COEM bem como os registros de freqüência e fichas de controle individual, solicitando dos auxiliares seu encaminhamento aos setores responsáveis, nos períodos previstos.
Orientar e acompanhar a elaboração dos trabalhos, testes e pesquisas doutrinárias dos componentes de seu grupo.
Participar das reuniões periódicas de monitores, auxiliares e coordenação. .
Verificar o motivo de ausências sucessivas de componentes de seu Grupo; procurar saber as razões das desistências e tomar providências para resolver estes casos, tentando atrair fraternalmente tais companheiros.
Manter o ambiente do grupo em clima agradável, fraterno, amigo, responsável e de interesse doutrinário, resolvendo os casos imprevistos com segurança cristã e confiança na orientação espiritual, evitando melindres e suscetibilidade, através da coerência doutrinária e da retidão de conduta, com bondade em quaisquer circunstâncias.
Tomar providências, em tempo útil, junto aos auxiliares, quanto às obras de consulta para as atividades programadas e do material de expediente a ser usado, para evitar atropelos de última hora. A ordem inspira segurança e facilita a eficiência do trabalho.
Orientar o registro das descrições de sensações nas fichas individuais (rascunho), tendo em vista a objetividade, evitando uma síntese excessiva que prejudique uma descrição e a prolixidade cujo excesso de palavras a obscurece.
Procurar orientar as atividades do Grupo de forma que comecem e terminem nos horários estabelecidos.
Orientar os auxiliares, com a antecedência possível, quando motivos imprevistos impedirem a sua presença, a fim de que eles possam tomar as providências necessárias à realização normal das atividades programadas.
Tomar providências junto aos auxiliares e componentes do Grupo visando manter em ordem a sala de trabalho e o material, após seu uso, nas reuniões teóricas dinâmicas e nas de exercício prático.

ATRIBUIÇÕES DOS AUXILIARES
Substituir o MONITOR nas suas ausências ou quando por ele solicitado e tomar as providências necessárias em tempo para o bom desempenho das atividades programadas.
Manter em ordem e em dia os registros de freqüência e o controle individual de percepções.
Fazer a anotação de freqüência das reuniões; registrar as sensações dos exercícios práticos no rascunho, com objetividade e clareza; providenciar os documentos de expediente junto aos setores responsáveis, quando necessário.
Participar das reuniões periódicas de monitores, auxiliares e coordenação geral
Elaborar juntamente com o monitor os relatórios do Grupo, quando solicitados e nas avaliações parcial e final do COEM.
Colaborar eficientemente com o monitor na coordenação e orientação das unidades teóricas dinâmicas e nos exercícios práticos.
Distribuir os roteiros das unidades teóricas de estudo dirigido aos coordenadores dos minigrupos, e orientar os relatores destes quanto ao modo prático de elaboração dos relatórios de seus estudos.
Entregar ou encaminhar os documentos (resumos das unidades teóricas e práticas) e a correspondência (cartas, avisos, esclarecimentos, etc.) aos componentes do grupo; controlar essa entrega e sua resposta quando for o caso; fornecer as informações necessárias a esse respeito, ao monitor e à coordenação geral do COEM.
Orientar os componentes do grupo na aquisição das fontes bibliográficas de consulta usadas no COEM.
Colaborar com o monitor, quando solicitado, na montagem dos roteiros das unidades teóricas dinâmicas e reunir-se com este, quando necessário, para tratar de assuntos, medidas e documentos referentes às atividades e interesses do grupo.
Colaborar com o monitor na criação e manutenção de um ambiente fraterno, cristão, acolhedor, responsável e agradável no Grupo.
Auxiliar o monitor na observação do comportamento e participação dos componentes nas unidades de estudo dinâmico e nas de exercício prático, reforçando sempre as orientações necessárias à eficiência dessas atividades.
Organizar e manter em ordem o material de expediente do Grupo (pastas de freqüência, fichas de registro, papel, lápis, fontes de consulta, resumos de aulas, etc.), distribuindo-os para uso e recolhendo-os, após, quando for o caso, e solicitar com antecedência a sua reposição quando esgotados, junto aos setores responsáveis.


LUCAS DE ALMEIDA MAGALHÃES
CENTRO ESPÍRITA LUZ ETERNA  CELE
Avenida Desembargador Hugo Simas, 137 Bom Retiro
80520-250  Curitiba  Paraná  Brasil
REDAÇÃO: Equipe do CELE