Pesquisar este blog

Páginas

terça-feira, 29 de setembro de 2015

COEM II - Sociedade Espírita Obreiros do Bem 16 CONCENTRAÇÃO, ABSTRAÇÃO, ELEVAÇÃO E MANUTENÇÃO VIBRATÓRIA

COEM II - Sociedade Espírita Obreiros do Bem 16 CONCENTRAÇÃO, ABSTRAÇÃO, ELEVAÇÃO E MANUTENÇÃO VIBRATÓRIA 

COEM II - Sociedade Espírita Obreiros do Bem
COEM II- SEOB
UNIDADE TEÓRICA 16

CONCENTRAÇÃO, ABSTRAÇÃO, ELEVAÇÃO E MANUTENÇÃO VIBRATÓRIA

Para que haja concentração e esta se faça sem desgastes alguns passos são importantes. O primeiro é o relaxamento físico para a liberação da musculatura e permitir um contato maior com níveis ampliados de consciência.

Seguindo o relaxamento físico é imprescindível que haja um relaxamento mental. Entendemos por relaxamento mental o asserenar dos pensamentos, acalmar o fluxo, ir lentamente permitindo que a mente se libere dos pensamentos costumeiros para tornar vazia ou seja, abstrair.

Os dicionários trazem como sinônimos para abstrair palavras como: distrair-se, alhear-se, separar, apartar.

Em nosso estudo vemos que todos esses significados de alguma forma se relacionam com o ato de abstrair. Realmente o que acontece no processo da abstração é um distrair a mente consciente que nos prende ao cotidiano, ao barulho do momento, ao dia a dia. Esta abstração vai levando a pessoa a alhear-se do aqui e agora, para que com a consciência ampliada possa alargar os horizontes de percepção numa separação gradual entre a mente consciente e inconsciente.

Como fazer isso se estamos sempre pensando? Se pensamentos intrusos povoam nossa mente, principalmente quando não os queremos?

E preciso técnica e treino. Algumas técnicas ajudam nessa educação mental e com a continuidade o processo de abstrair-se se torna fácil.

Um cuidado importante nesse momento: Nossa mente não deverá estar atenta ao que não deve fazer ( vamos esquecer os problemas do dia, não vamos agora lembra das dificuldades) porque para saber o que não é para fazer ela precisa pensar primeiro no que são essas coisas e portanto já estará ligada a elas. Nossa mente deverá estar atenta ao objetivo que é deixar a mente livre, aberta, limpa como uma tela em branco.

Existem várias técnicas. Podemos citar duas como exemplo. Uma delas é deixar a mente como se ela fosse um espelho. Todos os pensamentos que ocorrem chegarão a este espelho e voltarão de onde vieram. Outra técnica é deixar a mente como se ela fosse um rio. Todos os pensamentos que surgirem deverão ser levados pela correnteza deste rio até que não haja mais nenhum.

Há ainda a possibilidade de se abrir a mente para sentir uma qualidade como: serenidade, bondade, calma etc, e em seguida ser a serenidade, a bondade, a calma, elevando desta forma o padrão mental, o que vai permitir a criação de uma atmosfera fluídica importante para o desenvolvimento do trabalho mediúnico.

Lentamente a mente vai ficando mais serena, sem pensamentos intrusos e já se pode passar a uma outra fase do processo de concentração.

Concentrar: Fazer convergir para um centro; reunir em um mesmo ponto; tornar-se mais denso, mais forte.

Concentração:- convergência. Como a própria palavra diz nesta fase do processo toda ação mental vai estar concentrada em um objetivo. É importante que a mente esteja livre para então direcionar o pensamento para o objetivo que se deseja (sem esforço). Em relaxamento, o pensamento deve permanecer como se repousasse neste ponto, neste lugar, neste objetivo que se estabeleceu.

A primeira vista pode parecer tarefa fácil mas na verdade a mente, sem mesmo nos darmos conta está sempre ativa, isto porque o espírito jamais está inativo

Se pararmos um pouco e fizermos uma observação perceberemos a velocidade, o ritmo e o encadeamento de nossos pensamentos . dificilmente paramos para perceber esse padrão, vamos pensando em pronto. Estes padrões de mudança contínua são difíceis de serem modificados. Como é difícil concentrar o pensamento em um coisa só. Parece que o pensamento foge para outras tantas situações e quanto mais se esforça menos se consegue.
É importante no processo não criar tensões e obrigações. O pensamento deverá fluir numa direção e lá permanecer tranqüilamente, é importante também estar ciente que com o contínuo exercício tudo vai acontecendo de forma mais fácil e natural. O ponto de convergência dos pensamentos em um trabalho mediúnico é a elevação do padrão vibratório e a manutenção deste padrão durante o tempo de trabalho.

A manutenção vibratória é fundamental para que o ambiente se mantenha pleno de elementos fluídicos, favorecendo desta forma o desenvolvimento de trabalhos e o intercâmbio com o plano espiritual. A posição mental neste momento será para manter a concentração nos objetivos propostos para o trabalho, doação fluídica necessária aos atendimentos que se realizam, vibrações amorosas para os companheiros do grupo bem como para as entidades espirituais que porventura estejam no recinto.

A mente poderá se manter como um foco de irradiação de pensamentos elevados que se modulam conforme a necessidade do momento.

Quando o processo da concentração e da manutenção vibratória vai se tornando natural pela prática contínua, ele não cansa, ao contrário proporciona a quem o exercita um bem estar profundo.

Como diz Emmanuel no livro Caminho, Verdade e Vida: Nossa mente tem sede de paz, como a terra tem necessidade de água fria. Ele ainda recomenda: Vem a um lugar à parte no país de ti mesmo, a fim de repousardes um pouco. E entre outras orientações sugere que se faça uma ligação com o cristo para que com ele possa escalar, sem cansaço a montanha da luz.

ROTEIRO: CONCENTRAÇÃO, ABSTRAÇÃO, ELEVAÇÃO E MANUTENÇÃO VIBRATÓRIA

Etapas no processo de concentração

Relaxamento Abstração  Elevação

Concentração

Manutenção Vibratória


LE Cap. VIII; CW, pág. 351