Pesquisar este blog

Páginas

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

nl04_01_Ouvindo Elucidaçoes

nl04_01_Ouvindo Elucidaçoes

CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo

Livro em estudo: Libertação
Referência: Capítulo 01.
Tema: Ouvindo Elucidações

Resumo do Capítulo:
No vasto salão do educandário que nos reunia, o Ministro Flácus, fixando em nós o olhar saturado de doce magnetismo, convidava-nos a preciosas meditações..
.. Até então, ouvira comentários  alusivos  a colônias purgatoriais, perfeitamente organizadas para o trabalho expiatório a que se destinam, arrebanhando milhares de criaturas arraigadas no mal... O Instrutor Gúbio concedera-nos a permissão de acompanhá-lo a enorme centro dessa espécie.
... Senhoreando-nos o espírito, o Ministro prosseguia satisfeito:
- Os superiores que se disponham a trabalhar em benefício dos inferiores, em ação persistente e substancial, não lhes podem utilizar as armas, sob pena de se precipitarem no baixo nível deles. A severidade pertencerá ao que instrui, mas o amor é o companheiro daquele que serve.
... Sabemos que a educação, na maioria das vezes parte da periferia para o centro; contudo, a renovação, traduzindo aperfeiçoamento real, movimenta-se em sentido inverso...
... O espírito humano lida com a força da mente tão quanto maneja a eletricidade...
... A rigor portanto, não temos círculos infernais de acordo com os figurinos da antiga teologia, onde se mostram indefinidamente gênios satânicos de todas as épocas e sim, esferas obscuras em que se agregam consciências embotadas na ignorância, cristalizadas no ócio deplorável ou confundidas no eclipse temporário da razão. Desesperadas e insubmissas, criam zonas de tormentos reparadores...
É forçoso reconhecer que a organização humana, por si só, não atende  ás exigências do ser imperecível.
... Cristo não brilha apenas pelo ensinamento sublimado. Resplandece na demonstração. Em companhia d'Ele, é indispensável mantenhamos a coragem de amparar e salvar, descendo aos recessos do abismo....
Não longe de nossa paz relativa, em círculos escuros, misturam-se milhões de seres conclamando comiseração... Por que não acender piedosa luz, dentro a noite?? Porque não semear esperança entre corações que abdicaram da fé em si mesmos?
... Somos entidades ainda infinitamente humildes e imperfeitas para nos candidatarmos, de pronto à condição de anjos...
... Expressando-nos coletivamente, sabemos hoje que o espírito humano lida com a razão há 40 mil anos... Todavia com  o mesmo ímpeto com que o homem de Neandertal aniquilava o companheiro a golpes de sílex, o homem da atualidade extermina o próprio irmão a tiros de fuzis...
.. Frustrados em suas aspirações de vaidoso domínio celestial, homens e mulheres de todos os climas e civilizações, depois da morte, esbarram  em regiões menos elevadas em que se prolongam  as atividades terrenas e elegem  o instinto de soberania sobre a Terra por única felicidade digna do impulso de conquistar...
É que confinados ao berço escabroso  da ignorância em que o medo  e a maldade, com inquietudes e perseguições recíprocas, lhes consomem as forças e lhes inutiliza o tempo não se apercebem da situação dolorosa em que se acham...
...Fora do amor verdadeiro, toda união é temporária...
... A mente infantil da Terra, nunca pôde aprender mais intensivamente a realidade espiritual que nos governa os destinos...
... Satã é a inteligência perversa... O mal é o desperdício do tempo ou o emprego da energia em sentido contrário aos propósitos de Senhor...

Questões para estudo:

1 - Explique: "- Os superiores que se disponham a trabalhar em benefício dos inferiores, em ação persistente e substancial, não lhes podem utilizar as armas, sob pena de se precipitarem no baixo nível deles. A severidade pertencerá ao que instrui, mas o amor é o companheiro daquele que serve."
2 - "... A rigor portanto, não temos círculos infernais de acordo com os figurinos da antiga teologia, onde se mostram indefinidamente gênios satânicos de todas as épocas e sim, esferas obscuras em que se agregam consciências embotadas na ignorância, cristalizadas no ócio deplorável ou confundidas no eclipse temporário da razão. Desesperadas e insubmissas, criam zonas de tormentos reparadores..."
Se então não existem os circulos infernais, como entender onde estão os espíritos "presos" no Umbral? O que é o Umbral??
3 - " ... Cristo não brilha apenas pelo ensinamento sublimado. Resplandece na demonstração. Em companhia d'Ele, é indispensável mantenhamos a coragem de amparar e salvar, descendo aos recessos do abismo...."
Por esta afirmação podemos entender como verdadeiros estes dois aspectos:
a) De nada vale ensinar e conhecer se não é praticado todo o conhecimento que se tem;
b) Devemos então interceder por qualquer irmão nosso para salvarmo-lo ou mesmo amenizar sua dor? Podemos ir até "o inferno" seu estado consciencial que criou para salva-lo??
4 - " ... Expressando-nos coletivamente, sabemos hoje que o espírito humano lida com a razão há 40 mil anos... Todavia com  o mesmo ímpeto com que o homem de Neandertal aniquilava o companheiro a golpes de sílex, o homem da atualidade extermina o próprio irmão a tiros de fuzis..."
Podemos diante desta afirmativa entender que então em 40 mil anos nós homens não evoluímos nadinha com relação ao tema extermínio?
5 - " ... A mente infantil da Terra, nunca pôde aprender mais intensivamente a realidade espiritual que nos governa os destinos..."
Afora a programação que viemos cumprir (de expiação ou provação), podemos acreditar em destino? Naquela história que tudo está determinado e será como está anotado em nosso livrinho??
6 - " ... Satã é a inteligência perversa... O mal é o desperdício do tempo ou o emprego da energia em sentido contrário aos propósitos de Senhor..."
Então aquela conhecida história de Lucifer, o anjo vaidoso de Deus que queria seu trono e por isso foi expulso do céu para reinar na terra ou inferno não existe??
Então os "espíritos da esquerda" não tem um "chefão" ??
O que são espíritos da esquerda?

Conclusão do estudo

    Prosseguindo no estudo da preciosa obra de André Luiz, psicografada por Chico Xavier, estamos iniciando o estudo do livro Libertação, o sétimo da esclarecedora coletânea que nos foi legada pelo Autor.
Nessa obra, André Luiz continua nos trazendo conhecimentos sobre a realidade da vida no mundo espiritual, que constituem, segundo alguns, uma verdadeira revelação dentro da revelação maior que é o Espiritismo. Esclarecendo-nos através da narrativa de seu trabalho nas equipes espirituais de socorro aos sofredores, o Autor  se  tornou  conhecido  como o  "Repórter do Além", por nos trazer conhecimentos tão detalhados quanto  inéditos  a cerca do outro plano de vida.
    Mais uma vez, o Autor está engajado no trabalho de socorro  em  regiões  de  baixa vibração,  onde  habitam  espíritos  sofredores,  obstinados  na  prática  do  mal.  Agora, acompanhando o Instrutor Gúbio, os benfeitores visitam uma região de densa  vibração,  envolvendo-se  com espíritos obsessores, verdadeiros carrascos espirituais,  junto aos  quais realizam um trabalho de convencimento à fé cristã,  ao  mesmo  tempo  em  que trabalham  para  neutralizar  suas ações maléficas.
Nesse primeiro capítulo, os benfeitores espirituais comparecem  a  uma  assembléia em que entidade de alta elevação - o Ministro Flácus - proferiu instrutiva  palestra  acerca do verdadeiro sentido da fé cristã, da caridade e do destino das almas após  a  morte  do corpo físico. Ressalta o ensinamento espírita a respeito dos chamados "céu" e "inferno" e dos espíritos obstinados no mal.

   QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO

1 - Explique: " - Os superiores que se disponham a trabalhar em benefício dos inferiores, em ação persistente e substancial, não lhes podem utilizar as armas, sob pena de  se precipitarem no baixo nível deles. A severidade pertencerá ao que instrui, mas o amor é o companheiro daquele que serve."
Os mais evoluídos, aqueles que estão encarregados de trabalhar pelo progresso  dos que se encontram em estágio inferior, não devem se utilizar dos mesmos  sentimentos que dominam os necessitados. Se o irmão está arraigado na pratica do mal, há que se educá-lo com amor, ministrando-lhe os ensinamentos do Evangelho.  Utilizar-se  das mesmas armas que ele se utiliza seria a ele se equiparar, num processo de nivelamento por baixo. A transformação deve se operar pelo convencimento e não pelo uso da força.
2 - "... A rigor portanto, não temos círculos infernais de acordo com os figurinos da antiga teologia, onde se mostram indefinidamente gênios satânicos de todas as épocas e sim, esferas obscuras em que se agregam consciências embotadas na ignorância, cristalizadas no ócio deplorável ou  confundidas  no  eclipse  temporário  da  razão.  Desesperadas  e insubmissas, criam zonas de tormentos reparadores..."
Se então não existem os círculos infernais,  como  entender  onde  estão  os  espíritos "presos" no Umbral? O que é o Umbral?
O Ministro Flácus quis explicar que não existem regiões  demarcadas como infernos, habitadas por seres eternamente dedicados à prática do mal. Como, aliás,  os  Espíritos responderam a Kardec na questão 1.012 de O Livro dos Espíritos. O inferno  e  o  céu, como regiões físicas, são alegorias criadas pelo homem. Espíritos bons e maus existem em toda parte. No entanto, a lei de sintonia atrai os espíritos da mesma ordem,  que  se  reúnem por simpatia. Onde quer que estejam reunidos espíritos atrasados, em sofrimento e que dedicam sua existência à prática reiterada do mal, aí será o "inferno".
Quanto ao Umbral, revelado por André Luiz no livro Nosso Lar, é uma região  onde  se reúnem, também pela atração, espíritos em expiação, com dores físicas e morais a serem suportadas, decorrentes de faltas praticadas contra a lei de Deus. Também não se trata de região demarcada territorialmente, mas de qualquer região do espaço universal onde esses espíritos venham a se reunir.
3 - “... Cristo  não  brilha  apenas  pelo  ensinamento  sublimado.  Resplandece  na demonstração. Em companhia d'Ele, é indispensável mantenhamos a coragem de amparar e salvar, descendo aos recessos do abismo...."
Por esta afirmação podemos entender como verdadeiros estes dois aspectos:
a) De nada vale ensinar e conhecer se não é praticado todo o conhecimento que se tem;
b) Devemos, então, interceder por qualquer irmão nosso para o salvarmos ou mesmo amenizar sua dor? Podemos ir até "o inferno", seu estado consciencial  que  criou,  para salvá-lo?
Sem dúvida nenhuma, a fé sem obras é morta, como disse Tiago em sua Carta  aos primeiros cristãos. O ensinamento baseado no conhecimento adquirido é precioso, porém nada ou muito pouco vale se não acompanhado pelo exemplo, através da prática do  que se ensina. A intercessão por qualquer irmão necessitado é uma imposição da Lei de Amor que o Cristo veio nos ensinar. Não para salvá-lo, pois isso somente ele próprio pode fazer.
Mas, para esclarecê-lo, para minorar seu sofrimento, para auxiliá-lo a encontrar o caminho reto da evolução.
4 - “... Expressando-nos coletivamente, sabemos hoje que o espírito humano lida com a razão há 40 mil anos... Todavia com  o mesmo ímpeto com que o homem de Neandertal aniquilava o companheiro a golpes de sílex, o homem da atualidade extermina o próprio irmão a tiros de fuzis..."
Podemos diante desta afirmativa entender que então em 40 mil anos nós homens não evoluímos nadinha com relação ao tema extermínio?
Devemos entender que, ao longo de todos esses milênios, moralmente, a humanidade evoluiu, bem menos que o desejado. Pelas próprias palavras do benfeitor, vemos que a evolução intelectual foi maior. Antes, exterminava-se a golpe de sílex; hoje,  através  de armas de fogo. O instrumento utilizado para a exterminação evoluiu;  mas  a  moral  que deveria evitá-la não.
5 - “... A mente infantil da Terra, nunca pode aprender mais intensivamente a realidade espiritual que nos governa os destinos..."
Afora a programação que viemos cumprir (de expiação ou provação), podemos acreditar em destino? Naquela história que tudo está determinado e será como está anotado em nosso livrinho?
Antes de reencarnar, utilizando-se do seu livre-arbítrio, o espírito escolhe o gênero  de provas por que há de passar. Se considerarmos essas provas como destino, sim, o nosso destino está determinado. Mas não como obra do acaso, como resultado de determinismo estabelecido por Deus. As provas por que o espírito tem de passar são resultado de seus atos e pensamentos e a responsabilidade pelas conseqüências que tiverem é unicamente sua.
6 - “... Satã é a inteligência perversa... O mal é o desperdício do tempo ou o emprego da energia em sentido contrário aos propósitos de Senhor..."
Então aquela conhecida história de Lúcifer, o anjo vaidoso de Deus que queria seu trono e por isso foi expulso do céu para reinar na terra ou inferno não existe? Então os "espíritos da esquerda" não têm um "chefão”? O que são espíritos da esquerda?
Assim como o Céu e o Inferno como regiões territoriais, como o Diabo e Satã, Lúcifer é também uma alegoria humana, criada para explicar o que o homem da época não tinha conhecimento para fazê-lo. A expressão "espíritos da esquerda" refere-se a espíritos mais atrasados, sofredores, praticantes do mal. É uma alusão à  passagem  citada  por Mateus (25,31-46), em que Jesus diz que, no Juízo Final, o Rei colocará à direita os bons espíritos e à esquerda os maus.

Muita paz a todos.

Equipe Nosso Lar

CVDEE