Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

nl04_03_Entendimento

nl04_03_Entendimento
 CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo
Sala Virtual de Estudos Nosso Lar
 Estudos destinados às obras de André Luiz
Obra em estudo: Libertação
  Tema: Entendimento
 Referência: Capítulo III

“(...)
_ É admirável pensar – aventurei respeitosamente – que se formam verdadeiras expedições em nossa esfera para atender a simples caso de obsessão...
_ Os homens encarnados – redarguiu o orientador com certa vaguidade no olhar, qual se trouxesse a alma presa a imagens fugidias dos pretérito – não suspeitam a extensão dos cuidados que despertam em nossos círculos de ação. Somos todos, eles e nós, corações imantados uns aos outros, na forja de benditas experiências. No romance evolutivo e redentor da Humanidade, cada espírito possui capítulo especial. Ternos e ríspidos laços de amor e ódio,  simpatia e repulsão, acorretam-nos reciprocamente. As almas corporificadas na Crosta guardam-se em passageiro sono, com esquecimento temporário quanto às atividades pregressas. Banham-se no Ésfige dos antigos, cujas águas lhes facultam, durante certo tempo, valiosa segurança para retorno e oportunidades de elevação, todavia, enquanto se mergulham em olvido benéfico, demoramo-nos , por nossa vez, em abençoada vigília. Os perigos que nos ameaçam os entes amados de agora ou de épocas que o tempo consumiu, desde muito, não nos deixam impassíveis. Os homens não se acham sozinhos na estreita senda de provas salutares em que se confinam. A responsabilidade pelo aperfeiçoamento do mundo compete-nos a todos.
(...)
_ A enferma , a cuja assistência fomos admitidos, está por exemplo em vosso passado espiritual...
_ Sim – confirmou Gúbio , humilde -, mas não fui designado para servir no caso de Margarida  , a doente que nos compele à breve expedição do momento, apenas porque houvesse sido minha filha em eras recuadas. Em cada problema  de socorro, é imprescindível considerar as várias partes em jogo. Em virtude do enigma de obsessão que nos propomos resolver, somos levados a buscar todas as personalidades que compõem o quadro de serviço. Perseguidores e perseguidos entrelaçam-se, em cada processo de auxílio, em grande expressão numérica. Cada espírito é um elo importante em extensa região da corrente humana. Quanto mais crescemos em conhecimentos e aptidões, amor e autoridade, maior é o âmbito de nossas ligações na esfera geral. Almas existem que se vêem sob o interesse de milhões de outras almas. Enquanto os movimentos da vida se estendem, harmoniosos, sob os ascendentes do bem, as dificuldades não chegam a surgir; contudo , quando a perturbação se estabelece, não é fácil desfazer obstáculos porque, em tais circunstâncias é indispensável procedamos com absoluta imparcialidade, dando a cada um quanto lhe caiba. O homem terrestre , mormente nos dias tormentosos, costuma ver somente o “seu lado”, mas, acima da justiça comum, propriamente considerada, outros tribunais mais altos funcionam... Em razão disso, todos os casos de desarmonia espiritual na Terra movem aqui extensa rede de servidores que passam a tratá-los, sem inclinações pessoais, em bases do amor que Jesus exemplificou e , nessas ocasiões, preparamo-nos a satisfazer todos os imperativos de trabalho savalcionista que a tarefa nos imponha ou proporcionem dentro das atividades que lhe são conexas.
(...)
_ Chegam no momento preciso. Os doadores de fluidos sublimados encontram-se a postos e a outra comissão já veio.
(...)
Soube, de imediato, que outro grupo, constituído, aliás, por duas irmãs, ali se achava com o objetivo de receber instruções de serviço para esferas mais baixas.
(...)
Em seguida a saudações ligeiras e cordiais, foi composto o conjunto de orações.
Os doadores de energia radiante, médiuns de materialização em nosso plano, se alinhavam, não longe, em número de vinte.
(...)
E logo após a prece, formosa e espontanea, (...) Esbranquecida nuvem de substância leitosa-brilhante adensa-se em derredor e, pouco a pouco, desse bloco de neve translúcida, emerge a figura viva e respeitável de veneranda mulher.(...)
(...)
_ Filhas amadas, o Sol combate a treva todos os dias. Batalhemos contra o mal, incessantemente, até a vitória. Não se suponham sozinhas no conflito doloroso. Desculpemos Papai, infinitamente, e colaboremos por restituí-lo à terra firma da luz. Se o Cristo trabalha por nós, desde o princípio dos séculos, sem que lhe possamos compreender a amplitude de sacrifícios , que dizer das nossas obrigações de amparo e tolerância, uns para com os outros? Cláudio se fez para sempre credor da nossa estima e gratidão, apesar do pavoroso crime oculto que no-lo arrebatou às profundezas... envenenou um parente para conseguir a riqueza material que nos ofereceu educação e conforto na esfera carnal. Por extrema dedicação a nós três, não hesitou diante da tentação que o constrangeu a infernal compromisso.(...) Para que ele nos sentisse garantidas e felizes, viveu quarenta anos consecutivos entre o remorso e o sofrimento, psiquicamente sintonizado com espíritos maliciosos e vingativos das sombras, mas, na realidade, sobre as aflições  dele nos foi possível atravessar abençoada exist6encia de progresso e conforto, numa casa ditosa e farta, sem sabermos que em nossos alicerces espirituais vivia um ato escuro de assassínio e violência!
(...)
_ Tornaremos, contudo, ao campo da luta regeneradora e benfazeja...Que vale para nós a paisagem celestial sem a libertação daqueles que amamos? (...)
(...)
_ Não desanimem. O tempo é das mais radiosas dádivas do Senhor e o tempo nos auxiliará.(...)Lembremo-nos de Jesus e avancemos...
(...)
Ainda não voltara a mim mesmo da salutar divagação , quando outro lençol de alva substância coroada de tons dourados, se fez visível no alto. Em breves instantes, revestida de luz, outra mensageira surgia na tribuna.
(...)
_ Irmão Gúbio (...) Chefia condenável falange de centenas de outros espíritos desditosos, cristalizados no mal, e que lhe obedecem com deplorável cegueira e quase absoluta fidelidade. Agravou o passivo de suas dividas clamorosas, trazidas da insânia terrestre , e vem sendo instrumento infeliz nas mãos de inimigos do bem, poderosos e ingratos... Há cinquenta anos, porém, já consigo aproximar-se dele, ,mentalmente. Recalcitrante e duro , a princípio, Gregório agora experimenta algum tédio, o que constitui uma bênção nos corações infiéis ao Senhor. Já lhe surpreendo no espírito rudimentos de necessária transformação,. Ainda não chora sob o guante do arrependimento benéfico e parece-me longe do remorso salvador; entretanto , já duvida da vitória do mal e abriga interrogações na mente envilecida. Não é tão severo no comando dos espíritos desventurados que lhe seguem as determinações e o colapso de sua resistência não me parece remoto.
(...)
_ Irmão Gúbio (...) Na pauta do julgamento humano comum, meu filho espiritual será talvez um monstro...Para mim, contudo, é a jóia primorosa do coração ansioso e enternecido. Penso nele tal qual se houvera perdido a pérola mais linda num mar de lama e tremo de alegria ao considerar que vou reencontrá-lo. Não é paixão doentia que vibra em minhas palavras. É o amor que o Senhor acendeu em nós, desde o princípio. Estamos presos diante de Deus , pelo magnetismo divino, tanto quanto as estrelas que se imantam umas às outras, no império universal. Não encontrarei o céu, sem que os sentimento de Gregório se voltem igualmente para a Eterna Sabedoria. Alimentamo-nos na Criação com os raios de vida imperecível que emitimos uns para com os outros. Como surpreender a perfeita ventura se recebo do filho amado tão somente raios de forças em desvario?
(...)
_ Descerei dentro em breve anos, para o torvelinho de lutas carnais, a fim de esperar Gregório em existência de resgate difícil e doloroso. Educa-lo-ei sob os princípios superiores que regem a vida. Crescerá sob minha inspiração imediata e receberá a prova perigosa e aflitiva da riqueza material.(...) Nas amarguras e desilusões que o ajudarão a reestruturar e aperfeiçoar os poderes da mente, minha voz de amor eterno será por ele registrada com mais precisão...Até lá, porém, Gúbio, compete-me trabalhar muito e sem desânimo, com incessante aproveitamento das horas. Moverei as cordas da intercessão sublime, mobilizarei meus amigos, rogarei a Jesus fortaleza e serenidade. Iniciaremos a liberação com o teu abnegado concurso na zona abismal.
(...)
_ Atenderás Margarida que te foi filha amatíssima e que a Gregório ainda se encontra imantada por teias escuras do passado e colaborarás com o meu devotamento materno para que na alma dele se converta a sublevação em humildade e a frieza , em calor. Encontrando-o, veste a capa do servo prestimoso e fal-lhe em meu nome. Sob o gelo que lhe cristaliza os sentimentos, descansa , inapagada, a chama do amor que nos une para sempre. Disponho, agora, da permissão de fazer-me sentir e acredito que, à face de tua amorosa tarefa, mover-se-lhe-á o espírito endurecido.
 Sei quanto te custa a incursão nos domínios da dor, porque só aquele que sabe amar e suportar consegue triunfo nas consciências que se degradaram no mal; entretanto, meu amigo, os dons divinos descem sobre nós, dentro de justas condicionais. O Senhor nos enriquece para que enriqueçamos a outrem, dá-nos alguma coisa para ensaiarmos a distribuição de benefícios que Lhe pertencem, ajuda-nos a fim de que auliemos, por nossa vez, os mais necessitados. Mais recolhe quem mais semeia...
(...)
_ Ao terminarem (...) Então, quem sabe? É provável se verifique o encontro pessoal que almejo há muito tempo, porquanto Gregório virá possivelmente em tua companhia, até a um ponto em que de alguma sorte a manifestação da luz será possibilitada ante as trevas.
(...)
_ A hora é chegada... O Senhor estará conosco. Há tempo de plantar e tempo de colher, Gregório e eu semearemos de novo. Seremos mãe e filho , outra vez!
(...)
Ergui para o Instrutor olhos repletos de indagações, mas Gúbio, afagando-me os ombros, delicadamente murmurou:
_ Repousa a mente e não perguntes por agora. Amanhã, seguiremos em direção da tarefa nova, que nos exigirá muita prudência e compreensão fraternal, e convence-te de que o serviço nos esclarecerá com a sua linguagem viva.

QUESTÕES PARA ESTUDO FRATERNO:

01) O Que é obsessão? Como ela se dá? De que forma pode ser evitada? De que forma pode ser combatida?
02) O que é intercessão? Como ela se dá?
03) O que é materialização? Como ela se dá?
04) Pode haver no plano espiritual comunicações mediúnicas?
05) O que é : Os doadores de fluidos sublimados?
06)  Comente, à luz da Doutrina Espírita, as seguintes passagens e/ou assertivas :
a) No romance evolutivo e redentor da Humanidade, cada espírito possui capítulo especial. Ternos e ríspidos laços de amor e ódio,  simpatia e repulsão, acorretam-nos reciprocamente. As almas corporificadas na Crosta guardam-se em passageiro sono, com esquecimento temporário quanto às atividades pregressas. Banham-se no Ésfige dos antigos, cujas águas lhes facultam, durante certo tempo, valiosa segurança para retorno e oportunidades de elevação, todavia, enquanto se mergulham em olvido benéfico, demoramo-nos , por nossa vez, em abençoada vigília. Os perigos que nos ameaçam os entes amados de agora ou de épocas que o tempo consumiu, desde muito, não nos deixam impassíveis. Os homens não se acham sozinhos na estreita senda de provas salutares em que se confinam.
b) Em cada problema  de socorro, é imprescindível considerar as várias partes em jogo. Em virtude do enigma de obsessão que nos propomos resolver, somos levados a buscar todas as personalidades que compõem o quadro de serviço. Perseguidores e perseguidos entrelaçam-se, em cada processo de auxílio, em grande expressão numérica. Cada espírito é um elo importante em extensa região da corrente humana. Quanto mais crescemos em conhecimentos e aptidões, amor e autoridade, maior é o âmbito de nossas ligações na esfera geral. Almas existem que se vêem sob o interesse de milhões de outras almas. Enquanto os movimentos da vida se estendem, harmoniosos, sob os ascendentes do bem, as dificuldades não chegam a surgir; contudo , quando a perturbação se estabelece, não é fácil desfazer obstáculos porque, em tais circunstâncias é indispensável procedamos com absoluta imparcialidade, dando a cada um quanto lhe caiba. O homem terrestre , mormente nos dias tormentosos, costuma ver somente o “seu lado”, mas, acima da justiça comum, propriamente considerada, outros tribunais mais altos funcionam...
c) Tornaremos, contudo, ao campo da luta regeneradora e benfazeja...Que vale para nós a paisagem celestial sem a libertação daqueles que amamos?
d) O tempo é das mais radiosas dádivas do Senhor e o tempo nos auxiliará.(...)
e) Há cinquenta anos, porém, já consigo aproximar-se dele, ,mentalmente. Recalcitrante e duro , a princípio, Gregório agora experimenta algum tédio, o que constitui uma bênção nos corações infiéis ao Senhor. Já lhe surpreendo no espírito rudimentos de necessária transformação,. Ainda não chora sob o guante do arrependimento benéfico e parece-me longe do remorso salvador; entretanto , já duvida da vitória do mal e abriga interrogações na mente envilecida. Não é tão severo no comando dos espíritos desventurados que lhe seguem as determinações e o colapso de sua resistência não me parece remoto.
f) Na pauta do julgamento humano comum, meu filho espiritual será talvez um monstro...Para mim, contudo, é a jóia primorosa do coração ansioso e enternecido. Penso nele tal qual se houvera perdido a pérola mais linda num mar de lama e tremo de alegria ao considerar que vou reencontrá-lo. Não é paixão doentia que vibra em minhas palavras. É o amor que o Senhor acendeu em nós, desde o princípio. Estamos presos diante de Deus , pelo magnetismo divino, tanto quanto as estrelas que se imantam umas às outras, no império universal. Não encontrarei o céu, sem que os sentimento de Gregório se voltem igualmente para a Eterna Sabedoria. Alimentamo-nos na Criação com os raios de vida imperecível que emitimos uns para com os outros. Como surpreender a perfeita ventura se recebo do filho amado tão somente raios de forças em desvario?
g) Sob o gelo que lhe cristaliza os sentimentos, descansa , inapagada, a chama do amor que nos une para sempre. Disponho, agora, da permissão de fazer-me sentir e acredito que, à face de tua amorosa tarefa, mover-se-lhe-á o espírito endurecido.
h) É provável se verifique o encontro pessoal que almejo há muito tempo, porquanto Gregório virá possivelmente em tua companhia, até a um ponto em que de alguma sorte a manifestação da luz será possibilitada ante as trevas.
i) Há tempo de plantar e tempo de colher, Gregório e eu semearemos de novo. Seremos mãe e filho , outra vez!
j) convence-te de que o serviço nos esclarecerá com a sua linguagem viva.


BIBLIOGRAFIA:
. Leitura completa do capítulo III, do Livro Libertação
. LM(Segunda parte : Capítulos VI e  XXIII)
. LE ( Livro Segundo: Capítulos VI , VIII, IX ; Livro Terceiro: Capítulos VII, XI, Livro quarto: Capítulos I e II)
. ESE( Capítulos III, IV, XXV e XXVII)
. A Gênese (Capítulo XIV, itens 47 e 48)
Conclusão do estudo
  Após ouvir a palestra do Ministro Flácus aos espíritos que se preparavam para os trabalhos intercessórios e de uma instrutiva conversa com o Instrutor Gúbio, André  Luiz nos narra a reunião a que comparecera, juntamente  com  o  Instrutor,  para  tomarem conhecimento da nova tarefa a que se dedicariam, cuja narrativa de seus desdobramentos é objeto da presente obra.
                       QUESTÕES PROPOSTAS PARA ESTUDO
01) O que é obsessão? Como ela se dá? De que forma pode ser evitada? De que forma pode ser combatida?
Podemos  definir  o  fenômeno  da  obsessão  como  a  influência  que  um  espírito, encarnado ou desencarnado, exerce sobre outro, encarnado ou desencarnado, em graus variados, que vão desde a perturbação  até  a  subjugação,  introduzindo-lhe  na  mente, através do pensamento, idéias estranhas, que, geralmente, o levam a sofrimentos físicos ou psíquicos.
Dá-se a obsessão através da sintonia entre os dois espíritos - obsessor e obsediado - por atos e pensamentos da mesma  natureza,  contrários  às  Leis  Naturais.  Trata-se, portanto, de uma via de mão dupla, que não se torna possível sem o consentimento, ainda que involuntário, da parte obsediada.
A receita para evitá-la passa pela moralização do espírito,  de conformidade  com  os ensinamentos de Jesus, através da prece, do amor a Deus e ao próximo,  da  prática  da caridade e de comportamentos saudáveis, como o estudo, por exemplo.

02) O que é intercessão? Como ela se dá?
Intercessão é um trabalho complexo, que consiste na  assistência  espiritual  a encarnados ou desencarnados que se encontrem em situação de sofrimento. Consiste em esclarecer e reequilibrar as forças do espírito que se ache sob perturbação e influência de outros, perseguidores. Objetiva tirá-lo da influência subjugadora dessas forças, mediante o esclarecimento, a indução e a aplicação de passe magnético, dentre outros recursos à disposição da espiritualidade benfeitora. Para obtê-lo, requer-se merecimento, fé e que se rogue através de prece sincera do próprio necessitado ou de algum ente  que  lhe  tenha afinidade e que também o mereça.
03) O que é materialização? Como ela se dá?
Materialização é um fenômeno mediúnico de feitos físicos pelo qual um espírito torna-se visível e tangível a outros de uma diferente faixa vibratória.  Dá-se tanto no plano  da  carne, matéria densa que conhecemos, com espíritos que já a deixaram, como no plano espiritual, cuja matéria não nos é possível conhecer, com espírito que, embora também desencarnado, esteja numa faixa vibratória mais elevada, que não permite ser ele visto e ouvido. É o caso que André Luiz nos narra no capítulo em estudo.
A sua consecução se dá mediante a utilização de fluidos do mundo  em  que  ela  vai ocorrer, doados por seres do local, que servem de médiuns para esse fim (aqui na Terra, esses fluidos denominam-se ectoplasma). As entidades espirituais, que devem  ser  de elevada evolução para estarem habilitadas a tanto, manipulam esses fluidos,  juntamente com os trazidos pelo espírito a ser materializado e com recursos da natureza,   fazendo-o tomar forma visível e tangível.

04) Pode haver no plano espiritual comunicações mediúnicas?
 Sem dúvida que sim e as obras de André Luiz nos trazem vários exemplos. Espíritos de diferentes faixas vibratórias, para se comunicarem, necessitam da intermediação de médiuns.
Foi o que ocorreu no caso narrado no presente capítulo.  Matilde,  entidade  de  elevada hierarquia, para se fazer presente àquela reunião necessitou  que  médiuns  daquela  faixa vibratória doassem energia para sua materialização. Claro que materialização, aqui, deve ser entendida levando-se em consideração a matéria ali reinante, diferente da que conhecemos na Terra.
05) O que são "os doadores de fluidos sublimados"?
São os médiuns que doariam a energia necessária ao processo de materialização das entidades mais elevadas que compareceriam à reunião. Como esclarece o Autor, tratava-se de local destinado à materialização de  entidades  de  maior  elevação,  que,  para  se adequarem à realidade fluídica daquela faixa vibratória, precisavam da doação  de  fluidos locais.
06)  Comente, à luz da Doutrina Espírita, as seguintes passagens e/ou assertivas:
a) " No romance evolutivo e redentor da Humanidade, cada espírito possui capítulo especial.
Ternos e ríspidos laços de amor e ódio, simpatia e repulsão, acarretam-nos reciprocamente.
... Os homens não se acham sozinhos na estreita senda de provas salutares em  que  se confinam."
 O Instrutor Gúbio traça um retrato da humanidade encarnada  e  da  maneira  como  se comporta durante a passagem pelo mundo corporal. Mostra-nos que cada espírito é  um caso particular e tem a sua própria história; que ficamos presos  uns  aos  outros  pelas relações de amor e ódio; que, pelo esquecimento temporário das experiências pregressas, temos a oportunidade da elevação espiritual; que, enquanto vivenciamos esse esquecimento benéfico, os que ficam no plano espiritual, nossos entes queridos de existências pretéritas, continuam atentos, nos acompanhando, prontos a nos auxiliarem nas provas necessárias à nossa evolução.
b) " Em cada problema  de socorro, é imprescindível considerar as várias partes em jogo.
Em virtude do enigma de obsessão que nos propomos resolver, somos levados a buscar todas as personalidades que compõem o  quadro  de  serviço. ...  O homem  terrestre, mormente nos dias tormentosos, costuma ver somente o “seu lado”,  mas,  acima  da justiça comum, propriamente considerada, outros tribunais mais altos funcionam..."
O trabalho de intercessão torna-se complexo porque a situação  a  ser  removida,  em geral, abrange vários seres, cada um com suas características próprias. Obsessores e obsediados compõem uma cadeia humana em que se entrelaçam, cada qual com suas razões, justas ou não. E à medida que o espírito avança em seus padrões intelectuais e morais, aumenta o universo de suas ligações.
Ressalta o Instrutor a necessidade de manter a absoluta imparcialidade nesse tipo de trabalho, para que possa dar a cada um quanto lhe caiba. O homem, principalmente nos momentos de enfrentar as dificuldades que a vida na matéria proporciona, somente vê os seus interesses e as suas necessidades, esquecendo-se de que existe acima de suas forças uma outra, mais justa e que não falha.
c) "Tornaremos, contudo, ao campo da luta regeneradora e benfazeja... Que vale para nós a paisagem celestial sem a libertação daqueles que amamos?"
Matilde, entidade de alta envergadura que intercedeu pelo ex-marido em sofrimento nas regiões umbralinas, anunciou que retornaria à vida material para ajudá-lo a resgatar  os erros do passado, que o levaram à prática de tenebroso crime. Como destacou a benfeitora, não há como gozar uma vida espiritual feliz enquanto os que amamos se encontram ainda presos às conseqüências de equívocos do passado.
d) "O tempo é das mais radiosas dádivas do Senhor e o tempo nos auxiliará.(...)"
Por vezes, o tempo é  um  aliado  fundamental  para  o  trabalho  regenerador  a  ser desenvolvido pelos benfeitores espirituais. Como o mal cansa, espíritos há que, somente após o desgaste causado pelo tempo em que perseveram na prática do mal, conseguem alcançar o despertamento indispensável à sua transformação moral. Por isso o tempo foi considerado uma “... das mais radiosas dádivas do Senhor ... " pela benfeitora.
e) "Há cinqüenta anos, porém, já consigo aproximar-me dele, mentalmente. Recalcitrante e duro , a princípio, Gregório agora experimenta algum tédio, o que constitui uma bênção nos corações infiéis ao Senhor. ...Não é tão severo no comando dos espíritos desventurados que lhe seguem as determinações e o colapso de sua resistência não me parece remoto."
É a confirmação da assertiva acima. Após séculos endurecido  no  mal,  Gregório,  o espírito por quem Matilde intercedia, agora dava sinais de desgaste. Embora ainda não demonstrasse arrependimento, já não estava convencido como antes da supremacia do mal. Como ela afirmava, já não se mostrava tão rigoroso para com  os  infelizes  que  lhes seguiam as ordens quanto em tempos passados. O tédio gerado pela prática ininterrupta do mal começava a lhe afetar e ele já nutria dúvidas em sua mente. Previu a benfeitora que sua capitulação ao bem estava próxima.
f) " Na pauta do julgamento humano comum, meu filho espiritual será talvez um monstro...
Para mim, contudo, é a jóia primorosa  do  coração  ansioso  e  enternecido. ...  Como surpreender a perfeita ventura se recebo do filho amado tão somente raios de forças em desvario?"
É a mais pura demonstração do amor sublime. Embora perante a humanidade Gregório pudesse se assemelhar a um monstro, para ela, que lhe devotava elevado amor, era  uma jóia que se perdera e que desejava recuperar. Como dissera antes, não poderia atingir a perfeita ventura recebendo do ser amado raios de forças em desvarios.
g) " Sob o gelo que lhe cristaliza os sentimentos, descansa, inapagada, a chama do amor que nos une para sempre. Disponho, agora, da permissão de fazer-me sentir e acredito que, à face de tua amorosa tarefa, mover-se-lhe-á o espírito endurecido."
Embora embrutecido pelos sentimentos voltados à prática do mal, uma chama de amor ainda permanecia acesa em Gregório. Era a chama do amor que o unia a Matilde.  Com  o trabalho de desobsessão que seria desenvolvido por Gúbio e André Luiz, Matilde esperava fazer-se sentir ao espírito amado, removendo-o da situação de endurecimento em  que  há séculos se encontrava.
h) " É provável se verifique o encontro pessoal  que  almejo  há  muito  tempo,  porquanto Gregório virá possivelmente em tua companhia, até a um ponto em que de alguma sorte a manifestação da luz será possibilitada ante as trevas."
Pelo convencimento, esperava-se que Gregório pudesse sair da região trevosa em  que se achava para ir,  em companhia dos benfeitores,  a  uma  região  de  alguma  luz,  que permitisse o encontro com Matilde.
i) “Há tempo de plantar e tempo de colher, Gregório e eu semearemos de novo. Seremos mãe e filho, outra vez!"

É uma profissão de fé no futuro. Como a Lei é de ação e reação, “... há tempo de plantar e tempo de colher ... ", como disse a benfeitora. Matilde se preparava para a  semeadura, junto com Gregório, reiniciando a jornada evolutiva  no  mundo  carnal.  Como  mãe  e  filho, tornariam à luta regeneradora. Ela, numa verdadeira missão; ele, em duras provas expiatórias, necessárias ao seu reequilíbrio espiritual.
j) “convence-te de que o serviço nos esclarecerá com a sua linguagem viva."
Ante o desejo de André Luiz obter novos esclarecimentos, o Instrutor recomendou-lhe  o o repouso, aconselhando-o a aguardar o cumprimento da tarefa a que se dedicariam, o que, por si só, servir-lhe-ia de ensinamento, através do exemplo vivo.

Muita paz a todos.

EQUIPE NOSSO LAR

CVDEE