Pesquisar este blog

Páginas

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

OBRAS DE ANDRÉ LUIZ CITAÇÕES POR TEMA 28

OBRAS DE ANDRÉ LUIZ  CITAÇÕES POR TEMA 28

TEMAS TRATADOS

LAR

LEI DE CAUSA E EFEITO

Se temos débito no planeta, por mais alto que ascendamos, é imprescindível voltar, para retificar, lavando o rosto no suor do mundo, desatando algemas de ódio e substituindo-as por laços sagrados de amor. NL-5-38.

A lei invariável. As provas e tarefas sofrem dilatação no tempo, mas serão cumpridas, afinal. Aquilo que não se realiza num século pode efetuar-se em outro. Voltando a Terra, atraímos os acontecimentos agradáveis ou desagradáveis, segundo os títulos de trabalhos que já conquistamos ou conforme as nossas necessidades de redenção. ETC-10-64/66.

Sem qualquer dúvida para nós, que voltamos recentemente da Terra, as províncias infernais, muito mais do que as celestes, são adequadas às nossas pesquisas sobre a lei de causa e efeito, de vez que o crime e a expiação, o desequilíbrio e a dor fazem parte de nossos conhecimentos mais simples na líder cotidiana, ao passo que a glória e os regozijos angélicos representam estados superiores de consciência que nos transcendem a compreensão. (esclarecimentos do instrutor Druso sobre a ação de causa e efeito nos desencarnados). AR-5-59.

O comportamento de cada um de nós, dentro do determinismo relativo, decorrente de nossa própria conduta, pode significar liberação abreviada ou cativeiro maior, agravo ou melhoria em nossa condição de almas endividadas perante a lei. AR-7-92.
Oh! Meu Deus, quanto tempo gastamos para refazer, às vezes, a inconsequência de um simples minuto! (indagação de André Luiz). Você tem razão, André, comentou Silas, generoso -, a lei de ação e reação... A ação do mal pode ser rápida, mas ninguém sabe quanto tempo exigirá o serviço da reação, indispensável ao restabelecimento da harmonia soberana da vida quebrada por nossas atitudes contrária ao bem. (esclarecimento do assistente Silas). AR-9-129.

Quem se retarda por gosto não pode queixar-se de quem avança. A cada um segundo as suas obras, ensinou o Divino Orientador, e ninguém no Universo conseguira fugir à Lei. (esclarecimento do assistente Silas). AR-14-200.

(Ascânio e Lucas já possuíam créditos extensos adquiridos em quase cinco séculos sucessivos de aprendizado digno, somado a cinco existências últimas nos círculos da carne, mas foram conduzidos a uma nova reencarnação para resgatar o crime que praticaram no século XV, quando jogaram do alto de uma fortaleza dois irmãos de armas. Reencarnaram para serem aeronáuticos e terem suas vidas extintas em acidente aéreo). AR-18-244.

(...) Ninguém se eleva a pleno céu, sem plena quitação com a Terra. AR-18-250.
Cada um de nós pune a si mesmo. A justiça eterna funciona no fórum íntimo de cada criatura, determinando que a responsabilidade seja graduada no tamanho do conhecimento. EVC-11-87.

Através da onda mental dos remorsos que lhe ficaram, à face do suposto suicídio de Mancini (Túlio Mancini), você (Evelina Serpa) atraiu para o próprio claustro materno o espírito sofredor de um irmão suicida, sentenciado pela própria consciência a experimentar a provação de um corpo frustrado, de modo a valorizar com mais respeito o divino empréstimo da existência física. (causas do aborto involuntário que Evelina Fantini sofreu). EVC-15-125.
Caio (Caio Serpa) esposará Vera (Vera Fantini) e será o pai de Mancini (Túlio Mancini na existência próxima. Agindo assim, resgatará o débito que lhe é próprio, portanto, havendo subtraído Túlio à vida física (o matado), é obrigado a restituir-lhe esse mesmo patrimônio, segundo os princípios de causas e efeitos. EVC-22-189).


LIBERDADE


Só é verdadeiramente livre que aprende a obedecer. NL-45-249
Relativamente à liberdade irrestrita, a alma pode invocar esse direito somente quando compreender o dever e o pratique. Quanto ao mais, é indispensável reconhecer que o devedor é escravo do compromisso assumido. NL-46-256.
Sendo a liberdade interior apanágio (propriedade característica) de todos os filhos da criação. ML-11-134.


LINCANTROPIA


A sentença foi lavrada por si mesma! Não passa de uma loba, de uma loba, de uma loba... À medida que repetia a afirmação, a mulher, profundamente influenciável, modificava a expressão fisionomia. Entortou-se-lhe a boca, a cerviz curvou-se, espontânea, para frente, os olhos alteram-se, dentro das órbitas. Simiesca expressão revestiu-lhe o rosto. Via-se, patente naquela exibição de poder, o efeito do hipnotismo sobre o corpo perispirítico. (processo de lincantropia, por hipnose, sofrido por uma entidade, na cidade purgatorial de Gregório). LI-5-72.



LINGUAGEM DOS DESENCARNADOS


Tal como na Terra, os que se afinam perfeitamente entre si podem permutar pensamentos, sem as barreiras idiomáticas; mas, de modo geral, não podemos prescindir da forma, no lato sentido da expressão. NL-24-132/133.

(...) Para cada grupo de cinquenta infelizes, as colônias, do Velho Mundo fornecem um enfermeiro-instrutor, com quem nos possamos entender, de modo direto. (referente presença de um enfermeiro em cada grupo de desencanados da 2ª guerra mundial que era conduzido às colônias espirituais, a fim de facilitar a comunicação em função dos vários idiomas falados). OM-18-99.

Incontestavelmente, a linguagem do espírito é, acima de tudo, a imagem que exterioriza de si próprio. EDM-2P-2-171.


LINHAS MORFOLÓGICAS DOS DESENCARNADOS


As linhas morfológicas das entidades desencarnadas são comumente aquelas que trouxeram do mundo. A forma individual em si obedece ao reflexo mental dominante, mantendo-se a criatura com os distintos psicossomáticos de homem ou de mulher, segundo vida íntima, através da qual se mostra com qualidades espirituais acentuadamente ativas ou passivas. EDM-2P-4-176.


LIVRE-ARBÍTRIO


Deus criou o livre-arbítrio, nós criamos a fatalidade. É preciso quebrar, portanto, as algemas que fundimos para nós mesmos. NL-46-256.

(...) Ninguém se pode queixar de forças destruidoras ou de circunstâncias asfixiantes, em se referindo ao círculo onde renasceu. Haverá sempre, dentro de nós, a luz da liberdade íntima indicando-nos a ascensão. A criatura renasce com independência relativa e, por vezes, subordinada as certas condições mais ásperas, em virtude das finalidades educativas, mas semelhante imperativo não suprime, em caso algum, o impulso livre da alma, no sentido de elevação, estacionamento ou queda em situações mais baixas. ML-13-220/227.

(...) Existe um programa de tarefas edificantes a serem cumpridas por aquele que reencarna, onde os dirigentes da alma fixam a cota aproximada de valores eternos que o reencarnante é suscetível de adquirir na existência transitória. E o Espírito que torna à esfera de carne pode melhorar essa cota de valores, ultrapassando a previsão superior, pelo esforço próprio intensivo, ou distanciar-se dela, enterrando-se ainda mais nos débitos para com o próximo, menosprezando as santas oportunidades que lhe foram conferidas. ML-13228.

Quase todos têm do pretérito expressivo montante de débito a resgatar e todos são desafiados pelas aquisições a fazer. Nisso está o programa, significando em si uma espécie de fatalidade relativa no ciclo das experiências que nos cabe atender, entretanto, a conduta é sempre nossa e, dentro dela, podemos gerar circunstâncias em nosso benefício ou em nosso desfavor. ETC-2-14.

A liberdade de escolha, na pauta das leis divinas, é clara e incontestável nos processos da consciência. Ainda mesmo em regime de prisão absoluta, do ponto de vista físico, o homem, no pensamento, é livre para eleger o bem ou o mal para as rotas do espírito. MM-12-95.

O criador exige sejam as criaturas deixadas livres para escolherem o caminho da evolução que melhor lhes pareça. Deus quer que todos os seus filhos tenham a própria individualidade, creiam nele como possam, conservem as inclinações e gostos mais consentâneos com o seu modo de ser, trabalhem como e quanto desejem e habitem onde quiserem. Somente exige e exige com rigor que a justiça seja cumprida e respeitada. A cada um será dado segundo as suas obras. EVC-13-103.


LOUCURA


É inútil supor que a morte física ofereça solução pacífica aos espíritos em extremo desequilíbrio. (...) A loucura, em que se debatem, não procede de simples modificações do cérebro  dimana da desassociação dos centros perispiríticos, e que exige longos períodos de reparação. NMM-11-156.


Quase podemos afirmar que noventa em cem dos casos de loucura, excetuados aqueles que se originam da incursão microbiana sobre a matéria cinzenta, começam nas consequências das faltas graves que praticamos, com a impaciência ou com a tristeza, isto é, por intermédio de atitudes mentais que imprimem deploráveis reflexos ao caminho daqueles que as acolhem e alimentam. NMM-16-213/214.