Pesquisar este blog

Páginas

terça-feira, 28 de abril de 2015

12 - AULAS E DINÂMICAS PARA A JUVENTUDE
1-2

Espírito - Existência e sobrevivência

Prece inicial:

Integração: "Acampamento": todos irão acampar e, para isso, cada jovem levará algo. Quem já conhece a brincadeira diz se o jovem pode ou não levar o que pretende, sendo que o objeto deve começar com a mesma letra do nome de quem leva a coisa. Por exemplo a Luana pode levar uma laranja, mas o Vinícius não pode levar uma lanterna. O evangelizador (e todos que já conhecem a brincadeira) não podem contar a regra (para ter graça o jogo). Cada evangelizando deve descobrir por si só a regra para o que ele pode levar, mesmo que a brincadeira seja feita várias vezes até que ele descubra.

Primeiro momento: dividir os jovens em três grupos iguais. Cada grupo procura na sala de aula pedaços de quebra-cabeças.

Segundo momento: reúnem-se os grupos com todas as peças que encontraram e cada grupo fica com uma cor, para descobrir que palavra forma. São três palavras, que devem ser montadas de acordo com a cor: Mediunidade, Terapia de Vidas Passadas e Ciência.

Terceiro momento: cada grupo deve debater como a sua palavra comprova a existência e sobrevivência do espírito; ou como podemos argumentar, com alguém cético, usando essas palavras, que o nosso espírito sobrevive à morte do corpo físico.

Quarto momento: cada grupo expõe aos demais jovens as idéias e conclusões que chegou.

Quinto momento: leitura de uma psicografia, para que os jovens avaliem a existência e importância do fenômeno mediúnico na Casa Espírita.

Sugestão de texto para distribuir aos jovens

A existência e sobrevivência do espírito

Compreendemos a existência do espírito segundo o princípio: "Todo efeito tem uma causa; e todo efeito inteligente tem uma causa inteligente." Dessa forma, ninguém tem a idéia de atribuir o pensamento ao corpo de um homem morto. Se o homem vivo pensa é, pois, que há nele alguma coisa que não há quando está morto.

Os espíritos são os seres inteligentes da criação. Eles povoam o Universo, além do mundo material. Indestrutíveis e eternos, são independentes da matéria; mas é necessária a união entre espírito e matéria para dar inteligência a esta.

Os seres humanos, enquanto encarnados, somos assim constituídos:

* Corpo Físico(ou ser material): invólucro grosseiro, semelhante ao dos animais e animado pelo mesmo princípio vital;

* Alma (ou ser imaterial): espírito encarnado no corpo, princípio inteligente onde se encontra o senso moral;

* Perispírito(ou laço que une a alma ao corpo): invólucro fluídico, semimaterial, princípio intermediário entre a matéria e o espírito.

... espírito    - - - perispírito   ____ corpo físico

Comprovamos a existência e sobrevivência do espírito através de:

· manifestações mediúnicas: comunicação entre encarnados e desencarnados;

· lembranças de vidas passadas;

· manifestações extra-corpóreas: materializações, transcomunicações.

Também a lei de evolução justifica a sobrevivência do espírito: não se pode conceber um Deus justo e bom, criando seres inteligentes e sensíveis para destiná-los ao nada.

Letícia Müller

Prece de encerramento

Sugestão de leitura: O Livro dos Espíritos,questões 23 a 25 e 76 a 83; A Gênese, capítulo XI, O Livro dos Médiuns, capítulo I.

Existência e Sobrevivência do Espírito

Prece inicial

Objetivo: reconhecer através do trabalho proposto a Existência e Sobrevivência do Espírito.

Sugestão de dinâmica: dar-se-á início à dinâmica, propondo-se o seguinte enigma:

"Dez minutos teremos para justificar que os espíritos existem, se pudermos comprovar. (primeiro parágrafo do enigma)
Procure ao seu redor, procure em todo o lugar. Pois, até quem não procurar, ao acabar o tempo encontrará." (segundo parágrafo do enigma)

Dividir-se-á o grupo em equipes conforme o número de jovens, e serão dados 10 minutos para que procurem as provas.

Observações importantes:

a) Esse tempo pode variar de acordo o horário de que dispõe o evangelizador;

b) Serão aceitas como provas obras psicografadas (que poderão estar dispostas de forma proposital e aleatória pela sala); conhecimentos embasados em casos reais de lembranças de vidas passadas (primeiro parágrafo do enigma) e também exemplo de raciocínio lógico-dedutivo (como por exemplo o que se encontra em A Gênese, cap. XI, item I - "SINO"). Este exemplo é a solução do segundo parágrafo do enigma.

Após o tempo proposto e apresentação das provas, com suas devidas justificativas, debater-se-á com os jovens o tema em questão, tendo-se como base a bibliografia abaixo.

Conclusão: realizar uma atividade com os jovens de forma a incentivar o estudo aprofundado do tema. A atividade consiste em reaproveitar as equipes já formadas e propor-lhes o seguinte: "Cada equipe terá que observar a casa espírita (prédio) de um ângulo".

Exemplo: equipe "A" terá dois minutos para observar a frente da casa, e a equipe "B" terá quatro minutos para observar o lado esquerdo da casa. Tendo feito as devidas observações, os jovens devem retornar ao grande grupo, e serão questionados pelos evangelizadores sobre o que viram e o que não viram.

A conclusão deverá ser que quanto mais tempo dedicamos ao estudo, maior será nossa compreensão, e que o conhecimento parcial oferece apenas uma visão insuficiente do todo. Assim também com relação ao tema proposto na aula - Existência e Sobrevivência do Espírito e, também, no que se refere à Doutrina Espírita: quanto mais sabemos, melhor compreensão possuímos.

Prece de encerramento

Bibliografia: Livro dos Espíritos ( Parte Segunda, cap. I, perguntas 76 a 83 ); Livro dos Médiuns ( Cap. I, item 2 e cap. IV, item 49 );  A Gênese ( Cap. XI ).


Responsabilidade: Grupo Espírita Seara do Mestre
Organização/correção: Claudia Schmidt
Preserve os direitos autorais