Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 27 de abril de 2015

ANEXO 1-5

Terra religião  Pela prioridade do trabalho, acabo sendo deixado de lado, falta tempo para me cultivarem.
Estou tão pequititita! O espaço que sobra no lote do trabalho falta no meu.
Terra família  É preciso equilibrar mais os espaços , dos lotes, tenhamos paciência que com o trabalho e amor, todos nós produziremos bons frutos em breve.

A CENA VOLTA PARA O ENTREVISTADO

Terra  - Está vendo ?  Somente obedecendo às necessidades específicas do seu terreno, poderemos alcançar o equilíbrio necessário para produzirmos bem.
Repórter  Obrigada dr. Terra  e um bom dia ...

SUGESTÃO PARA TRABALHAR NO GFE:
1- Refletir sobre qual a nossa terra  íntima , como ela está dividida, quais os campos em que está dividida.
2- Lembrá-los dos diferentes tipos de Terra  da atividade anterior ( família, trabalho e etc... )
3- Como você tem cuidado de cada parte ?
4- Trabalhar os diferentes estados das terras (níveis de consciência )

ANEXO 2-B

O Prazer de Servir
Era uma vez uma bananeira muito bonita que crescia e dava belos frutos. Ao seu lado crescia um pé de espinhos muito mas humorado.
A bananeira trabalhava na fabricação dos frutos. O pé de espinhos reclamava e punha defeito em tudo.
Passaram-se os dias e os frutos da bananeira cresceram. Formaram um belo cacho amarelo. Uns meninos que por ali passavam viram as frutas. Logo pegaram algumas e continuaram o caminho comendo as deliciosas bananas.
Então o espinheiro. Fazendo a cara mais feia que tinha, falou:
- Tenho pena de você. Como se aproveitam de sua mansidão: Os insetos roem seu caule, os pássaros e as abelhas tiram o nectar de suas flores, os homens arrancam suas frutas. Depois, quando você fica velha, a derrubam sem dó.
A bananeira que ouvia tudo calada, respondeu:
- Pois eu me sinto feliz. Alimento os insetos e os passarinhos, com o néctar de minhas flores, as abelhas fabricam o mel, minhas frutas são nutritivas, e se me derrubam é porque no meu lugar ficará outra árvore para continuar o meu trabalho. Sinto prazer em servir.
E a bananeira concluiu, dizendo:
- Em troca, ninguém gosta de você. Que adianta viver tranqüilo e inútil?

E.C.C.  São Fidelis
 Ricardo e Ana Lúcia

ANEXO  2-C

1- Escultura de nós mesmos - Sensibilizar o grupo para a grandeza da vida.
2- Material  necessário : argila e uma venda para os olhos  de cada participantes
            (os coordenadores deverão ficar por perto )
3- Os coordenadores pedem para dividirem-se em  grupos de cinco
4- Cada grupo terá um coordenador para ajudá-los a vendarem seus olhos , e entrega-lhes um pouco de argila;
5- Com um fundo musical suave, O COORDENADOR que orientará a tarefa pedirá que concentrem-se no texto que será lido e modelem a argila que receberam como melhor desejarem.
6- O COORDENADOR faz a leitura do texto, pausadamente, dando tempo aos participantes para a modelagem, durante a leitura.

TEXTO:   VIAGEM RUMO À LUZ
Imagine uma gaiola e dentro dela um lindo pássaro a cantar! .... Quanta luz... Veja! A gaiola está se abrindo lentamente... O Divino Pai consola o passarinho, dando-lhe a tão esperada liberdade... E ele voa.. voa... Vá com ele ! ... Sinta-se no ar.. leve.. livre.. Suba cada vez mais alto .. Isto ! Contemple agora o céu.. possam os seus olhos estenderem-se ao infinito... Veja agora a sua frente uma  porta: entre ... ! Você acaba de adentrar num admirável mundo.. . totalmente novo e bonito.. Olhe quantas maravilhas ...  Como crescem os lírios no campo ... Como a água é cristalina ... Como o amor é belo ... ! Sinta que tudo o que se move no Universo é obra de Deus e Ele a nada  desampara. Você ... é filho de Deus. E está sendo perpetuamente consolado.. Suba um pouco mais... Aproxime-se de DEUS ... Diante de tanta luz agradeça ao Criador.. Que brilhe a vossa luz diante dos homens.. Olhe para cima! O seu irmão pássaro se prepara para retornar... Desça com ele.. devagarinho .. devagarinho ... Olhando tudo o que há de bom e
Belo pelo caminho ... Veja ! Lá está a Terra ! ... O único globo azul de nosso  sistema.. Perceba  que o hálito Divino a envolve .. Abençoe  este orbe e toda a vida reinante.. Encontre em tudo a misericórdia do Pai.. Olhe os quadros que lá se
Desenrolam .. não é só prova e expiação, são espíritos em redenção.. Desça.. desça.... O passarinho já perde vôo..
Ele pára ... e pousa em cima de um galho de uma grande árvore. Ele está livre agora, aprendeu  a reconhecer  a infinita bondade do Pai e a usar  muito bem a sua liberdade. Ele vem nos ajudar. Que bom que você voltou!
Todos nós precisamos muito de você.  
7- Findo o texto , cantaremos uma música ( Jovem mergulha no teu coração e verá o manhã a surgir das tuas mãos) ,
enquanto os coordenadores desvendam os olhos de cada participante e orienta o grupo para observar o que produziram .
8- Todos cantarão a música enquanto trabalham mais um pouco a sua escultura;
9-  Todos pegarão suas molduras e a levarão para o GFE

ANEXO 2-D

1- Todos  receberão um pedaço de papel para montarem/decorarem um barquinho e colocá-lo em uma piscina, neste barquinho colocaremos 3 sonhos escritos em outros pedacinhos de papel, depois todos deverão escolher fotos de barcos que estarão espalhadas sobre a mesa e deverão guardá-los muito bem guardado pois com eles poderão chegar mais rápido aos seus sonhos,  ( teremos três fotos iguais de cada barco para formarem, mais tarde, grupos de três ).
Depois disto serão convidados a fazerem uma viagem por um corredor  / labirinto de frases e fotos que falem sobre o amor, a dedicação aos  sonhos/ metas e conquistas , colocaremos aparelhos de som e head phones  com músicas escolhidas - onde os jovens ouvirão músicas ou sons de mar, chuva, tempestade , natureza , pássaros ...
(alguns coordenadores ficarão apostos para organiza-las ), e ao final do corredor encontrarão o quadro do Washington / Os lavradores  com a frase: O que faço de especial ? e se sentarão em frente deste para observá-lo enquanto todos estão chegando . Quando todos estiverem juntos pediremos para que procurem os pares de seus barquinhos e que falem do que viram e ouviram e o que acharam importante  Após 10 min. Convidaremos a todos para assistirem  trechos de filmes como : 1492  A conquista do paraíso  com Gerard Depardieu  falando dos grandes sonhos, das conquista e  sua beleza  e  dificuldades -  O Doutor da alegria  falando da necessidade do dos sonhos do entusiasmo e alegria de viver. Entrevistas rápidas de trabalhos assistências que já estão sendo desenvolvidos em nossa comunidade e a alegria daqueles que os desenvolvem  : Lar de Meimei, Abrigo Amor  Jesus , e outros campos de atividades como: música , teatro, pesquisas e etc... ( neste momento poderemos usar o telão - 20 minutos no máximo ) Histórias de alguns espíritas.
2- Depois destas apresentações um coordenador chegará e perguntará se lembram de seus sonhos que estão lá em seus barquinhos e perguntará : Vocês já se perguntaram que gosto têm  seus sonhos ? e aí novamente os jovens se        levantarão  percorrerão o labirinto/corredor  encontrando agora  sonhos com frases espetadas nos bolinhos e serão avisados de que só poderão escolher uma frase e comer um bolinho. (atrás de cada frase escreveremos frases do tipo: não importa  o campo/ terra que escolheu para agir , faça  sempre o seu melhor e nunca esqueça de atender bem ao seu próximo ! ) Os jovens deverão guardar suas frases e barcos .
3- Depois disto se sentarão e ouvirão uma história sobre um concurso de pintura
Certa vez, houve um concurso de pintura e o primeiro lugar seria o quadro que melhor representasse a paz.
Ficaram, dentre muitos, três finalistas igualmente empatados.
O primeiro retratava uma imensa pastagem com lindas flores e borboletas que bailavam no ar acariciadas por uma brisa suave.
O segundo mostrava pássaro a voar sob nuvens brancas como a neve em meio ao azul anil do céu.
O terceiro mostrava um grande rochedo sendo açoitado pela violência das ondas do mar em meio a uma tempestade estrondosa e cheia de relâmpagos.
Mas para a surpresa e espanto dos finalistas, o escolhido foi o terceiro quadro, o que retratava a violência das ondas contra o rochedo.
Indignados, os dois pintores que não foram escolhidos, questionaram o juiz que deu o voto de desempate:
- Como esse quadro tão violento pode representar a paz, Sr. Juiz?