Pesquisar este blog

Páginas

sexta-feira, 24 de abril de 2015

ANEXO 1-4
Após a apresentação da biografia de Kardec, todos serão convidados a se dirigirem para a Sala 2 , ( Ante sala )
onde encontrarão uma personagem , caracterizada de Kardec em uma mesa (a meia luz de um abajur com um cabide com  chapéu e roupas ) isto  para que  possam  observar somente aquela parte da sala .
Livre-arbítrio :   Estamos na França em 24 de março de 1856 o Professor está em sua casa a escrever sobre os espíritos e suas manifestações, quando ouve de súbito , pancadas estranhas. O professor mora no segundo andar de um prédio a Rua do Mártires nº 08 .
Kardec :  O  professor levanta-se e examina ambos os lados da parede , mas nada descobre.
Exclama : Estranho , não vejo nada , e  toda a vez que retorno a escrever os ruídos recomeçam.
Consciência : As 10:00 da noite Ameli  Boudê , sua esposa, retorna para casa após reunião em casa de família amiga.
Amelie : Que batidas são essas ?
Kardec : Não sei ... Isso dura já a uma hora. Acho que está na hora de irmos dormir .
Amelie: Sim, vamos ..  ( e saem pela porta da plenária , Kardec  troca de casaco e Amelie de vestido )
Livre-arbítrio : As batidas só pararam quando o professor foi dormir.
Consciência : No dia seguinte com a seção das meninas de Boudã  perguntou: (entra um personagem e acende  um abajur em uma mesa do outro lado da sala e pessoas  estão chegando para uma reunião e entre elas Kardec e Amelie  entram fazem a prece e Kardec inicia a reunião perguntando.  )
Kardec:  Meu  espírito familiar  quem quer que tu sejas agradeço por Ter vindo visitar-me . Consentir-ár-me  dizer  quem eis  ?
Espírito : de Verdade ( voz  em  off  do CD  para ti chamarme-ei a Verdade.
E todos os meses aqui , durante um quarto de hora e estarei a tua disposição.
Kardec : Ontem quando batestes , estando eu a trabalhar , tinhas alguma coisa de particular a dizer-me ?
Espírito de Verdade : O que eu tinha a dizer-te era sobre  o trabalho que te aplicavas. Desagradável me prescrevias
Quis fazer  com que o abandonasses.
Kardec : a tua desaprovação era referente ao  capítulo que eu escrevia ou ao conjunto do trabalho  ?
Espírito de verdade :  Ao capítulo de ontem . Submeto-o ao teu julgamento, se o releres reconhecerás  tuas faltas e as corrigirás .
Kardec : Eu mesmo não  me senti satisfeito com este capítulo. Eu o refiz hoje . Está melhor ?
E. Verdade :  Está melhor mas ainda não satisfaz, relendo a trigésima-terceira linha e com grave erro depararás .
Kardec: Rasguei o que escrevera ontem.
E. Verdade : Não importa . Isso não impediu que a falta continuasse. Relê e verás.
(Kardec agradece , alguém faz a prece final e  apaga-se a luz do abajur daquela mesa e  uma nova luz aparece para que a consciência  retorne falando)
Consciência: Regressando a casa o professou examinou o capítulo e espantoso Ter cometido na trigésima linha um erro grave. Mas ficou satisfeito, tinha certeza que agora, todos os seus escritos eram analisados ,frases por frase, pela espiritualidade superior . Não sendo assim uma obra de um homem somente.
A ele teriam confiado a grande tarefa de codificar o pensamento dos espíritos na companhia do espírito de verdade.
Todas as luzes se acendem naquela sala e um condutor chega gritando..... e nos portais do corredor teremos decoração de estações de trem  com os nomes das mesmas  : BEM VINDOS  A:
 1º REVELAÇÃO  ... 2º REVELAÇÃO  ....    3º REVELAÇÃO
Senhores passageiros da estação de embarque  CAFARNAUM , após  2 grandes excursões para a evangelização da Humanidade , o Expresso de Luz vem realizando sua 3ºviagem, a viagem da 3º revelação. A partir deste momento, iremos conhecer  alguns pontos desta viagem , peguem seus assentos e prestem bem atenção nas   estações  de parada
Que teremos a seguir.  Boa Viagem ... APITO DE TREM  - SOM DE SAÍDA
Ao passarmos pela  1º  porta  que da  para o refeitório , teremos um novo APITO de PARADA . E um grito do maquinista  -  ESTAÇÃO  1º REVELAÇÃO  qual o nome do passageiro  Senhor ?
Alguém caracterizado de  Moisés !  Grita ...  Moisés  ( poderá se falar mais algumas coisas sobre sua missão ou características pessoais lugar de origem, família etc.. )
Grita o maquinista :  Seja bem vindo senhor Moisés  !  Todos a bordo !Toca o APITO...
Vamos continuar a viagem ...   prestem bem atenção nas estações  de parada !
Subindo o corredor / saindo do corredor da cozinha : Novo  APITO  - E um grito do maquinista  -
ESTAÇÃO  2º REVELAÇÃO  qual o nome do passageiro  Senhor ?
Alguém caracterizado de  Pedro :   Grita ... Pedro  ( poderá se falar mais algumas coisas sobre sua missão ou características pessoais lugar de origem, família etc.. )
 Grita o maquinista :  Seja bem vindo a bordo senhor Pedro -  Todos a bordo !  Toca o APITO...
Vamos continuar a viagem ...   prestem bem atenção nas estações  de parada !

Subindo as escadas  chegaremos na lavanderia e ouviremos outro APITO de PARADA . E um grito do maquinista  -
 ESTAÇÃO 3º REVELAÇÃO  qual o nome do passageiro  Senhor ?
Alguém  grita... Hippolity Leon Dennizard  Rival - Conhecido como Kardec   -
Grita o maquinista :  Seja bem vindo a bordo senhor Kardec -  Todos a bordo!  Toca o APITO...
Vamos continuar a viagem ...   prestem bem atenção nas estações  de parada ! Ao chegarem
Próximo ao local da apresentação o maquinista dirá :
Após mais de 200 anos em sua 3º viagem , o trem da evangelização, O expresso de Luz, se aproxima  da estação Cafarnaum , Todos aqueles passageiros que aguardam a chegada da composição à estação preparem-se, pois, deverão desembarcar  em breve! Todos farão parte desta história, pois, como espíritas são também passageiros desta viagem, rumo ao futuro.....
Consciência e Livre-arbítrio iniciarão a peça de Kardec, Moisés e Pedro...
ANEXO 2-A
TELECOM  RURAL
Âncora  1  Bom dia, estamos iniciando mais um Telecom, edição especial.
Âncora  2 -  E na manhã de hoje, iremos continuar a entrevista com o agrônomo José  Terra;
Âncora  1 -  Então vamos agora com a repórter  Patrícia Pitanga, é com você Pitanga.
Repórter  -   Bom dia , estou aqui novamente, com o Dr. Terra , para continuarmos a nossa entrevista.
José Terra  - Bom dia Pitanga , Bom dia a todos.
Repórter -  Dr. Terra , ontem o senhor nos esclareceu a respeito do que é necessário para a semente desabrochar, gostaríamos de saber quais são as maiores dificuldades encontradas para a realização desse processo e quais as ferramentas necessárias para superá-las?
Terra  Ontem todos perceberam que para que a semente se torne naquele brotinho, foram necessários: boa terra, luz , água, e outros elementos fundamentais. Mas devemos estar prontos e atentos às ervas daninhas da preguiça, da incompreensão e da rebeldia, e saber usar as ferramentas sempre que for necessário a enxada do amor, o arado da perseverança e o ancinho da união.
Repórter  Então é só isso Dr.?  Todas as terras podem ser tratadas assim? Já estou animada.
Terra : Não é bem assim, é necessário que cada um analise muito bem o seu terreno, somente dessa forma, somente assim, saberá reconhecer as suas maiores necessidades, para então utilizar recursos apropriados, trabalhando adequadamente cada lote do seu terreno. Observe Pitanga esse terreno. ( focalizar o quadro os lavradores ) Alguns lotes foram bem trabalhados , outros demandam grandes esforços. ( com uma lupa ) mostrar um pedaço do terreno que não foi trabalhado.
Repórter : É mesmo. Como pode um terreno Ter tantas diferenças?
A CENA SE PARALISA E SÃO FACALIZADAS A S TERRAS QUE CONVERSAM ENTRE SÍ.
Terra família :  ( mais satisfeita, com um bem espaço na terra. Espaço medido pelos abraços abertos )  -
Ô trabalho ! Você não acha que está ocupando espaço não? Olha a religião como está  apertada coitadinha, daqui a pouco você vai querer invadir meu lote também.
Terra religião : É mesmo , aqui no cantinho quase esquecidinha...
Terra trabalho  Pôxa gente, desculpa , eu sei  que estou tomando muito espaço, neste terreno, mas eu estou tão exausto, que nem estou agüentando mais esta rotina, mas o que eu posso fazer?

Terra Amigos  E u não tenho o que reclamar, fui regada com muita simpatia, e já começo a dar bons frutos.