Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 20 de abril de 2015


Objetivos da Educação Espírita na Infância
"Educação é aquela em que se procura organizar a personalidade do educando de modo coerente com os princípios de amor e igualdade. No caso especial da Doutrina Espírita, esses princípios são dilatados pelo conhecimento da lei de causa e efeito e da reencarnação. Podemos assim resumir o trabalho do educador em três objetivos principais:
1 - Transmissão de conhecimento doutrinário
Atendemos a esse objetivo quando:
a) respeitamos as características e limitações de cada fase da infância, tipos de raciocínio, capacidade de atenção dirigida, interesse das idades;
b) respeitamos a necessidade de concretização na infância, utilizando-nos de recursos audiovisuais para o ensino;
c) não forcamos a compreensão de conceitos abstratos em crianças incapazes de raciocínios lógicos ou abstrações. O valor de tais conhecimentos não se faz sentir pelo seu conteúdo informativo e, sim, pelo seu aspecto formativo.
2 - Socialização
Isto é, preparação para o convívio social, em moldes de fraternidade e solidariedade. Para tal, devemos formar grupos de trabalho, de jogos, de excursões, onde a criança verá e viverá fraternalmente, satisfazendo a necessidade de fazer parte de um grupo (instinto gregário). Muito auxiliará a socialização da criança contar com padrões de identificação que podem ser a figura materna ou paterna, a figura dos educadores e a figura de Jesus em função de sua bondade e do seu ideal de servir ao próximo.
3 - Formação de sentimentos e ideais:
É o mais importante dos nossos forca, a serviço da própria evolução. A natureza não dá objetivos. Para tal precisamos analisar o nosso conceito de educação. Educar não é formar crianças iguais a um modelo ideal para nós (conceito antigo da criança sendo um homem em miniatura). Educar é desenvolver as capacidades de cada uma, respeitando-se as diferenças individuais; é educar a consciência de forma que ela possa ditar os atos e formar uma escala de valores preparando-se para as opções, no decorrer da vida; é disciplinar a vontade para que ela se torna uma poderosa saltos. A educação espirita não fará "milagres de santificação" inesperada, mas poderá fornecer o esclarecimento e o apoio necessários para se iniciar as grandes reformas morais.
A medida certa para avaliarmos a eficiência do trabalho educativo é a melhoria e o progresso que cada um fará de acordo com suas possibilidades espirituais, embora não atinjam a estágios iguais.
Relembremos, aqui, a Parábola do Semeador, os meios e objetivos da educação espirita na infância.
O educador desempenha o papel do semeador. E ele deve sair a semear a boa técnica com tranqüilidade, com segurança, preparando os terrenos das almas infantis.
O conhecimento doutrinário servirá de precioso adubo. E a Centelha divina, em forma de vida, residindo no interior de cada semente, desabrochará e far-se-á visível na qualidade de seus frutos, de acordo com as possibilidades de cada terra.(...) "
Departamento de Educação Espírita Infantil - USE
Regional e intermunicipal de S.J. Rio Preto - SP