Pesquisar este blog

Páginas

quinta-feira, 9 de abril de 2015

A VIDA DE CRISTO - NOVA VERSÃO

       ** Reportagem exibida no programa Fantástico (rede globo), em 20/04/95 **

        Vem da França uma nova versão da vida de Cristo, resultado de 30 anos de pesquisas do historiador francês, católico praticante, de 65 anos, que estudou 116 livros, dezenas de documentos, a Bíblia e os Evangelhos.
        Diz ele: "não estamos em 1995 d.C., pois Ele (o Cristo) nasceu há mais de 2000 anos; veio ao mundo em casa, sem a visita dos reis magos; José e Maria tiveram outros filhos. Eródes nunca massacrou criancinhas. Jesus tinha quase 40 anos quando morreu. Foi crucificado porque contrariava interesses econômicos. Não existe o pecado original".
        O autor afirma que o Vaticano tem acesso às mesmas fontes que ele usou para chegar a esta revisão dos Evangelhos. Ele já vendeu 300.000 exemplares de seu livro "Jesus" lançado há  5 meses. Seu nome: Jacques Duquene. Afirma Duquene que com a fundação do Estado de Israel, historiadores trouxeram novas informações sobre a vida de Jesus.
        Ele acha que Jesus nasceu 6 anos antes da data que temos como certa. Quando Jesus nasceu Eródes estava vivo, e Eródes morreu no ano 4 a.C..
        Eródes não mandou matar crianças com menos de 2 anos. O massacre dos inocentes  é um símbolo, não aconteceu. Não há  nenhuma referência histórica ao massacre. Mesmo os historiadores que detestam Eródes não falam em massacre.
        A estrela de Belém brilhava no céu quando Jesus nasceu. No ano -6 (ou 6 a.C.) houve a conjunção dos planetas Júpiter e Saturno.
        A estória dos reis magos  inveross¡mil. Acredito que jamais existiram.
Eles não eram reis e sim astrólogos e os reis magos vieram mais tarde, se vieram.
        O autor recorre principalmente aos próprios Evangelhos para fundamentar as suas conclusões: Lucas diz que os pais de Jesus moravam em Nazaré e foram a Belém para o nascimento. Mateus diz que eles já  moravam em Belém. E há  a questão da virgindade de Maria - São Paulo diz que Jesus nasceu de uma mulher e não de uma virgem. Nunca teremos evidências históricas da virgindade de Maria. É provável que tenha tido outros filhos. Em uma carta escrita antes de fazer o seu Evangelho, Paulo fala de um encontro com um irmão de Jesus. É provável que Cristo tenha irmãos judeus ou palestinos.
        Não há  nada, do ponto de vista histórico, que fale da vida de Jesus com suas relações sexuais ou suas necessidades fisiológicas, etc.
        As evidências históricas contrariam o mito de Pôncio Pilatos, que não era um romano meio bobo lavando as mãos. Pilatos era muito violento, muito duro e o processo contra Jesus foi cheio de irregularidades jurídicas. O episódio de Barrabás não ocorreu. Não há  registros históricos do costume de perdoar presos uma vez por ano.
        Cristo não foi condenado à morte na cruz por motivos religiosos. Em Jerusalém os grandes sacerdotes formavam uma máfia. Elas controlavam o câmbio de dinheiro romano, impuro, pelo dinheiro do templo, pretensamente puro. A maior fonte de renda dos sacerdotes era a venda de animais para sacrifício. Jesus
chega a Jerusalém e diz: "chega de sacrifícios" ameaçando o poder econômico do templo.
        O autor diz que não há  provas, mas indícios históricos, de que a ressurreição tenha ocorrido, pois foram as mulheres que deram a notícia e a tumba estava vazia. Se fosse uma orquestração, as mulheres não seriam escolhidas como porta-vozes, pois não tinham credibilidade na sociedade da época.
        Na última ceia, qualquer um de seus discípulos poderia ter traído Jesus. Pedro o negou por três vezes durante a paixão. Após a ressurreição, estes mesmos discípulos de forma frágil se transformaram em super-homens e são capazes de mudar o mundo.
        Até hoje não assimilamos o Cristianismo e ainda não somos cristãos, pois Jesus nunca falou de pecado original. Todos os ensinamentos do Cristo são contrários à idéia do pecado original. A idéia de que meu neto ser  punido por algo feito no início da história da humanidade  algo que cria uma culpa coletiva, escandaloso e anti - cristão.
        Jesus veio dizer quem  Deus - Deus  o Pai do Filho Pródigo, não castiga ou adverte, ao contrário, diz: "você voltou, vamos fazer a festa..."Deus perdoa 77 vezes 77 vezes, isto é para todo o sempre e quando Jesus diz "Arrependei-vos" não os ordena o martírio ou a auto - flagelação; quando Ele diz "Arrependei-vos" quer dizer "MUDEM DE VIDA".

***** FIM - JRBC FEV/1995 *****
A VIDA DE CRISTO - NOVA VERSÃO

       ** Reportagem exibida no programa Fantástico (rede globo), em 20/04/95 **

        Vem da França uma nova versão da vida de Cristo, resultado de 30 anos de pesquisas do historiador francês, católico praticante, de 65 anos, que estudou 116 livros, dezenas de documentos, a Bíblia e os Evangelhos.
        Diz ele: "não estamos em 1995 d.C., pois Ele (o Cristo) nasceu há mais de 2000 anos; veio ao mundo em casa, sem a visita dos reis magos; José e Maria tiveram outros filhos. Eródes nunca massacrou criancinhas. Jesus tinha quase 40 anos quando morreu. Foi crucificado porque contrariava interesses econômicos. Não existe o pecado original".
        O autor afirma que o Vaticano tem acesso às mesmas fontes que ele usou para chegar a esta revisão dos Evangelhos. Ele já vendeu 300.000 exemplares de seu livro "Jesus" lançado há  5 meses. Seu nome: Jacques Duquene. Afirma Duquene que com a fundação do Estado de Israel, historiadores trouxeram novas informações sobre a vida de Jesus.
        Ele acha que Jesus nasceu 6 anos antes da data que temos como certa. Quando Jesus nasceu Eródes estava vivo, e Eródes morreu no ano 4 a.C..
        Eródes não mandou matar crianças com menos de 2 anos. O massacre dos inocentes  é um símbolo, não aconteceu. Não há  nenhuma referência histórica ao massacre. Mesmo os historiadores que detestam Eródes não falam em massacre.
        A estrela de Belém brilhava no céu quando Jesus nasceu. No ano -6 (ou 6 a.C.) houve a conjunção dos planetas Júpiter e Saturno.
        A estória dos reis magos  inveross¡mil. Acredito que jamais existiram.
Eles não eram reis e sim astrólogos e os reis magos vieram mais tarde, se vieram.
        O autor recorre principalmente aos próprios Evangelhos para fundamentar as suas conclusões: Lucas diz que os pais de Jesus moravam em Nazaré e foram a Belém para o nascimento. Mateus diz que eles já  moravam em Belém. E há  a questão da virgindade de Maria - São Paulo diz que Jesus nasceu de uma mulher e não de uma virgem. Nunca teremos evidências históricas da virgindade de Maria. É provável que tenha tido outros filhos. Em uma carta escrita antes de fazer o seu Evangelho, Paulo fala de um encontro com um irmão de Jesus. É provável que Cristo tenha irmãos judeus ou palestinos.
        Não há  nada, do ponto de vista histórico, que fale da vida de Jesus com suas relações sexuais ou suas necessidades fisiológicas, etc.
        As evidências históricas contrariam o mito de Pôncio Pilatos, que não era um romano meio bobo lavando as mãos. Pilatos era muito violento, muito duro e o processo contra Jesus foi cheio de irregularidades jurídicas. O episódio de Barrabás não ocorreu. Não há  registros históricos do costume de perdoar presos uma vez por ano.
        Cristo não foi condenado à morte na cruz por motivos religiosos. Em Jerusalém os grandes sacerdotes formavam uma máfia. Elas controlavam o câmbio de dinheiro romano, impuro, pelo dinheiro do templo, pretensamente puro. A maior fonte de renda dos sacerdotes era a venda de animais para sacrifício. Jesus
chega a Jerusalém e diz: "chega de sacrifícios" ameaçando o poder econômico do templo.
        O autor diz que não há  provas, mas indícios históricos, de que a ressurreição tenha ocorrido, pois foram as mulheres que deram a notícia e a tumba estava vazia. Se fosse uma orquestração, as mulheres não seriam escolhidas como porta-vozes, pois não tinham credibilidade na sociedade da época.
        Na última ceia, qualquer um de seus discípulos poderia ter traído Jesus. Pedro o negou por três vezes durante a paixão. Após a ressurreição, estes mesmos discípulos de forma frágil se transformaram em super-homens e são capazes de mudar o mundo.
        Até hoje não assimilamos o Cristianismo e ainda não somos cristãos, pois Jesus nunca falou de pecado original. Todos os ensinamentos do Cristo são contrários à idéia do pecado original. A idéia de que meu neto ser  punido por algo feito no início da história da humanidade  algo que cria uma culpa coletiva, escandaloso e anti - cristão.
        Jesus veio dizer quem  Deus - Deus  o Pai do Filho Pródigo, não castiga ou adverte, ao contrário, diz: "você voltou, vamos fazer a festa..."Deus perdoa 77 vezes 77 vezes, isto é para todo o sempre e quando Jesus diz "Arrependei-vos" não os ordena o martírio ou a auto - flagelação; quando Ele diz "Arrependei-vos" quer dizer "MUDEM DE VIDA".

***** FIM - JRBC FEV/1995 *****