Pesquisar este blog

Páginas

terça-feira, 28 de abril de 2015

13 - CENTRO DE ORIENTAÇÃO
E
EDUCAÇÃO MEDIÚNICA

4-30

CURSO DE ORIENTAÇÃO E EDUCAÇÃO MEDIÚNICA  COEM II

SOCIEDADE ESPÍRITA

2a. PARTE - RESUMOS DAS UNIDADES

UNIDADE TEÓRICA 04 - COMUNICAÇÃ0 COM OS ESPÍRITOS

ROTEIRO

RÁPIDO HISTÓRICO DA MEDIUNIDADE

MECANISMOS E CONDIÇÕES DE COMUNICAÇÃO EAM: LM; NI; DC; HE; R

TIPOS MAIS COMUNS DE MEDIUNIDADE

RÁPIDO HISTÓRICO DA MEDIUNIDADE

Os Vedas, há 4.000 anos passados já noticiavam a mediunidade através de seus escritos religiosos. Na Índia, na

Pérsia, no Egito, na Grécia e em Roma, a mediunidade sempre foi utilizada como meio de dominação e poder, por seu caráter considerado sobrenatural.

Na Bíblia vários fatos mediúnicos são relatados, como a própria conversa de Moisés com deus (para o Espiritismo seria a manifestação de um espírito de alto grau de elevação na hierarquia evolutiva natural).

O povo Hebreu o fazia com tal freqüência e de forma tão abusiva que o próprio Moisés se viu obrigado a proibir tais manifestações.

Zaratrusta (Zoroastro), no século VI antes de Cristo, se comunicava com Mazda(Deus)na organização de sua doutrina, o Zoroastrismo, hoje Masdeísmo.

No Novo Testamento, Jesus se transfigura na frente de Pedro, Tiago e João e conversa com Moisés e Elias. A mediunidade de cura que Jesus apresenta diversas vezes. Os processos obsessivos que o mesmo Jesus desfaz por imposição de sua vontade. Tantas são as evidências, que seria cansativo enumerá-las.

Mais recentemente, na primeira metade do século XVIII, um sueco de nome Emanuel Swedenborg, homem de grande cultura, trazia consigo uma capacidade mediúnica muito grande, principalmente a vidência à distância.

Fato importantíssimo registrado, foi aquele que, estando em Gothenburg, observou e descreveu um incêndio em Estocolmo, a 500 km de distância, com perfeita exatidão.

O caso foi muito estudado, inclusive pelo filósofo Kant, seu contemporâneo.
Swedenborg é um marco na história da Mediunidade e um predecessor do ESPIRITISMO.

No século XIX fato marcante foi registrado na comunidade dos Shakers, nos EUA: manifestações de Espíritos de Índios Pele Vermelha. F. W. Evans, membro da comunidade, homem de notável inteligência, fez um relato minucioso e interessante de todo esse assunto, que pode ser encontrado no New York Daily Graphic, de 24 de novembro de 1.874.

Mas o fato mais marcante, que maior repercussão teve e ao qual é atribuído o início do interesse do mundo moderno pela mediunidade, foi o ocorrido em Hydesville, USA, em 1848. Na casa da família Fox ocorreram fenômenos físicos, com barulhos e batidas, que resultaram numa conversação por código (de batidas) com o Espírito de um homem que fora assassinado naquela casa. Isso repercutiu e foi muito estudado.

As mesas girantes, que na Europa tornaram-se uma coqueluche da sociedade, popularizaram-se após os acontecimentos de Hydesville, mundialmente conhecidos.

De simples brincadeira passaram a ser observadas por pessoas sérias que buscavam as causas desse acontecimento. Pesquisadores de renome passaram a analisar cuidadosamente esse fenômeno o que permitiu chegarem a conceituações, que levaram ao desenvolvimento da Doutrina Espírita

MECANISMOS E CONDIÇÕES

A mediunidade propiciou a comunicação com os Espíritos, através de FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS (aqueles que afetam os sentidos) ou de FENÔMENOS DE EFEITOS INTELIGENTES (aqueles que necessitam da análise da razão, da lógica e da inteligência para serem percebidos).

Para que a comunicação mediúnica ocorra é necessário existir um encarnado (médium) que possua o potencial para tal, um Espírito que queira e possa comunicar-se e condições para que a comunicação se estabeleça.

As principais condições para que a comunicação com os Espíritos ocorra são:

* predisposição do médium e do Espírito para tal:

* afinidade e sintonia vibratória entre médium e Espírito;

* condições favoráveis no ambiente da comunicação, vibratórias e energéticas.

TIPOS MAIS COMUNS DE MEDIUNIDADE

Os tipos mais comuns de mediunidade podem ser classificados dentro de dois grandes grupos de fenômenos:

1. Fenômenos de efeitos materiais, físicos ou objetivos

2. Fenômenos de efeitos intelectuais ou subjetivos

Os primeiros são aqueles que sensibilizam diretamente os órgãos dos sentidos materiais dos observadores. Podem se apresentar sob variadas formas, como:


* Materialização. É talvez o fenômeno de maior importância na comprovação da existência do Espírito. Pode também se manifestar através a materialização de objetos.

* Transfiguração É a modificação dos traços fisionômicos do médium.

* LevitaçãoErguimento de pessoas e objetos.

* TransporteEntrada e saída de objetos de recintos hermeticamente fechados.

* Bilocação ou bicorporeidade.....Aparecimento do médium desdobrado sob forma materializada em lugar diferente ao do corpo físico.

* Voz direta Manifestação oral do Espírito através de uma garganta ectoplásmica.

* Escrita direta Palavras, frases, mensagem escritas sem a utilização das mão do médium.

* Mesas Falantes ou Tiptologia Sinais por pancadas formando palavras e frases inteligentes.

* Sematologia Movimento de objetos sem contato físico, traduzindo uma vontade, um sentimento, etc.

Os fenômenos intelectuais ou subjetivos são aqueles que não ferem os 5 sentidos materiais, senão a racionalidade e o intelecto.

Manifestam-se de várias formas:

1. Intuição

2. Vidência

3. Audiência

4. Desdobramento

5. Psicometria

Estes cinco fenômenos ocorrem quando o espírito do próprio médium, em fase especial ou não de transe, fica em estado de lucidez espiritual, percebendo pelos sentidos espirituais.

6. Psicofonia

7. Psicografia.

Tais fenômenos ocorrem por ação direta de uma entidade espiritual sobre o médium, ocupando parcial ou totalmente sua organização psico-biofísica.

Os tipos mais comuns de fenômenos são a PSICOGRAFIA e a PSICOFONIA. São vulgarmente conhecidos por

INCORPORAÇÃO MEDIÚNICA.

Tal denominação dá a entender que ocorre a introdução do Espírito comunicante no corpo do médium. O que ocorre, porém, é uma associação de seus fluídos com os do médium, resultante da interação das faixas vibratórias em que se encontram, e que, pela lei da sintonia e da assimilação, se identificam, formando um complexo emissor (espírito desencarnado), transmissor (fluidos combinados do espírito comunicante e do médium) e do receptor(médium).


LUCAS DE ALMEIDA MAGALHÃES
CENTRO ESPÍRITA LUZ ETERNA  CELE
Avenida Desembargador Hugo Simas, 137 Bom Retiro
80520-250  Curitiba  Paraná  Brasil
www.cele.org.br cele@cele.org.br
REDAÇÃO: Equipe do CELE