Pesquisar este blog

Páginas

segunda-feira, 20 de abril de 2015

ANEXO 1-A  PARTE 2
Página Abertura dos trabalhos  Seareiros de volta  - Espíritas , Meditai  (Cairbar Schutel )
Espíritas!
Quem pode sopesar o exato valor do Espiritísmo na vida Humana!
Doutrina impessoal por não Ter fundador.
Espontânea por distanciar-se de serviços remunerados.
Clara por escapar a todo  profissionalismo em matéria de fé.
Libertadora  por não possuir sacerdócio hierárquico.
Atualizada pela ciência dos homens conjugada aos ensinamentos dos planos superiores.
Indestrutível por se elevar de bases imateriais.
Inatacável por dirigida incessantemente sob a inspiração de Jesus  de suas legiões renovadoras da Humanidade.
Firme por fundamentar-se nas demonstrações e nos fatos.
Contínua por situar-se a cavaleiro de todas as crises planetárias. A mediunidade que lhe veicula os princípios, qual recurso inestancável no espírito, não pode ser sufocada, tanto quanto seria impraticável a adoção de medidas tendentes a  segar todos os homens.
A descoberta de novas terra do céu confirmar-lhe-á os postulados, ampliando-lhe todos os horizontes.
O avanço do conhecimento terrestre consolida-lhe o avanço.
A queda desse ou daquele conceito errôneo exalta-lhe as verdades.
À vista disto, compenetrai-vos de vosso elevado ministério à frente da vida.
Não sois espíritas a revelia das circunstâncias.
Vossas testas surgem marcadas por sinais invisíveis definindo-vos responsabilidades e trabalho.
Vossas vidas são acompanhadas atenciosamente de uma vida mais alta.
Vosso atos cotidiano são anotados com emoção e justiça .
Não há espírita sincero agindo a sós; todos participam naturalmente de equipes intangíveis, empenhadas na atividade constante e redentora.
Sede leais à própria fé.
Muitos de vós trazeis o nome vinculado a obras de regeneração e progresso , devotamento e amor, iniciadas noutras esferas e noutros mundos.
Crede! A Terra vem alcançando a esperada maturidade espiritual !
Do mesmo modo que Jesus predissera o advento do espiritismo Consolador, consequentemente o Excelso Mestre anunciara  existência de vós todos. Os espíritas de hoje.
Construtores do mundo novo,  decerto muita vez experimentados pelos ataques das sombras interessadas na perturbação e na
 Decadência, mas vigiados e sustentados pelos Vanguardeiros do Porvir que seguiram a diante de vós, a fim de esperar-vos  na vida eterna.
    ANEXO 1-B
TELECOM: Sugestão ...
Uma reportagem com pessoas do campo, cuja conclusão  seja O que é  necessário para a semente desabrochar.
Esta frase será trabalhada no próximo telecom  anexo 10
Trabalharemos assim as idéias do dia chegando a conclusão de que o arado está pronto
ANEXO 1-C
Usar as personagens Consciência e Ninguém (ou Livre-arbítrio utilizados na prévia) para falar sobre a pluralidade das existências.
Consciência: Ninguém, Olha que dia lindo!
Ninguém: É , um dia como este é mesmo ótimo para pensar sobre  a vida .
Consciência : É, mas ninguém pensa assim. Hoje em dia falar sobre a vida , nossas atitudes e suas conseqüências é cada vez mais raro.
Ninguém: Mas você não acha que falar de coisas que não entendemos é muito difícil ?
Consciência: Muitas vezes ninguém entende porque não quer observar. As leis são simples e funcionam para todos, inclusive na natureza.  Se nos predispormos a observá-la, questioná-la e estudá-la vamos chegar a uma conclusão muita das vezes  bastante elementar.
Ninguém : Não sei  não . Tudo me parece complicado.
Consciência : O que é que está  te confundindo meu amigo?
Ninguém:  As vezes sinto que não estou lidando com as coisas  pela primeira vez. Muitas coisas que leio , ouço ou  vejo são tão familiares.
Como posso entender isto ? Além do mais, da onde vim , para onde vou ? Por que fazer o bem  se ainda não me sinto pronto para isso.
Consciência : Esta confusão não é só sua, ela acompanha o ser humano por toda a sua caminhada.
Você já ouviu falar da pluralidade das existências?
Ninguém: Tipo assim, viver  várias vezes... Isso é possível ... mas confuso...
Consciência : Não tanto assim. Eu conheço um livro que trata muito bem deste assunto e o exemplo que vamos encontrar aqui é muito interessante. Deixe me ver... aqui está. ( Obras póstumas O caminho da Vida  adaptada )
Ele nos pede para olharmos uma longa estrada , tão longa que se encontram em sua extensão , de distância  em  distância, mas com intervalos desiguais.
Florestas que se tem de atravessar e, à estrada de cada uma, a estrada larga e magnífica, se interrompe, para só continuar para a saída. Nós ( o viajante ) entramos na primeira floresta .
Aí, já não dá com o caminho aberto; depara-se , ou contrário , com uma floresta fechada, como aquela lá .
Consegue ver ? Vamos comigo... Cuidado com  a cerca, ok?
(* todos se dirigirão para o muro do lar, donde poderão ver uma grande floresta fechada.)
O muro parece que está caindo.
Mas vamos lá, Vamos todos observar bem, como deverá ser atravessar uma floresta tão fechada, como aquela lá, pela primeira vez. ( pedir  para sentarem e fazerem uma mentalização enquanto ouviremos uma música  tranqüila com                         som de natureza ao fundo ) .  Sinta. Você já consegue ouvir os pássaros, sentir seus passos sobre as folhas secas e a ouvir as águas que caem formando uma linda e harmoniosa melodia à vida.   Você já não sente mais o calor do sol                        que antes te aquecia e te confortava. Você agora está coberto pelas frescas sombras das grandes árvores. Você caminha, caminha sem rumo. Já não sabe para onde se dirigir e afinal  depois de tanto  caminhar você está cansado,  e enfraquecido, machucado pelos espinhos , pedras e tropeços naturais de quem desconhece o caminho a percorrer.
 E depois de um necessário repouso você consegue ver novamente a estrada  e prossegue a sua jornada , procurando curar-se   das feridas. Mais adiante, você se vê numa segunda floresta onde encontrará as mesmas  dificuldades.
 Mas você já possui um pouco mais de experiência e aí esperamos que você saia menos ferido.  
Em uma outra, você encontra um  lenhador  que te indica  uma direção que deve  seguir para não se perder.
A cada nova travessia , aumenta  a sua  habilidade e sua segurança, de maneira que cada vez  mais facilmente os obstáculos são mais facilmente superados , e você cada vez mais certo de que encontrará à  estrada para a saída.
Firme nesta certeza; depois de tantas caminhadas e aprendizados  você  já sabe orientar-se sem muito se machucar.
Esta estrada finaliza no cume de uma montanha altíssima, de onde você pode ver todo caminho que percorreu deste o ponto de partida. Vê também as diferentes florestas que atravessou e se lembra das vicissitudes / dificuldades por que passou, mas essa lembrança não te fere mais, você já                            aprendeu porque caminhou  e como caminhar . Tal qual um universitário que, no conforto de sua casa, se lembra das dificuldades primárias enfrentadas na infância.
Aquelas florestas que pontilhavam a estrada te faziam pensar ser impossível chegar ao fim.
Tudo ao seu redor parecia gigantesco e intransponível.
E como é bom lembrar daquele gentil e sábio  lenhador em nosso caminho, pois sem ele, certamente, nós ainda estivéssemos lá.
Agora que podemos  contemplar aquelas florestas ,como nos  parecem tão pequeninas!!!
Daqui até parece que poderíamos atravessá-las com um só passo. Agora, conseguimos até perceber os menores detalhes . Percebemos até os passo em falso que demos.
O que fazer?  Já chegamos ao final de nossa caminhada.  Estamos tão felizes por podermos sentir a brisa em nosso rosto, e assim abriremos nossos olhos lentamente? Olharemos nossos amigos que também fizeram a caminhada conosco.
 Ninguém: É assim fica mais fácil entender o propósito da vida.
Consciência: Sim, e qual é ?
Ninguém: Aprendizado e perfeição .
Consciência: Isso mesmo. Assim não é mais gostoso , vive sabendo porque e pra que viver ?
Ninguém: É sim. Então chegando ao final da minha viagem nada mais tenho a aprender?
Posso ficar descansando para sempre, numa boa?