Pesquisar este blog

Páginas

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Apostila Dinâmicas De Grupo

JOGOS, VIVÊNCIAS E DINÂMICAS

EXERCÍCIO DE APRESENTAÇÃO

Objetivos: procurar uma maior aproximação entre os participantes, aprofundando os conhecimentos recíprocos.

Duração: 1 hora para 25 pessoas aproximadamente.

Material: nenhum.

A quem se destina: o exercício que segue poder ser usado no inicio de um curso, ou depois de algum tempo de vivência grupal. Se for no começo do curso, o animador fará sentir aos participantes que se trata de um exercício de aproximação interpessoal. Se for depois, será uma complementação lógica. É importante acentuar que jamais acabamos de nos conhecer suficientemente. O conhecimento  é um processo e não um ato. Cada pessoa humana é uma surpresa permanente. Um conhecimento que não leva a compromisso pode ser perigoso, egoísta e até superficial.

Procedimentos:

O animador explica os objetivos do exercício, realçando a importância do conhecimento dos membros do grupo.

A seguir, por ordem do animador cada qual procura do seu lugar olhar para os colegas do grupo em silêncio formam-se subgrupos a dois, na medida do possível, pessoas desconhecidas, para uma entrevista reciproca.

Se houver um número impar, pode-se formar um subgrupo de três participantes.

Seque-se a entrevista. Cada qual se apresenta ao colega.

Decorrido uns sete a oito minutos, será feita a apresentação ao grupão, cabendo a cada um apresentar o colega entrevistado.

Finalmente formam-se pequenos subgrupos para uma avaliação, procurando responder as seguintes perguntas:

- Como me senti na entrevista com o colega?

- Como me senti, apresentando o colega?

- Como observei os demais membros do grupão?

Antes de encerrar, pode-se aprofundar com as seguintes reflexões:

- Qualquer grupo de trabalho necessita desde o inicio integrar-se.

- conhecimento direto das pessoas com as quais trabalhamos ajuda a quebrar o gelo, romper barreiras e maior rendimento no trabalho.

- conhecimento não é um fato acabado, mas um processo, algo continuo, sempre novo na vida.

- A intercomunicação é base para o conhecimento do outro e de si mesmo.

- Geralmente conhecemos nos outros só o nome, titulo, função e comunicamos com os mesmos só em nível secundário.

Reflexões:

Este exercício permite uma auto-avaliação. Na verdade o que me interessa nos outros? Na prática perguntamos algo sobre sua vida, ou sobre suas funções, cargos etc. seu nome, estado social nos interessa mais do que seus sentimentos. Corrigindo, quais seriam nossas perguntas realmente importantes para melhor conhecer o colega como pessoa humana?

CONSCIENTIZAÇÃO DO NOME

Objetivos: Conscientizar os participantes do grupo acerca do nome de cada qual, sua influência, o modo de usa-lo os muitos efeitos que tem sobre as percepções, comportamentos e oportunidades individuais. Explorar como as pessoas usam nomes que influenciam sua interação com os outros. Descobrir o que as pessoas sentem acerca de seu próprio nome, e como suas percepções influenciam seu próprio desenvolvimento, oportunidades e relacionamentos.

Duração: 35 minutos para 12 participantes

Material: um crachá para cada participante, com o nome facilmente legível a distância.

A quem se destina: quaisquer grupos que queiram aproximara suas relações

Procedimentos:

Cada participante coloca seu crachá e o animador apresenta os objetivos do exercício, acentuando que discutir e pensar sobre seu próprio nome, num trabalho de grupo, faz com que todos se conheçam melhor e oferece oportunidade para observar como o nome influencia os outros.

Cada membro participante procura, a seguir, partilhar com os demais do subgrupo seus conhecimentos sobre seu próprio nome, sua origem, significado, sua escolha, seu apelido e outras atitudes que cada um teve ou tem a respeito do nome. Igualmente poderão compartilhar influências, vantagens e desvantagens que sentem na vida a respeito do seu nome, se prefere ou não outro nome.

O animador poderá colaborar com os subgrupos, fazendo com que sejam abordados aspectos como:

- Origem histórica ou significado do nome.

- Como e por que o nome é escolhido pelos pais.

- Apelidos

- Atitudes que as pessoas tem ou expressam em relação aos nomes.

- Influências, vantagens ou desvantagens em relação aos nomes.

- Se alguém gostaria de ter outro nome e em caso afirmativo, qual e por que.

- Quem do grupo gostaria de dar o nome ou deu o nome para os seus filhos?

O animador orienta o grupo para que se torne sempre mais sensível em relação ao nome dos outros em procurar lembrar-se dos nomes dos outros, realçando como é importante na comunicação saber usar o nome das pessoas.

Finalmente, faz-se a avaliação do exercício, sendo permitido depoimentos e comentários sobre o trabalho feito.

QUEM É VOCÊ?

Objetivos: apresentação dos participantes, propiciando seu auto-conhecimento.

Duração: 3 minutos por pessoa.

Material: nenhum

A quem se destina: a quaisquer grupos, propicaindo não só o conheciento das atividades do participante como sentimentos que ele tenha.

Procedimentos:

Cada membro do grupo diz o seu nome. Depois de cada apresentação, são feitas 3 ou 5 perguntas à pessoa.

O facilitador pede que todos perguntem, em rodízio; que não sejam os mesmos a perguntar.

DINÂMICAS DE QUEBRA-GELO

MÍMICA DE OBJETOS

Objetivos: exercitar a criatividade, descontração do grupo.

Duração: 5 minutos

Material: papéis com os temas.

A quem se destina: quaisquer grupos que já tenha algum conhecimento mútuo.

Procedimentos:

Colocar vários temas em papeizinhos e sortear para  cada integrante do grupo.

Cada pessoa deve fazer a mímica do tema que tirou, e o grupo deve adivinhar.

TÉCNICA DO CASTIGO

Objetivos: aproximação dos participantes, trabalhando Lei de Ação e Reação

Duração: 15 minutos.

Material: nenhum.

A quem se destina: grupos que já se conheçam a um certo tempo.

Procedimentos:

O grupo será dividido em 2 ou mais subgrupos, onde cada um irá elaborar um castigo para o outro grupo.

Durante o tempo em que irão definir o castigo o animador deve fazer terrorismo ou seja, irá de grupo em grupo dizendo: mas é este o castigo? Está muito fácil, o outro grupo está caprichando, enfim deverá ir fazendo com que o castigo fique cada vez pior.

Após este tempo o animador fala:

Agora o feitiço virou contra o feiticeiro, ou seja vocês irão fazer o castigo que havia sido definido para o outro grupo.